Conecte-se conosco

Notícias

Mercado de coworking avança na área de saúde e atrai investimentos e usuários

Profissionais de diversas especialidades médicas estão descobrindo os benefícios dos consultórios compartilhados, enquanto empreendedores investem em novos espaços

Publicado

em

São Paulo, SP 9/3/2022 – O coworking é uma opção mais inteligente e adequada ao perfil atual do mundo do trabalho e da economia

Profissionais de diversas especialidades médicas estão descobrindo os benefícios dos consultórios compartilhados, enquanto empreendedores investem em novos espaços

O mercado do coworking, que se popularizou em todo o mundo e no Brasil, continua como uma tendência atraindo o interesse de profissionais das mais diversas áreas, incluindo a da saúde, por ser um modelo considerado econômico e conveniente para o desenvolvimento de atividades. De acordo com o mais recente estudo Coworking Space Global Market Report 2021: Covid-19 Growth and Change to 2030, da Research and Markets, um dos maiores escritórios de pesquisas de mercado do mundo, o segmento consolidou-se e se encontra em uma trajetória ascendente, mesmo sob os efeitos da pandemia, de modo que deve crescer 12% de 2021 até 2025, passando dos US$ 8,14 bilhões para US$ 13,03 bilhões de faturamento.

No país, segundo o Censo Coworking Brasil, houve aumento de 25% de escritórios compartilhados conhecidos no mercado em 2019, se comparado ao ano anterior, um salto de 1.194 para 1.497 estabelecimentos registrados. Este número é 650% maior em comparação a 2015, ano de início do levantamento. Já os dados do primeiro Censo ANCEV (Associação Nacional dos Coworkings e Escritórios Virtuais) 2021, realizado pela Painel Pesquisas e Consultoria, apontam que existem no Brasil 1.647 coworkings localizados nas 100 maiores cidades do País.

Os dados mostram que os espaços ou escritórios compartilhados conquistaram seu mercado e devem continuar crescendo nos próximos anos. Desenvolvidos para atender variados tipos de profissionais e empresas, os espaços de coworking têm atraído também profissionais da saúde, como dentistas, nutrólogos, nutricionistas e otorrinos, que descobriram os benefícios do modelo de consultórios compartilhados.

Ao mesmo tempo, empreendedores que acompanham este movimento investem na abertura de espaços voltados exclusivamente aos profissionais da área, como a OPT.DOC, coworking de saúde, que decidiu expandir sua operação com apoio de investidores, e está aplicando R$ 20 milhões na compra de dois novos imóveis em São Paulo e na abertura de novas salas e consultórios no espaço que já possui na capital.

“Os investimentos estão em sintonia com o desempenho positivo alcançado no nosso primeiro ano de atuação em compartilhamento de consultórios”, conta Patrícia Del Gaizo Maia, sócia fundadora da OPT.DOC. Ela destaca que os novos empreendimentos e salas permitirão que a startup cresça e amplie o número de usuários em seus espaços, que hoje, já atendem mais de 300 profissionais. “Profissionais das diversas áreas de atuação, especialmente os da saúde, passaram a entender que o coworking é uma opção mais inteligente e adequada ao perfil atual do mundo do trabalho e da economia”.

A adoção de um modelo mais flexível, que permite a troca dos custos fixos, por variáveis; o fato de dispensar as preocupações com as burocracias e a gestão de um consultório próprio; a possibilidade de contar com equipes treinadas e com um ambiente de networking; a disponibilidade de uma central de exames e a possibilidade de ter acesso a equipamentos de ponta com custo zero de investimento estão entre os fatores que estão levando empresas e profissionais da saúde a migrarem para o modelo de coworking.

Um dos profissionais da área de saúde que resolveu adotar o coworking é o dentista Heleno de Moraes, de São Paulo, especialista em prótese. Ele conta que teve um consultório tradicional há 30 anos e hoje nem pensa em deixar o coworking. “Há um ano e meio decidi mudar para um coworking, pois ele dá acesso a todos os aparelhos de última geração, além de equipamentos auxiliares e tudo o que é necessário para a realização do trabalho, sem ter que me preocupar com a demanda que um consultório tradicional exige. No coworking encontrei todas as vantagens de um grande consultório, a um custo pequeno”, relata.

Assim, como Heleno, a ortodontista Adriana Vallone, que também resolveu adotar o coworking de saúde, vê muitas vantagens nessa nova maneira de atender os seus pacientes. “No coworking temos acesso a aparelhos de alta tecnologia que nem sempre conseguimos ter em um consultório particular. Além disso, o ambiente é agradável e você convive com profissionais de áreas diferentes, o que possibilita o networking. Por exemplo, um dentista de outra área pode indicar um paciente, e há muita troca de informações. Tudo enriquece, além do custo ser financeiramente mais viável”.

