Conecte-se conosco

Notícias Corporativas

Black Friday: especialista aponta os 3 erros no e-commerce na data

Empresa especialista indica que a falta de definição de demanda, os erros na gestão do transporte e a demora nas trocas e devoluções são os principais erros que podem gerar uma má experiência no comércio eletrônico

Publicado

em

A Black Friday 2022, que ocorre em 25 de novembro, é uma das principais datas que movimentam a economia e o comércio brasileiro, especialmente para o segmento do e-commerce. Além das ações para divulgar as promoções especiais para o período e atrair clientes, os lojistas precisam ficar atentos a três erros com o pós-venda na Black Friday, que podem afastar o cliente da sua empresa e diminuir os índices de recompra. 

A jornada do cliente após a compra na Black Friday, com a demora no envio, falta de informações durante o transporte ou dificuldade para realizar trocas e devoluções pode gerar uma experiência negativa que impacta nas vendas futuras do varejista. Por conta disso, a Toutbox, empresa especializada em soluções em tecnologia e logística para e-commerce, lista os três principais erros no pós-venda da Black Friday que podem afastar o cliente de uma loja online.

1. Falta de definição da demanda

A definição da demanda neste período é fundamental para conseguir atender todos os pedidos realizados na Black Friday. Se o lojista superestimar a demanda ou apostar em um produto específico que não tenha giro suficiente, pode acabar ficando com excesso de estoque. 

Mas o problema maior é quando a demanda é subestimada, que é o mais comum e atrapalha diretamente a experiência do consumidor. “A empresa aceita aquela venda e somente depois vai atrás do produto, comprando por meio de dropshipping [modelo de negócio em que o lojista atua como intermediário, sem estoque próprio] ou iniciando a produção somente no pós-venda. Então, além da necessidade de gerenciar um volume muito maior de comercialização, a empresa ainda soma a pressão de ter que produzir ou comprar para conseguir realizar essas entregas”, alerta Marcus Seves, diretor da ToutBox. 

Esse tempo de compra ou produção da peça, que vai ocorrer somente após confirmada a venda, pode frustrar o cliente com a demora da entrega e reduzir as chances da recompra.

2. Falhas na gestão do transporte

Contar com bons parceiros para o transporte e entrega dos produtos também é determinante para garantir uma jornada positiva ao cliente com as compras na Black Friday. A primeira coisa é verificar se a transportadora está preparada para atender a demanda desse período mais volumoso de compras, com condições de absorver esse pico de entregas na sua operação regular do serviço.

“O ideal é que as empresas tenham a gestão completa do processo de pós-venda, desde a hora que a transportadora recebe o item até a hora que ele chega à mão do cliente. Se não houver este monitoramento, o varejista não consegue gerenciar quais pedidos estão atrasados e o motivo da demora. Sem a gestão correta, pedidos extraviados ou com endereço incorreto, por exemplo, podem demorar até 30 dias para serem redirecionados”, explica Seves.

O especialista destaca que, nesses casos, a empresa acaba aumentando custos com atendimento e registra aumento nos níveis de insatisfação. “Lojas sem um processo adequado de interação acabam não tendo o melhor tempo de resposta e nem a melhor resposta para dar ao cliente sobre o envio dos seus produtos. E assim que entra na mão da transportadora, muda a responsabilidade. Mas a referência do consumidor continua sendo a empresa em que realizou a compra. E é o e-commerce quem vai receber uma avaliação negativa ao final de uma experiência ruim”, lembra o executivo.

3. Demora nas trocas e devoluções

Mesmo com a modernização dos processos de compra online, muitos sistemas de troca ainda são pouco otimizados, tornando a ação do cliente de troca e devolução dificultada. “É preciso que o consumidor tenha a possibilidade para realizar esse processo da forma mais simples e automatizada possível. As empresas precisam ter a preocupação de transformar esse momento numa experiência que encante o cliente para ele realizar uma nova compra ou aproveitar melhor o processo”, comenta Seves.

Sem ferramentas para otimizar as solicitações, pode ser gerado um grande trabalho manual, tanto para o consumidor como para o atendimento da empresa. A automatização do processo de retornos permite que o consumidor faça todo o processo sozinho, sem precisar ligar para o SAC ou entrar em contato via e-mail. Para o lojista, a vantagem é ter esse controle de produtos retornados de forma otimizada, evitando acumulação e permitindo identificar os principais motivos e tipos de materiais devolvidos.

“Além disso, não ter um bom parceiro de transporte acaba atrasando esta etapa também, porque o crédito ou estorno só acontece depois que o produto volta para loja. Se isso ocorrer, leva ainda mais tempo para o cliente realizar uma nova compra. É preciso que o cliente finalize essa experiência com o sentimento de que pode comprar sempre nesta loja, porque, mesmo em caso de troca, o processo será tranquilo e fácil”, aconselha o diretor da Toutbox.

