Conecte-se conosco

Notícias

Setor de joias tem recuperação de 50% em 2021

Faturamento passou de R$ 5,4 bilhões em 2020 para R$ 8,1 bilhões este ano; brasileiro conta como é empreender com pedras preciosas nos Estados Unidos

Publicado

em

19/1/2022 – Apesar de um ambiente econômico ainda frágil, o setor de joias nacional tem quadro de aquecimento, o que, inclusive, é positivo para negócios com outros países

Faturamento passou de R$ 5,4 bilhões em 2020 para R$ 8,1 bilhões este ano; brasileiro conta como é empreender com pedras preciosas nos Estados Unidos

Passada a fase mais crítica da pandemia de Covid-19, o setor de joias e bijuterias brasileiro apresenta resultado positivo. A informação é de um estudo realizado pela Geofusion, empresa de inteligência geográfica, com base em dados das oito maiores cidades do país: São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Salvador (BA), Fortaleza (CE), Curitiba (PR) e Manaus (AM).

Segundo o balanço, São Paulo, Curitiba e Salvador atingiram uma recuperação superior a 50%, liderando o faturamento que passou de R$ 5,4 bilhões em 2020 para R$ 8,1 bilhões em 2021. A pesquisa demonstra que a classe A é a maior consumidora do segmento, sendo que as cidades com maior acumulado de compras por esta camada social são Brasília (71%), São Paulo (67%) e Rio de Janeiro (56%).

Gustavo Coelho, empreendedor do ramo de pedras preciosas, construção e infoprodutos que atua nos Estados Unidos, avalia de forma positiva a recuperação do setor no país. “Os dados demonstram que, apesar de um ambiente econômico ainda frágil, o setor de joias brasileiro tem perspectiva de aquecimento, o que, inclusive, é favorável para negócios com outros países”.

O empreendedor destaca que o segmento se mostrou forte mesmo durante o período de crise sanitária: “em todo o mundo, quando as joalherias fecharam as portas por conta das medidas de quarentena e isolamento social, os consumidores não deixaram de comprar, mas migraram para plataformas digitais”.

Com efeito, as vendas on-line de produtos como bolsas, joias, vinhos e sapatos estiveram em alta durante o confinamento e podem representar 30% do mercado até 2025, segundo pesquisa da consultoria Bain & Company.

Brasileiro conta como é empreender no setor de joias nos EUA

Coelho afirma que há algumas diferenças entre o mercado de pedras preciosas no Brasil e nos Estados Unidos. “Aqui estão os consumidores que vão comprar as gemas que vêm do Brasil e do mundo. É bem comum que uma pedra, extraída por um preço ‘X’, seja vendida no Brasil por um valor três vezes maior e acabar sendo exportada para os Estados Unidos por uma cifra dez vezes superior ao valor original”, explica.

Na visão do empreendedor, “as melhores pedras vêm de países como Madagascar, Colômbia e Tajiquistão, sem falar do Brasil, que é um dos maiores produtores em gemas coloridas e as famosas turmalinas paraíbas – a pedra mais cara do mundo”. Descoberta na década de 1980 na região do Seridó, entre a Paraíba e o Rio Grande do Norte, a turmalina paraíba é uma das pedras mais raras do mundo: um grama pode chegar a ser vendido a R$ 4,5 milhões.

Para Coelho, o idioma está entre os principais desafios para um brasileiro empreender no ramo nos EUA. “Como qualquer negócio no exterior, é necessário falar inglês e conseguir uma boa localidade de influência. O mercado é muito fechado, não há oportunidade para todo mundo, você tem que ter condições de girar junto com o mercado de gemas e ter liberdade geológica, poder se locomover livremente. Eu, quando viajo, fico meses fora de casa, aguardando o fechamento de uma venda ou a chegada de uma mercadoria”.

O empreendedor destaca que, com a “bagagem” de uma atuação no exterior, é possível trazer o know-how – habilidade obtida pela experiência ou saber prático, em português –  adquirido para voltar a atuar no país. Segundo o Itamaraty, 45% dos brasileiros que têm uma empresa no exterior estão nos Estados Unidos – cerca de 9 mil pessoas, segundo os últimos números divulgados.

