Conecte-se conosco

Notícias

Como manter a organização da vida financeira e bancária em tempos digitais

Na era de bancos e fintechs, ferramentas auxiliam na tarefa para não se perder nas contas

Publicado

em

10/3/2021 –

Na era de bancos e fintechs, ferramentas auxiliam na tarefa para não se perder nas contas

Saber organizar as contas e finanças pessoais é uma tarefa do cotidiano que pode trazer dor de cabeça e estresse para as pessoas. Qualquer erro no cálculo ou um gasto além do previsto pode prejudicar o mês e deixar o dinheiro mais curto.

Por isso, é fundamental saber lidar com o dia a dia de contas, equilibrar a renda com as despesas fixas e variáveis que todo mundo tem em um mês. De acordo com pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito – o famoso e temido SPC – 46% dos brasileiros não controlam seu orçamento.

No entanto, hoje em dia a tecnologia está presente em quase tudo que se faz. E, claro que não poderia ficar de fora de uma função tão fundamental como esta para a vida das pessoas. Os bancos digitais já são uma realidade muito presente e que cada vez mais se consolidam como opção para facilitar a rotina financeira de correntistas e empreendedores.

Dentro dos próprios aplicativos dos bancos, entre inúmeras funcionalidades, é possível fazer cálculos, simular investimentos e agendar pagamentos importantes, para que o dinheiro seja mais bem aproveitado e consequentemente renda mais.

Fechando as contas no azul

O primeiro objetivo de um cotidiano financeiro organizado e controlado é justamente terminar o mês no azul, ou seja, com mais renda do que gastos. Para isso, é importante saber exatamente quanto vai entrar na conta, para garantir que ao pagar todos as contas, o saldo não fique negativo.

Separar uma reserva de emergência também é uma dica valiosa. Estar preparado para imprevistos faz toda a diferença para não criar dívidas ou deixar o nome sujo. Por isso, é importante reservar uma parte do orçamento para o caso de o pneu furar, o chuveiro queimar ou qualquer coisa fora dos planos que exija um gasto inesperado.

Para ajudar nesse controle, a maioria dos bancos, tradicionais e principalmente digitais, oferecem diversos recursos interessantes pelo próprio app. A consulta instantânea de saldo e extrato, débito automático de despesas fixas e o cartão pré-pago, que ajuda a frear os gastos são algumas das opções que os bancos e fintechs disponibilizam aos correntistas para se organizarem financeiramente.

Para Márcio Barnabé, Chief Marketing Officer da UzziPay, a digitalização dos bancos é uma grande aliada da educação financeira. “A digitalização do sistema bancário fez as pessoas olharem com mais atenção para a educação financeira. Agora é mais fácil se controlar, com extratos e pagamentos na palma da mão”, afirma. A UzziPay é uma fintech com engajamento no desenvolvimento sustentável que possui a proposta de preservar uma árvore na Amazônia a cada novo cliente.                                                                                                                                                                                                                             
Destinando o dinheiro com sabedoria

Seja qual for a meta traçada e em quanto tempo se pretende chegar nela, o essencial para todas elas consiste no planejamento. Montar uma poupança, investir ou apenas guardar uma parte do salário é um passo importante para conquistar o objetivo.

Controlar os impulsos na hora das compras também é necessário para economizar. Não agir pela emoção pode evitar gastos desnecessários e compras exageradas. Abrir mão de pequenas coisas em prol de um objetivo maior pode ser um incentivo para se segurar no supermercado, no shopping e na internet.

Comprar no impulso é um grande inimigo da educação financeira e atrapalha a vida de muita gente. De acordo com o SPC, seis em cada dez consumidores realizam compras no impulso e roupas, calçados e acessórios são os líderes em compras não planejadas, com 19%. O supermercado vem logo na sequência, com 17%.

Projetos em longo prazo também são fundamentais para ajudar a controlar os gastos supérfluos. Ter uma base de investimentos, um consórcio ou até mesmo o tradicional cofrinho são meios seguros de guardar dinheiro. Além disso, no mercado atual, existe uma modalidade de poupança ou investimento mais adequada para cada perfil, basta selecionar a preferida, levando em conta também que as parcelas não devem pesar a ponto de prejudicar o orçamento no dia a dia.

Uma informação interessante é que, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) o cartão de crédito continua sendo o mais apontado pelos brasileiros como a principal modalidade de endividamento: 77,6%. Carnês (17,5%) e financiamento de veículos (10,2%) também permanecem na segunda e terceira posições, respectivamente.