Notícias Corporativas

ExaGrid assina contrato com Arrow Electronics

Novo relacionamento com o principal distribuidor mantém a ExaGrid no caminho para o contínuo crescimento do canal

Publicado

em

por

ExaGrid®, a única solução de armazenamento de backup em níveis do setor, anunciou hoje que a empresa assinou um contrato de distribuição com a Arrow Electronics, um distribuidor de valor agregado da Fortune 104. A Arrow reúne as principais tecnologias e serviços do mundo para habilitar seu ecossistema de canal mundial. A plataforma de gerenciamento de nuvem da Arrow, ArrowSphere, remove a complexidade do processo de compra de TI ao conectar estas tecnologias com milhares de parcerias do canal e usuários finais mediante um extenso catálogo de nuvem e recursos de gestão do ciclo de vida.

“Temos o prazer de dar início a este relacionamento e disponibilizar nossa solução de armazenamento de backup em níveis para mais parcerias do canal e seus clientes usuários finais nos EUA e Canadá através de nosso novo contrato com a Arrow Electronics”, disse Bill Andrews, presidente e diretor executivo da ExaGrid. “Este novo contrato respalda nossos esforços de reforçar nossos relacionamentos no canal e ampliar nossos negócios com mais revendedores, tudo com foco contínuo em oferecer às organizações o melhor armazenamento de backup do setor.”

A ExaGrid tem mais de 3.750 clientes ativos de médio a grande porte que usam armazenamento de backup em níveis da ExaGrid para proteger seus dados. O crescimento da ExaGrid vem acelerando e a empresa está contratando em todos os aspectos da empresa a nível mundial. A ExaGrid anunciou recentemente seus destaques para 2022, que incluiu um ano com crescimento de receita bem como caixa, EBITDA e P&L positivos da empresa durante os últimos nove trimestres consecutivos.

A ExaGrid oferece armazenamento de backup em níveis com uma zona de patamar de cache de disco front-end, o nível de desempenho, que grava dados diretamente no disco para backups mais rápidos e recupera diretamente do disco para restaurações e inicializações de VM com mais rapidez. Os dados de retenção a longo prazo são colocados em níveis em um repositório de dados desduplicados, o nível de retenção, a fim de reduzir a quantidade de armazenamento de retenção e o custo resultante. Esta abordagem em dois níveis fornece o desempenho de backup e restauração com mais rapidez e eficiência de armazenamento com custo mais baixo.

Além disto, a ExaGrid proporciona uma arquitetura de expansão em que os dispositivos são simplesmente adicionadosàmedida que os dados aumentam. Cada dispositivo inclui processador, memória e portas de rede, portanto,àmedida que os dados aumentam, todos os recursos necessários estão disponíveis para manter uma janela de backup de tamanho fixo. Esta abordagem de armazenamento escalável elimina atualizações dispendiosas e permite combinar dispositivos de diferentes tamanhos e modelos no mesmo sistema escalável, o que elimina a obsolescência do produto e protege os investimentos de TI antecipadamente e ao longo do tempo. A ExaGrid oferece a melhor recuperação de ransomware do setor com seu nível não direcionadoàrede (espaço livre em níveis), exclusões com atraso e objetos de dados imutáveis.

Sobre a ExaGrid

A ExaGrid oferece armazenamento de backup em camadas, uma zona de destino de cache em disco exclusiva, um repositório de retenção de longo prazo e uma arquitetura de scale-out. A zona de destino da ExaGrid proporciona os backups, restaurações e recuperações mais rápidos de VM. O repositório de retenção oferece o menor custo para retenção a longo prazo. A arquitetura de scale-out da ExaGrid inclui dispositivos completos e garante uma janela de backup de comprimento fixo,àmedida que os dados aumentam, o que elimina as atualizações caras do “tipo empilhamento” e a obsolescência do produto. A ExaGrid oferece a única abordagem de armazenamento de backup de duas camadas com uma camada não voltada para a rede, exclusões atrasadas e objetos imutáveis para a recuperação de ataques de ransomware.

A ExaGrid possui engenheiros de sistemas de vendas físicas e pré-vendas nos seguintes países: Argentina, Austrália, Benelux, Brasil, Canadá, Chile, CEI, Colômbia, República Tcheca, França, Alemanha, Hong Kong, Península Ibérica, Índia, Israel, Japão, México, Nórdicos, Polônia, Arábia Saudita, Cingapura, África do Sul, Coréia do Sul, Turquia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido, Estados Unidos e outras regiões.

Acesse exagrid.com ou entre em contato conosco no LinkedIn. Veja o que nossos clientes têm relatado sobre suas próprias experiências com a ExaGrid e por que agora gastam significativamente menos tempo de armazenamento em backup em nossas histórias de sucesso de clientes. Confira nossas mais de 100 análises Peer Insights do Gartner. A ExaGrid está orgulhosa de nossa pontuação +81 NPS!