Coelho considera que, para um empreendedor do ramo de pedras preciosas, o principal aprendizado que se tem fora é o contato com a tecnologia para a extração e lapidação das gemas. “Quando eu morava no Brasil, há três anos, usava máquinas ultrapassadas e nem sabia. Quando cheguei aos EUA, vi que eles estão muito à frente – tanto no manuseio das gemas como na venda. Não só aqui, na China também. Portanto, para empreender no setor é preciso uma aprendizagem constante”, finaliza.

Para mais informações, basta acessar: https://www.instagram.com/mr.gcoelho/

Website: https://www.instagram.com/mr.gcoelho/

Continuar Lendo
Anúncio
Clieque para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias

Efeito estufa ou aquecimento global? Qual a diferença?

Empresa de energia solar listou as diferenças entre aquecimento global e efeito estufa

Publicado

em

por

24/5/2022 –

Empresa de energia solar listou as diferenças entre aquecimento global e efeito estufa

As mudanças climáticas causadas pelo aquecimento global podem prejudicar muito o planeta, por isso, a hora de se movimentar é agora. Usando energia solar é possível diminuir a utilização de gases produzidos pelas usinas termoelétricas. Consequentemente, amenizam-se os efeitos do aquecimento global. Sendo assim, a energia solar é uma solução sustentável, pois vem de uma fonte renovável, limpa e não poluente

A SOL Copérnico, empresa cujo propósito é democratizar a energia solar e sustentável no Brasil, oferecendo soluções para a geração de energia fotovoltaica, listou as diferenças entre aquecimento global e efeito estufa:  

— A manutenção da vida na Terra depende de diversos fatores que precisam ser equilibrados, entre eles a temperatura.

— O Sol é grande fornecedor de energia do planeta e o calor emitido por ele nos aquece durante o dia e faz com que as plantas e plânctons produzam oxigênio.

— Calor de mais ou de menos coloca o planeta em risco. É por isso que a natureza atua de forma brilhante, emitindo gases que criam uma camada de proteção ao redor da Terra.

— Contudo, muitas atividades humanas aumentam a emissão de gases, fazendo com que a temperatura média do planeta se eleve.

— A luz entra, é absorvida e aquece o ambiente, por isso o nome efeito estufa. A consequência do efeito estufa é que conhecemos de como aquecimento global que, com o próprio nome diz, gera um aumento progressivo da temperatura da Terra. A temperatura da Terra fica bagunçada, fazendo com que o calor e frio extremos sejam vivenciados com mais frequência, prejudicando a agricultura, aumentando o nível do mar e colocando em risco diversas espécies.

Website: https://www.solcopernico.com.br/

Continuar Lendo

Notícias

Câmeras em uniformes de policiais são vistas como aliadas na segurança pública

Aliadas na redução de 87% dos confrontos em SP, câmeras em uniformes policiais também ajudam na coleta de provas

Publicado

em

por

São Paulo 24/5/2022 – Hoje, as imagens e áudios captados servem como meio probatório para processos penais

Aliadas na redução de 87% dos confrontos em SP, câmeras em uniformes policiais também ajudam na coleta de provas

A redução de 87% nas ocorrências de confrontos em São Paulo com o uso de câmeras operacionais portáteis é uma das comprovações da eficácia desta tecnologia como aliada da segurança pública. O levantamento da Polícia Militar do Estado de São Paulo analisou dados entre junho e outubro, de 2019 até 2021, e concluiu que as ocorrências de resistência a abordagens policiais também caíram (32,7%).

Em São Paulo, o governo pretende encerrar 2022 com mais de 10 mil bodycams instaladas nos uniformes de policiais. Em Santa Catarina, onde elas também são usadas, houve uma redução de 61,2% no uso da força (como contatos físicos e uso de algemas) pelos agentes. Na região Centro-Oeste, o Grupo Brako pretende levar a tecnologia a uma das capitais da região ainda neste ano.

“As câmeras corporais estão sendo uma ferramenta de coleta de dados para melhoria das ações dos agentes de segurança pública e vêm demonstrando grande capacidade de servirem como mais um elemento das garantias individuais, tanto para inibir abusos dos agentes em suas ações como para garantir sua defesa. Hoje, as imagens e áudios captados servem como meio probatório para processos penais”, explica o diretor de Engenharia do Grupo Brako, Gustavo Marchiori.