Diante deste cenário, o mais assertivo é apostar na educação financeira desde cedo como uma forma de orientar os jovens de agora para se tornarem adultos com uma maior consciência financeira no futuro. “Uma forma interessante de ensinar sobre administração financeira para os adolescentes, por exemplo, é por meio do cartão pré-pago. A alternativa permite que os adultos responsáveis o carreguem com uma determinada quantia em dinheiro e o portador poderá gastar apenas o que tem disponível de saldo”, explica Barnabé.

Agora, uma forma de ganhar dinheiro usando os serviços bancários é através do “cashback”. Trata-se de um programa por meio do qual o consumidor tem acesso a diversas lojas parceiras, pelo site do “cashback”, que possibilitam o recebimento de parte do valor investido em suas compras.

Empreendedores também precisam se organizar

Ao abrir um CNPJ, o empreendedor ou microempresário individual – MEI – passa a ter uma função ainda mais complexa: organizar as finanças pessoais e as finanças da empresa. Esse é um passo fundamental para a prosperidade de qualquer negócio e um erro comum que deve ser evitado é justamente misturar as duas coisas.

“Algumas pessoas usam dinheiro da empresa para contas pessoais ou vice-versa, e isso pode acabar prejudicando a saúde financeira dos dois. É importante separar a pessoa física da pessoa jurídica e entender que cada uma delas tem o seu orçamento, rendas e débitos próprios”, esclarece Barnabé.

Para ajudar nessa tarefa, a UzziPay lançou recentemente a Conta Digital PJ, com funcionalidades exclusivas para empresas. Entre essas vantagens, destacam-se os extratos personalizados, a folha de pagamentos com agendamento de salário e o boleto de cobrança com memorização de dados.

Continuar Lendo
Anúncio
Clieque para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

Covid-19: pessoas já infectadas devem esperar um mês antes de vacinar

Publicado

em

Crédito: ©Tânia Rêgo/Agência Brasil

Recomendação é de médicos infectologista.

O Brasil registrou até ontem (10) 13.445.006 pessoas infectadas desde o início da pandemia, cerca de 6% da população brasileira. No momento em que a vacinação contra a covid-19 está sendo realizada no país, uma das dúvidas mais comuns é o que muda no caso de quem já teve a doença quando da aplicação da vacina.

Segundo o infectologista Hemerson Luz, quem já teve a covid-19 deve esperar ao menos um mês antes de tomar a vacina contra a doença. Esse intervalo é contado a partir de 14 dias depois do diagnóstico positivo, quando foi convencionado que a pessoa se livra do vírus.

Ele explica que ainda não há publicações e estudos demonstrando efeitos, mas que médicos têm adotado esse tempo mínimo para evitar potenciais efeitos adversos.

Se a pessoa tiver com a doença aguda, com febre e com sintomas da covid-19, ela não deve se vacinar. Antes disso, deve procurar um médico para receber orientações e ter um diagnóstico se está ou não com a covid-19.

“Se tiver com sintomas vou esperar encerrar o meu quadro. Se eu tiver com sintomas, tenho que procurar o médico para verificar o diagnóstico. Se tiver infectado, tem que aguardar até resolver o quadro e aí depois de 30 dias”, explica o infectologista.

Luz lembra que a vacina pode causar efeitos adversos, em geral no local da aplicação, como inchaço, vermelhidão, febre ou indisposição. Mas essas reações não duram mais de 48 horas e podem ser tratadas com remédios como analgésicos e antitérmicos.

O infectologista alerta que quem já foi infectado pode contrair a covid-19 novamente, mas o quadro deve ser brando. “A [vacina] CoronaVac tem eficácia de 50% para pegar a doença, mas é 100% eficaz contra o caso grave. A [vacina] Oxford/AstraZeneca é um pouco mais efetiva, a 70%, mas mesmo assim existe possibilidade de ficar doente”, disse.

O infectologista ressalta a importância da vacinação mesmo para quem já teve a covid-19. E acrescenta que não é preciso ter receio, pois não há chance da vacina causar doenças. Mesmo aquelas que utilizam vírus inativados não têm qualquer possibilidade de replicação do vírus no organismo.

 

Por | Jonas Valente – Repórter Agência Brasil – Brasília

Continuar Lendo

Notícias

Cadastro de imóveis rurais será completamente digitalizado

Publicado

em

Crédito: ©Marcelo Camargo/Agência Brasil

Procedimento poderá ser concluído em página da Receita na internet.

Os donos de imóveis rurais não precisarão mais ir a uma unidade de atendimento da Receita Federal para atualizarem ou cadastrarem a propriedade. O procedimento poderá ser concluído diretamente no Centro Virtual de Atendimento da Receita (e-CAC).

