Conecte-se conosco

Notícias

Empresa ressalta a importância da desratização para evitar proliferação de ratos

O outono é a época propícia para o aparecimento de roedores, que se aproveitam de alimento e água disponíveis

Publicado

em

São Paulo, SP 6/11/2020 –

O outono é a época propícia para o aparecimento de roedores, que se aproveitam de alimento e água disponíveis

A proliferação de pragas urbanas sempre foi considerada um problema, afinal, pode trazer riscos à saúde e provocar danos materiais de variadas proporções. Os ratos, por exemplo, podem transmitir doenças fatais, como a leptospirose.

No outono a incidência de roedores aumenta ainda mais em comparação com as demais épocas do ano. Isso se deve ao fato de que a estação combina oscilações de temperatura com chuvas intensas.

Desse modo, vale a pena investir a atenção em métodos para evitar a aglomeração de quaisquer espécies de roedores. Três delas são mais comuns nas cidades e se adaptam facilmente a condições adversas: ratazana (Rattus norvegicus), rato do telhado (Rattus) e camundongo (Mus músculos).

Existem meios de proteger os locais de tais pragas, garantindo que não haja nenhum panorama propício para a subsistência delas. No entanto, quando já há um quadro crítico da presença de ratos em grande número, deve-se buscar técnicas de desratização.

Empresa líder no segmento no Brasil, a Sanemix alerta sobre a importância de realizar a desratização de forma profissional. Segundo a corporação, esse serviço engloba uma série de fatores, não se limitando à aplicação de produtos exterminadores de ratos.

Em razão disso, a atuação de desratizadoras competentes surge como a opção mais segura para a população. Afinal, tratam-se de medidas que necessitam de protocolos e adequação às normas emitidas pelas entidades responsáveis.

No artigo 5º da lei 7.806/17 consta que é obrigatório a desinsetização e a desratização em estabelecimentos como indústrias em geral, assim como estabelecimentos com setores de armazenagem, hospitais, comércios, escolas e universidades, condomínios comerciais e residenciais. 

Todo o procedimento deve seguir as regras da ANVISA, que só podem ser colocadas em prática por empresas de fato equipadas e com a devida certificação e aprovação pelos órgãos de controle ambiental.

Abrigo, alimento e água à disposição são atrativos

Há motivos de sobra para que haja um controle eficiente desses roedores. A primeira medida, porém, deve ser a eliminação dos pontos de atração: abrigo, alimento e água.

Quando o local, seja ele um galpão comercial, uma escola ou até mesmo uma residência, apresenta todos esses fatores à disposição dos ratos, aumenta a probabilidade de ocorrer ali uma proliferação.

Um rato encontrado dentro de casa, por exemplo, já pode ser considerado um sinal de alerta para os moradores. Ou no entorno existe um terreno com condições favoráveis à existência desses animais ou então a própria moradia conta com esses elementos.

Diante disso, a primeira orientação da ANVISA e de demais órgãos reguladores se torna a extinção de qualquer foco de alimento, água e também materiais entulhados, que servem de proteção para os ratos.

Os especialistas nesse mercado avaliam se no local há caixas d’água mau fechadas, sacos de mantimentos em áreas abertas, recipientes sem tampas, armários desprotegidos, entre outros itens que armazenam comida.

Quando encontram um ambiente propício, os ratos se instalam e procriam, aumentando ainda mais a população de pragas. Ali eles depositam fezes, urina e pelos. E são exatamente esses dejetos que, em contato com os produtos de consumo humano ou dos animais domésticos, causam enfermidades – algumas consideradas gravíssimas.

Os prejuízos causados pelos ratos, porém, vão além das doenças. Eles podem roer materiais diversos, como madeira, plástico, tijolo, cimento e até chumbo e alumínio. Além disso, têm potencial para afetar a fiação elétrica e causar incêndios.

Desratização por controle mecânico

Uma das soluções mais empregadas atualmente, sobretudo quando se trata de grandes infestações de ratos, é a desratização por controle mecânico.

De acordo com a Sanemix, esse método consiste em distribuir no local afetado diferentes tipos de equipamentos, que funcionam como armadilhas. A meta é atrair e capturar o maior número de roedores possível.

Os materiais que compõem o escopo desse serviço são as gaiolas, guilhotinas, caixas e os alçapões. A melhor medida a ser tomada depende do estudo prévio realizado pela empresa assim que recebe o chamado do cliente.