Há, ainda, a disponibilidade de câmeras embarcadas nas viaturas, que filmam dentro e fora do veículo, monitorando o comportamento do policial. Seja no uniforme ou na viatura, os benefícios associados ao uso desta solução são amplos:

• Aumento da transparência das ações policiais;

• Efeito civilizador, resultando em um melhor comportamento entre os agentes e os cidadãos;

• Diminuição das queixas dos cidadãos e rapidez na resolução de ocorrências, pois melhoram as provas;

• Comunicação mais rápida e eficaz entre os agentes e seus superiores, fornecendo subsídios visuais para o planejamento das ações e a transmissão de ordens;

• Acompanhamento em tempo real das ocorrências;

• Identificação de pontos fracos e desenvolvimento de melhorias, tais como oferecer novos programas de treinamento ou revisão de procedimentos e protocolos de ação.

Empresa de soluções tecnológicas customizadas, o Grupo Brako, oferece o equipamento usado por policiais e agentes da segurança. A câmera individual no uniforme tem capacidade de gravação e transmissão de áudio e vídeo, além de disponibilizar a localização geográfica. Com isso, há a possibilidade de acompanhamento remoto por uma central de monitoramento.

Website: http://www.grupobrako.com.br

Continuar Lendo

Notícias

Ferramentas que aumentam produtividade facilitam o trabalho remoto

Home-office foi adotado por 46% das empresas na pandemia, mas 67% dos gestores enfrentaram dificuldades; especialista comenta ferramentas que podem auxiliar no processo

Publicado

em

por

24/5/2022 – A principal necessidade […] está na facilitação da comunicação, na gestão de atividades e no controle da produtividade

Home-office foi adotado por 46% das empresas na pandemia, mas 67% dos gestores enfrentaram dificuldades; especialista comenta ferramentas que podem auxiliar no processo

A produtividade dos colaboradores é uma das principais preocupações para empresas de diferentes segmentos e portes. Com o advento do trabalho remoto, que foi adotado por 46% das empresas do país durante a pandemia de Covid-19, conforme balanço da FIA (Fundação Instituto de Administração) realizado com 139 pequenos, médios e grandes negócios, a preocupação atingiu outro patamar. Exemplo disso, mais da metade (67%) dos gestores enfrentaram alguma dificuldade em implementar o trabalho à distância, de acordo com a “Pesquisa Gestão de Pessoas na Crise Covid-19”, também elaborada pela FIA.

Neste contexto, algumas ferramentas podem aumentar a produtividade de uma empresa, possibilitando a continuidade do regime de teletrabalho para seus funcionários, afirma Marcelo Menezes, cofundador da Lean Solutions, empresa que atua com treinamentos corporativos e transformação digital.

“O home office é uma realidade do mercado. Não é raro encontrar pessoas que trabalham para empresas a quilômetros de distância do conforto da sua casa. A principal necessidade para esta nova configuração laboral está na facilitação da comunicação, na gestão de atividades e no controle da produtividade”, afirma.

Neste aspecto, para Menezes, algumas suítes de ferramentas são ideais para o desenvolvimento do teletrabalho. “Como referência nestas funções, estão o Microsoft Office 365, o Google Workstation e Salesforce. A grande diferença entre eles está no custo para implementação e a interface de uso, permitindo a adequação das soluções de teletrabalho a empresas de qualquer tamanho. Antes, limitado apenas às grandes corporações”.

Na visão do cofundador da Lean Solutions, o home office é um modelo que deve permanecer em voga no futuro pós-pandêmico, já que não existe uma discussão de retrocessos em diversos setores da indústria e dos serviços. O que se discute hoje é como implementar, em alguns casos, o trabalho híbrido, com preferência ao trabalho remoto.

“As oportunidades proporcionadas e a qualidade de vida que os colaboradores possuem trabalhando à distância criaram uma cadeia profissional, na qual os profissionais podem determinar qual tipo de trabalho melhor se adequa a seu próprio perfil”, explica Menezes. “Antes, as imposições vinham de cima para baixo. Hoje, empresas que voltaram ao modelo 100% presencial têm tido dificuldade em manter seus principais talentos”, acrescenta.

De fato, o home-office ampliou as possibilidades em um mercado de trabalho global. Segundo dados da Page Group, negócio de recrutamento do Reino Unido, a contratação de brasileiros por empresas estrangeiras cresceu 20% nos últimos 12 meses.

Para mais informações, basta acessar: https://www.leansolutions.com.br/office-365/

Website: https://www.leansolutions.com.br/office-365/

Continuar Lendo

Em Alta

...