Outros profissionais como Elisa Cruz, cuja especialidade é a harmonização orofacial, descobriu no coworking uma praticidade não encontrada nos consultórios tradicionais. “O estilo coworking de se trabalhar é interessante porque o uso é sob demanda, e ainda podemos contar com uma estrutura impecável e a possibilidade de networking com outros colegas. É incrível ter tecnologia extrema em equipamentos, laboratório de prótese e uma equipe treinada. E ainda podemos contar com pequenas facilidades que fazem toda a diferença no dia a dia, como manobrista e restaurante”, destaca.

Website: http://www.opt.doc.com.br

Continuar Lendo
Anúncio
1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Opt.Doc na Mídia - OPT.DOC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias

Efeito estufa ou aquecimento global? Qual a diferença?

Empresa de energia solar listou as diferenças entre aquecimento global e efeito estufa

Publicado

em

por

24/5/2022 –

Empresa de energia solar listou as diferenças entre aquecimento global e efeito estufa

As mudanças climáticas causadas pelo aquecimento global podem prejudicar muito o planeta, por isso, a hora de se movimentar é agora. Usando energia solar é possível diminuir a utilização de gases produzidos pelas usinas termoelétricas. Consequentemente, amenizam-se os efeitos do aquecimento global. Sendo assim, a energia solar é uma solução sustentável, pois vem de uma fonte renovável, limpa e não poluente

A SOL Copérnico, empresa cujo propósito é democratizar a energia solar e sustentável no Brasil, oferecendo soluções para a geração de energia fotovoltaica, listou as diferenças entre aquecimento global e efeito estufa:  

— A manutenção da vida na Terra depende de diversos fatores que precisam ser equilibrados, entre eles a temperatura.

— O Sol é grande fornecedor de energia do planeta e o calor emitido por ele nos aquece durante o dia e faz com que as plantas e plânctons produzam oxigênio.

— Calor de mais ou de menos coloca o planeta em risco. É por isso que a natureza atua de forma brilhante, emitindo gases que criam uma camada de proteção ao redor da Terra.

— Contudo, muitas atividades humanas aumentam a emissão de gases, fazendo com que a temperatura média do planeta se eleve.

— A luz entra, é absorvida e aquece o ambiente, por isso o nome efeito estufa. A consequência do efeito estufa é que conhecemos de como aquecimento global que, com o próprio nome diz, gera um aumento progressivo da temperatura da Terra. A temperatura da Terra fica bagunçada, fazendo com que o calor e frio extremos sejam vivenciados com mais frequência, prejudicando a agricultura, aumentando o nível do mar e colocando em risco diversas espécies.

Website: https://www.solcopernico.com.br/

Continuar Lendo

Notícias

Câmeras em uniformes de policiais são vistas como aliadas na segurança pública

Aliadas na redução de 87% dos confrontos em SP, câmeras em uniformes policiais também ajudam na coleta de provas

Publicado

em

por

São Paulo 24/5/2022 – Hoje, as imagens e áudios captados servem como meio probatório para processos penais

Aliadas na redução de 87% dos confrontos em SP, câmeras em uniformes policiais também ajudam na coleta de provas

A redução de 87% nas ocorrências de confrontos em São Paulo com o uso de câmeras operacionais portáteis é uma das comprovações da eficácia desta tecnologia como aliada da segurança pública. O levantamento da Polícia Militar do Estado de São Paulo analisou dados entre junho e outubro, de 2019 até 2021, e concluiu que as ocorrências de resistência a abordagens policiais também caíram (32,7%).

Em São Paulo, o governo pretende encerrar 2022 com mais de 10 mil bodycams instaladas nos uniformes de policiais. Em Santa Catarina, onde elas também são usadas, houve uma redução de 61,2% no uso da força (como contatos físicos e uso de algemas) pelos agentes. Na região Centro-Oeste, o Grupo Brako pretende levar a tecnologia a uma das capitais da região ainda neste ano.

“As câmeras corporais estão sendo uma ferramenta de coleta de dados para melhoria das ações dos agentes de segurança pública e vêm demonstrando grande capacidade de servirem como mais um elemento das garantias individuais, tanto para inibir abusos dos agentes em suas ações como para garantir sua defesa. Hoje, as imagens e áudios captados servem como meio probatório para processos penais”, explica o diretor de Engenharia do Grupo Brako, Gustavo Marchiori.