Agora, todos os documentos pedidos pela Receita Federal para validar o cadastro rural podem ser enviados digitalmente pelo e-CAC. Segundo o Ministério da Economia, a medida faz parte do Plano de Ação da Receita Federal no cenário pós-pandemia e contribui para a digitalização dos serviços públicos.

Os documentos serão enviados ao e-CAC por meio de Dossiê Digital de Atendimento. Caso sejam necessários novos documentos, eles deverão ser apresentados por meio da juntada de documentos, disponível na aba “Meus Processos”. Esclarecimentos adicionais e a confirmação de que o cadastro foi concluído passarão a ser efetuados eletronicamente.

Todos os imóveis rurais precisam ser inscritos no Cadastro de Imóveis Rurais (Cafir), mesmo os que têm imunidade ou isenção de Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR). Administrado pela Receita Federal, o Cafir lista os titulares, os condôminos e copossuidores das propriedades rurais.

Além do Cafir, os imóveis rurais são registrados no Cadastro Nacional de Imóveis Rurais (Cnir), que integra dados do Sistema Nacional de Cadastro Rural (SNCR), do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

O envio eletrônico de documentos está disponível para quem inicia o processo pelos dois cadastros. Tanto quem usa o Sistema Cnir como para quem usa o Sistema Coletor Web, associado ao Cafir e administrado pela Receita Federal, poderá concluir o processo pelo e-CAC.

 

Por | Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Continuar Lendo

Notícias

Intelsat abre três novos Centros de Suporte a Clientes no Brasil, África do Sul e Índia

Empresa expande sua capacidade de atendimento ao cliente

Publicado

em

por

9/4/2021 –

Empresa expande sua capacidade de atendimento ao cliente

A Intelsat, operadora da maior rede integrada terrestre e por satélite do mundo, está expandindo sua capacidade de suporte ao cliente com a abertura de três novos Centros de Operações aos Clientes no Rio de Janeiro (Brasil), em Joanesburgo (África do Sul) e em Chennai (Índia).

Os centros são um componente-chave da experiência ao cliente Intelsat, 24 horas por dia, 7 dias por semana, fornecendo solução de problemas no idioma local, ativações de serviço, monitoramento e todo tipo de suporte em diferentes fusos horários e idiomas, incluindo português, inglês, francês e espanhol.

Todos os três centros já estão em operação, com funcionários trabalhando remotamente por causa das precauções de segurança para evitar a COVID-19. E todos foram concebidos tendo como base os Centros de Suporte ao Cliente da Intelsat existentes em Ellenwood, na Geórgia e McLean, na Virginia.

A Intelsat contratou 10 funcionários para o centro sediado no Rio de Janeiro e planeja contratar especialistas adicionais no segundo semestre de 2021. Os técnicos da equipe são fluentes em português e espanhol para ajudar a atender às centenas de clientes da Intelsat em toda a América Latina. A Intelsat também planeja incluir mais especialistas às equipes de Joanesburgo e Chennai até o fim do ano.

“Ser capaz de fornecer esse tipo de suporte aos nossos clientes, em sua própria região e idioma, é uma grande mudança. Nossa equipe sabe exatamente como resolver qualquer problema para que nossos clientes não tenham preocupação alguma”, explica Felippe Paiva, especialista sênior em atendimento ao cliente na Intelsat Brasil.

Paiva e outros especialistas do Centro de Operações aos Clientes irão ajudar a:

– Resolver quaisquer problemas técnicos ou de serviço;
– Monitorar sinais e níveis de serviço;
– Realizar consultas sobre novos serviços e soluções;
– Ativar e configurar novos serviços e terminais.
– “Estamos expandindo nossa infraestrutura de suporte para potencializar o futuro de nossos clientes,” diz Mike DeMarco, Chief Services Officer da Intelsat. “Nossas equipes regionais falam a língua local, entendem a cultura, as prioridades, as equipes e as plataformas de serviço dos nossos clientes.”

DeMarco completa, “A excelente equipe de operações de experiência ao cliente da Intelsat fornece uma camada adicional de suporte técnico aos nossos clientes, com um time dedicado para garantir não só o atendimento como a superação de suas expectativas. É a experiência completa da Intelsat – nossa rede, nosso pessoal e nosso suporte ao cliente – que nos torna os melhores nesse mercado.”

Além de suporte presencial ao vivo, a Intelsat também oferece a conveniência de várias ferramentas digitais de autoatendimento para simplificar a experiência de serviço de seus clientes. “Para saber mais sobre o suporte ao cliente Intelsat, basta acessar: www.intelsat.com/about-us/customer-experience/.

Website: https://www.intelsat.com/pt-br/

Continuar Lendo

Em Alta

...