Os profissionais analisam a quantidade e a espécie dos ratos que ocupam o espaço. Além disso, investigam a oferta de condições favoráveis aos bichos, como água, comida e abrigo. Normalmente, segundo a Sanemix, são ambientes com acúmulo de lixo ou entulho. Terrenos baldios, por exemplo, são prato cheio para os roedores urbanos.

Após entenderem o perfil do atendimento, os técnicos definem a armadilha que deve ser utilizada. Em cada uma são colocadas iscas especiais levando em conta o tipo de roedor em questão. Em todo o caso essas iscas consistem em alimentos atrativos, podendo ser embutidos ou pães.

Somado a isso, há estratégias combatentes como a colocação de aparelhos de ultrassom, que conseguem espantar os ratos por meio da emissão de um som que, apesar de não poder ser ouvido pelos humanos, é ensurdecedor para os animais.

Substâncias químicas eficientes

Empresas especializadas em desratização também realizam o controle químico. Nesse caso são aplicados produtos artificiais para extermínio dos ratos. Importante dizer que sem essas substâncias grandes proliferações podem não ser eliminadas com eficiência.

De acordo com a Sanemix o atendimento de desratização química engloba a utilização de iscas atrativas semiparafinadas amarradas em pontos estratégicos. Uma dose é suficiente para matar os ratos. Juntamente podem ser aplicados: pó de contato, pulverização com isoparafina, aticidas granulados e peletizadas.

Vale ressaltar que os produtos não são somente tóxicos para os ratos como também para animais domésticos e humanos. Dessa maneira, o manuseio deles deve ser feito somente pelos profissionais devidamente treinados e com equipamentos de proteção.

A Sanemix alerta que, a fim de garantir maior segurança para todos, é necessário que as empresas desratizadoras apostem somente em substâncias liberadas pela legislação vigente e pela ANVISA. Raticidas à base de estricnina ou arsênio, por exemplo, não podem ser comercializados e o uso é ilegal. Os clientes, do mesmo modo, precisam estar atentos a esse fator.

Website: https://sanemix.com.br/

Continuar Lendo
Anúncio
Clieque para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias

Mercado pet no Brasil cresce 27% no primeiro trimestre

Indicativos do IPB mostram o crescimento no número de pets no país; empresária Renata Bueno comenta panorama e necessidade de investimento em formações para ampliar a cartela de serviços

Publicado

em

por

12/8/2022 –

Indicativos do IPB mostram o crescimento no número de pets no país; empresária Renata Bueno comenta panorama e necessidade de investimento em formações para ampliar a cartela de serviços

Dados do Censo Pet IPB, realizado pelo IPB (Instituto Pet Brasil) e divulgado em junho, apontam que o Brasil chegou a 149,6 milhões de animais de estimação em 2021. Com isso, a receita do mercado de produtos, serviços e comércio de pets chegou a R$ 51,7 bilhões no último ano, uma alta de 27%, conforme análise do Instituto Pet Brasil divulgada no final do primeiro trimestre. A expansão foi impulsionada pelo segmento de pet food, que faturou R$ 28 bilhões e respondeu por mais da metade (55%) do total.

Segundo o balanço, pet shops pequenos e médios foram responsáveis por 48% das vendas. Em seguida, vêm as clínicas e hospitais veterinários (18%), agrolojas (9,8%), varejo alimentar (8,6%), pet shops de grande porte (8%) e comércio eletrônico (5,4%), dentre outros (2,1%).

O instituto também revelou que o valor médio mensal para ter um cão no país parte de R$ 299,66 para animais pequenos (até 10 kg) e pode chegar a R$ 533,60 para animais de grande porte (mais de 25 kg).

Renata Bueno, sócia-administradora da VIP Pet – empresa que atua com uma cartela de serviços, como banho, tosa, hidratação, tratamento de pele e pêlos, banho de ozônio e petiscos -, avalia de forma positiva o cenário do mercado de pets no Brasil.

“O mercado pet tem muito a crescer a se atualizar. Para tanto, os empreendedores do setor devem estudar, cada vez mais, sobre os cuidados com os animais”, afirma. Na visão de Bueno, o segmento pet exige que empreendedores e profissionais trabalhem com amor. “Desta forma, o número positivo deverá se manter nos próximos anos, assim como o contingente de famílias brasileiras com pets, que cresce de forma exponencial”.