A ExaGrid é uma marca registrada da ExaGrid Systems, Inc. Todas as outras marcas comerciais são propriedade de seus respectivos titulares.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contato:

Mídia:

Mary Domenichelli

ExaGrid

mdomenichelli@exagrid.com

Fonte: BUSINESS WIRE

Continuar Lendo

Notícias Corporativas

Setor automotivo tem expectativa de crescimento para 2023

Segundo especialista, os vendedores devem estar preparados, pois os veículos seminovos continuarão em alta esse ano

Publicado

em

por

O Setor da Distribuição de Veículos teve um saldo positivo em 2022, resultando no aumento dos emplacamentos de veículos leves em relação ao ano anterior. O balanço divulgado pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) mostrou um crescimento de 5% em 2022, mesmo com as dificuldades encontradas com a crise sanitária, financeira e o aumento dos preços dos combustíveis no primeiro semestre. Dezembro finalizou com um resultado ainda melhor, com uma alta de 7%.

A expectativa para 2023, de acordo com a Fenabrave, é que o setor automotivo apresente um crescimento de 3,3% esse ano, chegando a 3,6 milhões de unidades emplacadas. A entidade revelou ainda uma projeção semelhante ao de 2022 para veículos leves, totalizando 1,96 milhões de automóveis emplacados. No entanto, os números também podem ser revistos no primeiro trimestre.

De acordo com a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), em 2022 foram produzidos 2,37 milhões de automóveis e as vendas do mercado interno passaram de 2,1 milhões de unidades. No último mês do ano, as montadoras produziram 11,3% menos que no mês de novembro. Com isso, a fabricação de veículos em geral somou 191,5 mil unidades, uma queda de 9,2% em relação a dezembro de 2021.

Para o empresário do ramo automobilístico e responsável pelo curso Vendedor de Carros Pro, Thiago Facci, devido à falta de insumos para serem comercializados carros novos, ocorreu uma alta dos preços, impactando na relação oferta x demanda.

Facci ressaltou ainda que há um cenário muito incerto para o ano de 2023. “Com a troca de presidente e a alta dos juros, realmente não sabemos o que pode vir a acontecer. Para os seminovos, a expectativa é de facilitação do crédito e crescimento na comercialização do usado”, analisa o empresário.

O responsável pelo curso Vendedor de Carros Pro acredita que os carros seminovos continuarão tendo uma boa venda. “Uma vez que o dinheiro não some do mercado, ele só muda de mão. Portanto, aquelas lojas que trabalharem bem e de forma correta, terão sucesso”, avalia Facci. 

Continuar Lendo

Notícias Corporativas

Marketplaces promovem crescimento para negócios brasileiros

Segundo especialista, essas plataformas possibilitam maior visibilidade e aumento nas vendas para pequenos e médios negócios

Publicado

em

por

Os marketplaces, portais de e-commerce que agregam produtos de diferentes marcas e empresas, ganharam evidência no Brasil com o advento da pandemia de Covid-19, período em que foi registrado um aumento no consumo realizado pelo meio digital no país. No primeiro ano de crise sanitária, em 2020, para se ter uma ideia deste avanço, os marketplaces representaram 51% do faturamento total no comércio on-line no Brasil, ante 35% do ano anterior, segundo uma pesquisa realizada em 2021 pela Abcomm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico).

Mais recentemente, com a pandemia de Covid-19 caminhando para o fim no Brasil e no mundo, a Americanas Marketplace, em parceria com o E-Commerce Brasil, realizou uma pesquisa entre lojistas, que apontou que 79,3% deles acreditam que seus negócios cresceram quando entraram nos marketplaces.

Dados do estudo mostram que 75,6% dos pequenos e médios empresários vendem em marketplaces há mais de um ano e 11% estão nas plataformas no mesmo período. A pesquisa também aponta que 53,7% dos lojistas contam com uma equipe para cuidar das vendas da empresa no marketplace e  69,5% dos entrevistados acham que é importante ter uma equipe específica para as vendas online.

Segundo o relatório Webshoppers, 84% dos lojistas brasileiros, por sua vez, fazem vendas em sites como Mercado Livre, Magalu, Americanas e Amazon.

As perspectivas para o e-commerce em tempos vindouros, ademais, segundo um levantamento realizado recentemente pelo MCC-ENET- que estuda tendências de consumo, é de que, no Brasil, o setor cresça 56% até 2024.

Para Rodrigo Cardoso,  CEO da LAB2U – agência e consultoria em gestão para marketplaces -, a utilização dessas plataformas pelos lojistas ocorre devido ao acesso a um enorme público disposto a comprar, gerando assim mais possibilidades de vendas e visibilidade, aumentando também a autoridade da marca.

“O marketplace oferece diversos recursos para os vendedores como facilidade em logística, marketing e proximidade com o consumidor, demandando um investimento menor por parte da loja, gerando, assim, mais ideias e muitas oportunidades de crescimento do negócio”, ressalta.

Cardoso destaca que a importância dessa ferramenta está principalmente na facilidade que ela oferece a pessoas e empresas. Dessa maneira, participar desse mercado virtual com outras lojas faz com que, segundo ele, a marca acabe ganhando força e reconhecimento.

“Os benefícios como segurança, aumento de receita, comunicação entre cliente e loja, marketing foram os fatores mais importantes para a popularização dos marketplaces”, ressalta o CEO da LAB2U.

Para mais informações, basta acessar: https://www.lab2u.com.br/

Continuar Lendo

Em Alta

...