Conecte-se conosco

Notícias

Afiliação ao Sistema IBVD pode ser alternativa de trabalho home office para a geração de renda residual

Nesse momento ímpar vivido pelo Brasil e pelo mundo, em que a pandemia de Covid-19 ocasionou o crescimento das atividades home office, ampliam-se as oportunidades de obter renda sem sair de casa e de empreender com poucos recursos.

Publicado

em

São Paulo, SP 4/2/2021 – O momento é bastante propício para empreendedores que têm um projeto de obter renda pela internet e que muitas vezes não sabem por onde começar

Nesse momento ímpar vivido pelo Brasil e pelo mundo, em que a pandemia de Covid-19 ocasionou o crescimento das atividades home office, ampliam-se as oportunidades de obter renda sem sair de casa e de empreender com poucos recursos.

O faturamento do e-commerce brasileiro em 2020, conforme os últimos dados apurados pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), deverá superar R$ 100 bilhões, o que representa crescimento de 18% em relação a 2019. Ainda que seja um balanço parcial, tudo indica o acerto da estimativa. A EbitNielsen, consultoria especializada na mensuração e análise do comércio eletrônico no país, já tem até uma estimativa para 2021, quando se espera um movimento de R$ 110 bilhões.

Segundo o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 94% dos domicílios brasileiros estão conectados à internet pelo celular e mais de 96% desse público está em alguma rede social. Ações efetivas, como compras, cursos, debates, mensagens, entre outros posicionamentos, envolvem 87% dos brasileiros, conforme levantamento da Abcomm. Pelo lado corporativo, cada vez mais empresas seguem a trilha do digital em busca desses perfis diversos de consumidores, abrindo canais de vendas em alguma mídia social. Eis um dos motivos que justifica o crescimento continuado do marketing digital há vários anos.

“O momento é bastante propício para empreendedores que têm um projeto de obter renda pela internet e que muitas vezes não sabem por onde começar”, opina Edmundo Roveri, CEO da plataforma Sistema IBVD, criador da comunidade Empreenda com Liberdade e autor de sete livros sobre empreendedorismo digital.

Ele informa que muitas pessoas retardam o início do negócios por acreditar que seus projetos demandam investimentos que elas não dispõem, mas esquecem de que a falta de capital hoje não é um problema. “O mercado está cheio de provedores bons e confiáveis que por um pequeno valor monetário mensal fornecem tudo o que empreendedor precisa para iniciar o seu negócio, incluindo ferramentas de relacionamento com os clientes”, comenta Roveri.

A plataforma Sistema IBVD é uma delas. Trata-se de um estrutura pensada em cada detalhe para que qualquer pessoa com um projeto de negócio digital possa criar suas páginas, estruturar equipes remotas de vendas, segmentar a comunicação para seus diversos públicos, organizar disparos automáticos de e-mail, criar campanhas de marketing, programar relacionamentos para a geração de leads, entre outras facilidades.

São mais de 200 templates prontos para serem copiados, colados e editados de acordo com a necessidade do empreendedor. Roveri garante que é possível a qualquer pessoa, com ou sem conhecimento digital, sair do zero e ter uma página de prospecção 100% operacional em apenas cinco minutos. “E o mais importante, por um preço que todo mundo pode pagar”, informa.

Esse movimento é uma tendência que vai se confirmando a cada dia.
Além das empresas, que sem atuação digital perdem cada vez mais espaço no mercado e por isso aderem em profusão ao segmento, pessoas físicas também buscam no marketing digital uma alternativa ao desemprego, ou de conseguir uma renda extra, quando os seus rendimentos não atendem suas necessidades.

O índice de ocupação dos brasileiros em 2020, segundo o IBGE, foi menor. O desemprego atingiu 13,8 milhões de pessoas, ou 14,4% da População Economicamente Ativa (PEA). O próprio IBGE aponta crescimento no número de pequenos empreendedores que veem no marketing digital alguma possibilidade de gerar renda.

Na prática, vários fatores associados ajudam na expansão de atividades empresariais sob o guarda-chuva do marketing digital. Enquanto o mundo vive a pandemia de Covid-19, com a sistematização do isolamento e do home office, crescem as oportunidades de negócios tendo a internet como principal canal para chegar aos clientes.

No Brasil, a demanda por delivery cresceu mês a mês em 2020 em consequência do isolamento social. Só no trimestre de julho a setembro o aumento foi superior a 85%, resultando em vendas de R$ 33,4 bilhões. Nos quatro primeiros meses do ano, uma gigante do marketplace atraiu 183 milhões de visitas, segundo pesquisa da SEMrusch, líder global do marketing digital.