A proprietária da VIP Pet destaca que os brasileiros que têm interesse em empreender no ramo podem realizar ao menos um curso de especialização a cada mês e ter a dimensão que o setor vai muito além da oferta de serviços de banho e tosa. “É preciso ir além, e buscar a oferta de serviços extras, trazer um diferencial”, diz.

Nos últimos cinco anos, o setor de acessórios e alimentos para animais de estimação cresceu 87%, segundo um levantamento da empresa de pesquisa de mercado Euromonitor International. Ainda em 2021, o órgão previu que o Brasil deveria se consolidar como o sexto maior mercado pet do mundo. 

Continuar Lendo

Notícias

ManageEngine celebra 20 anos de operações e anuncia planos de expansão do Brasil

Empresa registrou 43% de crescimento de receita ano a ano; inaugura novo escritório em São Paulo e lança programa de estágio para estudantes

Publicado

em

por

São Paulo, SP 12/8/2022 –

Empresa registrou 43% de crescimento de receita ano a ano; inaugura novo escritório em São Paulo e lança programa de estágio para estudantes

A ManageEngine, divisão de gerenciamento de TI empresarial da Zoho Corporation com mais de 280 mil clientes em todo o mundo, completa 20 anos de operações. Para comemorar este marco, a empresa anunciou seus planos de expansão no Brasil, um dos mercados mais estratégicos na América Latina.

“Estamos muito orgulhosos em celebrar a jornada bem-sucedida de 20 anos da ManageEngine nos mercados de tecnologia e TI empresarial, e anunciar nossa expansão no Brasil, onde registramos um crescimento de 43% na receita de YoY em 2021. O novo escritório, o programa de estágios e o impulsionamento dos canais são apenas alguns dos passos iniciais para consolidar nossa presença no mercado local e facilitar ainda mais o acesso à marca aos clientes”, afirma Nirmal Kumar Manoharan, diretor regional da ManageEngine.

Com a predominância do trabalho híbrido entre as empresas no Brasil, criou-se uma demanda significativa por soluções baseadas em nuvem que viabilizem o modelo remoto de forma segura. Essa tendência apresenta uma grande oportunidade para a ManageEngine. Diante disso, Nirmal complementa: “Apoiados por nosso portfólio completo, podemos contribuir para o desenvolvimento do mercado como um todo com uma abordagem integrada para a gestão de TI”.

Escritório em São Paulo

O novo escritório local da ManageEngine se concentrará em ampliar o suporte aos clientes e realizar sessões de treinamento para parceiros e clientes. Com a equipe local já instalada, o objetivo da empresa é contratar novos funcionários e aumentar a capacidade de pessoas trabalhando presencialmente no escritório no próximo ano. O espaço em São Paulo é o segundo no país para a matriz da ManageEngine, a Zoho Corporation, acompanhando o de Santa Catarina.

Programa de Estágio

Paralelo ao lançamento da nova unidade, a ManageEngine anunciou parceria com a FIAP, instituição de educação tecnológica no Brasil.

Esta iniciativa tem como objetivo oferecer estágios para aperfeiçoar as habilidades técnicas dos jovens aspirantes da instituição. Durante o programa, os participantes desenvolverão toda a expertise necessária para trabalhar no mercado de tecnologia e segurança cibernética, por meio de sessões de mentoria com a liderança da empresa, avaliações periódicas, treinamento multidisciplinar e vivência no dia a dia da profissão, além de oportunidades para posições efetivas dentro da organização ao final do projeto.

A partir da parceria com a instituição, a ManageEngine junta-se a empresas como Microsoft, IBM, SAP, Salesforce e AWS, do setor de tecnologia, que estabeleceram um contato próximo com o mundo acadêmico.

Fortalecimento e expansão da rede de canais de parceiros

Com uma equipe local em São Paulo, outra meta da ManageEngine é ampliar o número de parceiros nas principais cidades e outros estados, bem como otimizar suporte aos atuais. O ecossistema de canais é uma das principais prioridades da empresa e uma parte essencial da estratégia de expansão no Brasil. Como pontapé inicial, a companhia se concentrará no setor governamental, que tem visto diversas iniciativas de transformação digital, e no segmento de serviços gerenciados de TI (MSP).

As informações sobre a jornada de 20 anos da ManageEngine estão disponíveis nesta página especial.