Há, ainda, a disponibilidade de câmeras embarcadas nas viaturas, que filmam dentro e fora do veículo, monitorando o comportamento do policial. Seja no uniforme ou na viatura, os benefícios associados ao uso desta solução são amplos:

• Aumento da transparência das ações policiais;

• Efeito civilizador, resultando em um melhor comportamento entre os agentes e os cidadãos;

• Diminuição das queixas dos cidadãos e rapidez na resolução de ocorrências, pois melhoram as provas;

• Comunicação mais rápida e eficaz entre os agentes e seus superiores, fornecendo subsídios visuais para o planejamento das ações e a transmissão de ordens;

• Acompanhamento em tempo real das ocorrências;

• Identificação de pontos fracos e desenvolvimento de melhorias, tais como oferecer novos programas de treinamento ou revisão de procedimentos e protocolos de ação.

Empresa de soluções tecnológicas customizadas, o Grupo Brako, oferece o equipamento usado por policiais e agentes da segurança. A câmera individual no uniforme tem capacidade de gravação e transmissão de áudio e vídeo, além de disponibilizar a localização geográfica. Com isso, há a possibilidade de acompanhamento remoto por uma central de monitoramento.

Website: http://www.grupobrako.com.br

Continuar Lendo

Notícias

Ferramentas que aumentam produtividade facilitam o trabalho remoto

Home-office foi adotado por 46% das empresas na pandemia, mas 67% dos gestores enfrentaram dificuldades; especialista comenta ferramentas que podem auxiliar no processo

Publicado

em

por

24/5/2022 – A principal necessidade […] está na facilitação da comunicação, na gestão de atividades e no controle da produtividade

Home-office foi adotado por 46% das empresas na pandemia, mas 67% dos gestores enfrentaram dificuldades; especialista comenta ferramentas que podem auxiliar no processo

A produtividade dos colaboradores é uma das principais preocupações para empresas de diferentes segmentos e portes. Com o advento do trabalho remoto, que foi adotado por 46% das empresas do país durante a pandemia de Covid-19, conforme balanço da FIA (Fundação Instituto de Administração) realizado com 139 pequenos, médios e grandes negócios, a preocupação atingiu outro patamar. Exemplo disso, mais da metade (67%) dos gestores enfrentaram alguma dificuldade em implementar o trabalho à distância, de acordo com a “Pesquisa Gestão de Pessoas na Crise Covid-19”, também elaborada pela FIA.

Neste contexto, algumas ferramentas podem aumentar a produtividade de uma empresa, possibilitando a continuidade do regime de teletrabalho para seus funcionários, afirma Marcelo Menezes, cofundador da Lean Solutions, empresa que atua com treinamentos corporativos e transformação digital.

“O home office é uma realidade do mercado. Não é raro encontrar pessoas que trabalham para empresas a quilômetros de distância do conforto da sua casa. A principal necessidade para esta nova configuração laboral está na facilitação da comunicação, na gestão de atividades e no controle da produtividade”, afirma.

Neste aspecto, para Menezes, algumas suítes de ferramentas são ideais para o desenvolvimento do teletrabalho. “Como referência nestas funções, estão o Microsoft Office 365, o Google Workstation e Salesforce. A grande diferença entre eles está no custo para implementação e a interface de uso, permitindo a adequação das soluções de teletrabalho a empresas de qualquer tamanho. Antes, limitado apenas às grandes corporações”.

Na visão do cofundador da Lean Solutions, o home office é um modelo que deve permanecer em voga no futuro pós-pandêmico, já que não existe uma discussão de retrocessos em diversos setores da indústria e dos serviços. O que se discute hoje é como implementar, em alguns casos, o trabalho híbrido, com preferência ao trabalho remoto.

“As oportunidades proporcionadas e a qualidade de vida que os colaboradores possuem trabalhando à distância criaram uma cadeia profissional, na qual os profissionais podem determinar qual tipo de trabalho melhor se adequa a seu próprio perfil”, explica Menezes. “Antes, as imposições vinham de cima para baixo. Hoje, empresas que voltaram ao modelo 100% presencial têm tido dificuldade em manter seus principais talentos”, acrescenta.

De fato, o home-office ampliou as possibilidades em um mercado de trabalho global. Segundo dados da Page Group, negócio de recrutamento do Reino Unido, a contratação de brasileiros por empresas estrangeiras cresceu 20% nos últimos 12 meses.

Para mais informações, basta acessar: https://www.leansolutions.com.br/office-365/

Website: https://www.leansolutions.com.br/office-365/

Continuar Lendo

Em Alta

...