“Diante dessa realidade, quem deseja entrar para o mundo dos negócios e quer começar pelo marketing digital, as possibilidades são infinitas”, opina Roveri. Ele lembra que mesmo sem um projeto estruturado, a pessoa pode começar a empreender como afiliado de um projeto em andamento enquanto adquire conhecimento e experiência para alçar voos maiores.

A plataforma Sistema IBVD, segundo Roveri, tem diversos produtos digitais disponíveis para o mercado e compreende a alternativa de parceiros no negócio para atuar como afiliados. O empreendedor começa divulgando os infoprodutos IBVD para a sua base de contatos com a orientação técnica necessária, treinamentos e cursos e ganha comissão pelas suas vendas a cada fechamento de contrato. A partir daí, diz Roveri, todo mês ele terá uma renda residual, pois passará a receber uma parte do valor das mensalidades pagas pelos clientes que ele conquistou.

O marketing digital é uma realidade na vida das pessoas e das empresas, observa Roveri, e cresce vertiginosamente a oferta de oportunidades de ganhar dinheiro por esse meio. “Hoje, com um pequeno investimento, pode-se alcançar grandes resultados”, conclui.

Mais informações sobre a plataforma Sistema IBVD estão disponíveis no endereço: http://www.sistemaibvd.com

Website: http://www.sistemaibvd.com

Continuar Lendo
Anúncio

Notícias

Debate aborda formas de combater o trabalho escravo

O encontro é iniciativa do Grupo de Trabalho (GT) do Coexistir, que reúne mais de 100 participantes de 40 empresas de vários segmentos, além do varejo de alimentos, e faz parte do Acordo de Cooperação Técnica com a Superintendência Regional do Trabalho.

Publicado

em

por

Sao Paulo, SP 12/4/2024 –

O encontro é iniciativa do Grupo de Trabalho (GT) do Coexistir, que reúne mais de 100 participantes de 40 empresas de vários segmentos, além do varejo de alimentos, e faz parte do Acordo de Cooperação Técnica com a Superintendência Regional do Trabalho.

O Sincovaga-SP (Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios do Estado de São Paulo), que representa mais de 35 mil empresas do segmento, realizará no dia 17/04, quarta-feira, das 9h às 11h30, um encontro para debater o tema “Não ao trabalho escravo – Construindo pontes para o trabalho digno”, no auditório da sede da entidade (R. 24 de Maio, nº 35, 16º andar, Centro, São Paulo/SP.).

O encontro é iniciativa do Grupo de Trabalho (GT) do Coexistir, que reúne mais de 100 participantes de 40 empresas de vários segmentos, além do varejo de alimentos, e faz parte do Acordo de Cooperação Técnica com a Superintendência Regional do Trabalho de São Paulo.

Os especialistas convidados são

– Evandro Afonso de Mesquita – Auditor Fiscal do Trabalho;

– Paulo Roberto Warlet da Silva – Auditor Fiscal do Trabalho;

– Luís Gustavo Ponciano Pereira – Chefe da Seção de Operações na Superintendência Regional da Polícia Rodoviária Federal em São Paulo.

Serviço

Debate: “Não ao trabalho escravo – Construindo pontes para o trabalho digno”

Data: 17/04, quarta-feira, das 9h às 11h30

Local: Sincovaga-SP (Rua 24 de Maio, nº 35, Sala 1.616, República, São Paulo/SP.)

Inscrições gratuitas: Até o dia 15/04, clicando aqui.

_______________________________________________________________

Website: https://www.sincovaga.com.br

Continuar Lendo

Notícias

Brasileiro mira no mercado de cibersegurança nos EUA

A empresa Barroso Security Dynamics será conduzida pelo especialista Fábio Costa Barroso e se concentrará em fornecer soluções avançadas para proteger empresas, indivíduos e entidades governamentais

Publicado

em

por

Vespasiano, MG 12/4/2024 – Na era digital, proteger informações sensíveis é primordial para preservar a integridade de espaços privados e comerciais

A empresa Barroso Security Dynamics será conduzida pelo especialista Fábio Costa Barroso e se concentrará em fornecer soluções avançadas para proteger empresas, indivíduos e entidades governamentais

A segurança cibernética é um assunto que vem sendo tema de discussões em nível mundial. Conforme dados de um relatório da Trend Micro, empresa de segurança de dados, os Estados Unidos foram o país que mais sofreram com ataques cibernéticos em 2023. Para se ter uma ideia, o tipo mais comum de crime cibernético relatado ao Centro de Reclamações de Crimes na Internet do país foi o phishing e spoofing, afetando aproximadamente 298 mil pessoas. Além disso, mais de 55 mil casos de violações de dados pessoais foram relatados ao IC3 durante o ano passado.