Demais informações no site manageengine.com.br

Redes sociais da ManageEngine: Blog, LinkedInFacebookTwitter.

Website: http://www.manageengine.com.br

Continuar Lendo

Notícias

Digitalização no saneamento é tema de debate em evento promovido pela ABES-SP

Evento foi realizado na noite desta quinta (11), no auditório da entidade e contou com patrocínio das empresas Enops Engenharia, Compuway, Suez e Restor. Assista ou reveja no YouTube.

Publicado

em

por

São Paulo 12/8/2022 –

Evento foi realizado na noite desta quinta (11), no auditório da entidade e contou com patrocínio das empresas Enops Engenharia, Compuway, Suez e Restor. Assista ou reveja no YouTube.

O segundo Bar da ABES-SP deste ano aconteceu na noite desta quinta-feira, 11 de agosto, na sede da entidade, na capital, com o tema “Sala Integra 4.0 – Infraestrutura para o saneamento digital na Sabesp”. Promovido pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Seção São Paulo, o evento é o ponto de encontro do saneamento, reunindo palestra técnica, networking e confraternização. Esta edição contou com patrocínio das empresas Enops Engenharia, Compuway, Suez e Restor.

“É um prazer recebê-los na nossa sede, para mais um Bar da ABES. Nossa sede foi reformada no ano passado e está de cara nova para este espaço de encontro de saneamento, oferecendo todo o conforto e tecnologia para que vocês possam aproveitar ao máximo os nossos eventos”, iniciou Luiz Pladevall, presidente da ABES-SP, na abertura do evento. “Eventos assim são essenciais para promover o networking entre empresas e profissionais do setor de saneamento”, completou.

O assunto foi abordado por Alexandre Domingues Marques, Gerente do Departamento de Engenharia de Operação Leste da Sabesp; Carlos José Teixeira Berenhauser, Diretor-Presidente da ENOPS Engenharia; Federico Lagreca, CEO da Suez Brasil; e Junio Fuentes, Gerente de Desenvolvimento de Projetos da Suez Brasil.

Eles apresentaram o Integra 4.0, que é fruto da parceria entre a Sabesp, a ENOPS Engenharia e a Suez Brasil. Durante o evento, com a palestra “Integra 4.0 – Decisões ágeis e precisas em gestão operacional”, todos os representantes puderam detalhar a participação de cada empresa no projeto.

Representando a Sabesp, Alexandre Domingues Marques detalhou o modelo de gestão operacional da companhia. “Foi um prazer estar aqui com este seleto grupo do saneamento para compartilhar um pouco da nossa experiência desta grande inovação do setor”.

O CEO da Suez Brasil, Federico Lagreca, apresentou a companhia. “A empresa está há bastante tempo no país, desde 1938, com uma experiência bastante longa na área de saneamento”.

Carlos Berenhauser também apresentou a empresa ENOPS Engenharia, especializada em ações de controle e eficiência operacional dos sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário.

Ele comentou sobre o espaço da ABES-SP. “Ficou muito bom o espaço depois da reforma e é muito gostoso estar aqui para apresentar nosso trabalho, que a gente fez com parceiros e amigos”, disse.

Junio Fuentes trouxe os detalhes técnicos do Integra 4.0. “Para mim é um grande prazer participar deste projeto”, frisou. “Fui um dos primeiros a se voluntariar para esse projeto. A gente já trabalhava com algumas dessas tecnologias na Suez, mas tudo separado, foi o primeiro lugar no mundo que a gente viu em que todas as tecnologias convergiram”, lembrou o gerente de Desenvolvimento de Projetos da Suez Brasil.

A estrutura física do Integra 4.0 conta com servidores de 384 GB de RAM cada, switches locais e integração de ambientes por fibra óptica, estações de trabalho individuais com alto poder de processamento, KVM digital de última geração e um gerenciador gráfico do videowall com servidores redundantes.

Ao todo, são 27 monitores, que podem ser usados para apresentações ou como centro de controle. Na oportunidade, Junio Fuentes detalhou as variadas aplicações para o projeto.

O evento está disponível gratuitamente no canal da ABES-SP Saneamento no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=0_7mZnkdugw

Ao final, os presentes puderam participar de um coquetel para networking e happy hour, com direito a música ao vivo com o cantor Mauro Costa

Website: https://www.abes-sp.org.br/

Continuar Lendo

Em Alta

...