Com o advento da internet, pessoas físicas, empresas e sistemas governamentais estão sujeitos a esse tipo de crime. Dentre as complicações que um ataque cibernético pode causar estão comprometer a privacidade de dados e documentos, deixar sistemas fora do ar e restringir controle de dispositivos, como câmeras de segurança de residências, por exemplo.

Para o advogado e policial militar Fábio Costa Barroso, a digitalização é uma das grandes responsáveis pelo aumento de ameaças digitais e a prevalência de roubos, tanto físicos quanto cibernéticos, exige atenção imediata. “Na era digital, proteger informações sensíveis é primordial para preservar a integridade de espaços privados e comerciais”, explica ele, que atua na área há mais de 15 anos.

Pensando nisso, Barroso decidiu investir no mercado norte-americano de cibersegurança e comandará a Barroso Security Dynamics. A empresa, que ficará localizada em Orlando, na Flórida, se concentrará em fornecer soluções tanto para segurança cibernética quanto física para empresas, indivíduos e entidades governamentais. “Reconheço a necessidade crítica de medidas de segurança avançadas, por isso trabalharei com uma abordagem integrada para antecipar futuras necessidades de segurança, estabelecendo assim um novo padrão em serviços de segurança privada”, determina o profissional.

De acordo com Barroso, as operações de segurança da organização estão alinhadas com iniciativas nacionais de cibersegurança, como a Ordem Executiva 14028, que se concentra na redução do crime e na prosperidade econômica dos Estados Unidos, visando áreas carentes do país. “Por meio dessas iniciativas, pretendo atender às demandas de segurança atuais e me posicionar como um jogador-chave na formação de uma sociedade mais segura nos Estados Unidos”, finaliza.

Sobre o profissional:

Fábio Costa Barroso é bacharel em Direito pela Universidade Novos Horizontes, em Minas Gerais, e possui pós-graduação em Direito aplicado à Segurança Pública. Ao longo de sua carreira, dedicou mais de 15 anos à Polícia Militar de Minas Gerais. 

Website: https://premiumgmp.com/

Continuar Lendo

Notícias

Busca pela aparência movimenta mercado da estética

Uma pesquisa da ISAPS apontou que procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos tiveram aumento de 19,3%

Publicado

em

por

Belo Horizonte 12/4/2024 – a busca por tratamentos modernos e não-evasivos reflete a mudança de paradigma por resultados estéticos e métodos minimamente invasivos

Uma pesquisa da ISAPS apontou que procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos tiveram aumento de 19,3%

Uma pesquisa feita pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética – International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), divulgou resultados sobre procedimentos estéticos/cosméticos, apontando um aumento geral de 19,3 % nos procedimentos feitos por cirurgiões plásticos em 2021, com mais de 12,8 milhões de métodos cirúrgicos e 17,5 milhões não cirúrgicos realizados no planeta. Ainda de acordo com a pesquisa, os cinco procedimentos mais comuns no mundo continuam sendo a lipoaspiração, o aumento dos seios, a cirurgia de pálpebras, a rinoplastia e a abdominoplastia. Já os não cirúrgicos são a toxina botulínica, o ácido hialurônico, a depilação, o lifting facial e a redução de gordura.

No Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), só em 2023 mais de 2 milhões de procedimentos foram realizados pela população brasileira, sendo que a lipoaspiração seguida das próteses mamárias foram os procedimentos mais procurados pelos pacientes.

No panorama da estética, de acordo com Simone Barros, fisioterapeuta dermatofuncional, fundadora da Clínica Simone Barros, em Belo Horizonte, “a busca por tratamentos modernos e não-evasivos reflete a mudança de paradigma por resultados estéticos e métodos minimamente invasivos”. E complementa dizendo que “essa direção reflete não apenas uma mudança nas expectativas do paciente, mas também uma valorização da individualidade”. 

Simone diz que, “na Clínica Simone Barros, nos últimos dois anos, os procedimentos mais procurados pelos pacientes incluem criolipólise, endolaser, ultraformer, radiofrequência, lavien, morpheus, depilação e laser”.

Clínica Simone Barros

Fundada em Belo Horizonte (MG), a Clínica Simone Barros presta serviços de estética e tem parcerias com médicos dermatologistas e nutricionistas. A clínica valoriza a saúde e o relacionamento com o paciente, além da estética. Cada caso é avaliado e tratado individualmente e o objetivo é superar as expectativas dos clientes.

Continuar Lendo

Em Alta

...