Conecte-se conosco

Notícias

Empresa do setor financeiro ensina como é possível aumentar os ganhos, quitar débitos e se tornar um especialista em dívidas

Cresce cada vez mais a busca por cursos sobre finanças e investimentos enquanto famílias brasileiras permanecem endividadas.

Publicado

em

São Paulo – SP 27/1/2021 – Recomeçar é um caminho árduo, mas o resultado é compensatório. Mas a ausência da educação financeira é um rápido caminho para a falência.”

Cresce cada vez mais a busca por cursos sobre finanças e investimentos enquanto famílias brasileiras permanecem endividadas.

Algumas das perguntas mais digitadas nos sites de buscas nos últimos meses estão relacionadas a como aumentar a renda ou reduzir dívidas. Mas é preciso cuidado ao selecionar uma resposta idônea. Nunca houve, no Brasil, uma onda tão grande de endividados e também de novos empreendedores.

E o que pouca gente sabe é que há oportunidades de trabalho no setor de dívidas. Um analista da área pode se tornar um especialista e, além de gerar sua própria renda, ajudar milhares de outras pessoas.

O país registrou no final de 2020 o maior número de novos empreendedores de todos os tempos. Para se ter uma ideia, o número de MEIs – Microempreendedores Individuais chegou a 10,9 milhões de registros só nos primeiros 9 meses do ano passado. Já o número de desempregados chegou a quase 14 milhões (13,5), segundo dados do IBGE divulgados em setembro de 2020.

Em contrapartida também cresceu o número de endividados. Quase 12% das famílias brasileiras não terão condições de pagar suas dívidas este ano. Dessas, 13,7% possuem renda inferior a dez salários mínimos. Já o número de endividados com renda acima dos dez salários chega a 59,4%.

Mas também é preciso considerar o começo de uma mudança de comportamento do brasileiro. Há registros de aumento na procura por cursos sobre educação financeira, investimento na bolsa de valores e compra de livros ligados ao setor. Ainda é possível equilibrar de modo mais justo essa balança. Uma maneira de fazer isso é compartilhando conhecimento, buscando novas soluções na economia.

Muita gente acha que os bancos, por exemplo, donos da origem das maiores dívidas do brasileiro (cheque especial, empréstimos e cartão de crédito) ganham dinheiro com as taxas e juros, mas, na verdade, é com o chamado Spread Bancário. Os bancos pagam por produtos que os clientes emprestam a eles, como: CDB, Poupança, RDB, entre outros. Todos investem nos bancos de alguma forma, emprestando dinheiro a eles assim. A instituição, por sua vez, paga por esse empréstimo a taxa SELIC, hoje em torno dos 2%. Mas quando ele vende, o valor cobrado é muito mais alto. A taxa do cheque especial, por exemplo, beira 8% ao mês. Ou ainda, pelo cartão de crédito, que sozinho chega a ter 6 taxas embutidas, com os juros mais altos que pode chegar a 747% ao ano dependendo do cartão.

Para Diná Fonseca e Sebastião de Castro, poder contar com a consultoria de um especialista foi fator crucial para a mudança de vida do casal: “A gente viu que vai poder sair do sufoco e vamos poder realizar outros sonhos”.

A ACREDITTI, empresa do setor de Prevenção de bens alienados e Redução de Dívidas, desenvolveu um webinar gratuito sobre a formação de Especialista em Dívidas. O Evento será realizado no dia 10 de fevereiro, de forma on-line e gratuita.

Para Marcelo Alencar Jr, CEO do Grupo ACREDITTI, organizador e palestrante do evento, “A ausência da educação financeira é um rápido caminho para a falência.” Aos 28 anos, Marcelo é CEO de 12 empresas e encontrou no setor financeiro e de dívidas o propósito de sua vida profissional. A empresa realiza formações e outros eventos constantemente, como o ACREDITE DAY, realizado em dezembro no Allianz Parque, em São Paulo.

“Recomeçar é um caminho árduo, mas o resultado é compensatório”, destaca Marcelo, que percebeu a dificuldade de milhares de pessoas durante a pandemia, e que agora podem ter a chance que tanto procuravam.

Para mais informações sobre o webinar e o Grupo ACREDITTI, basta acessar o site https://www.acreditti.com.br

Website: http://www.acreditti.com.br

Continuar Lendo
Anúncio

Notícias

Flórida é o terceiro estado com mais brasileiros nos EUA

Em média, 400 mil brasileiros vivem, estudam e trabalham na Flórida; Alessandra Crisanto, CEO da Study & Work USA, explica por que estudar na Flórida é opção para brasileiros

Publicado

em

por

17/4/2024 –

Em média, 400 mil brasileiros vivem, estudam e trabalham na Flórida; Alessandra Crisanto, CEO da Study & Work USA, explica por que estudar na Flórida é opção para brasileiros

A Flórida é o terceiro estado dos Estados Unidos com a maior concentração de brasileiros (295 mil), ficando atrás apenas de Nova York (500 mil) e Boston (390 mil). A estimativa integra o documento “Comunidades Brasileiras no Exterior”, divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores. O estudo compila estatísticas atualizadas sobre a quantidade de cidadãos que vivem fora do Brasil e sua distribuição pelo mundo.

De acordo com a estimativa, que utiliza insumos relativos ao ano-base de 2022, enviados pelos postos do Itamaraty no exterior, cerca de 4,5 milhões de brasileiros vivem em outros países. Destes, 1,9 milhões de pessoas vivem nos Estados Unidos. Em seguida, Portugal (360 mil), Paraguai (254 mil), Reino Unido (220 mil), Japão (206 mil) e Espanha (165 mil) são os países com as maiores comunidades brasileiras no exterior.

Aliás, estimativas apontam que, em média, 400 mil brasileiros vivem, estudam e trabalham na Flórida, especialmente nas cidades de Orlando e Miami – cerca de 22% da população de brasileiros nos Estados Unidos, 

Para a advogada e empreendedora digital brasileira Alessandra Crisanto, CEO da Study & Work USA – startup estadunidense representante de mais de 120 universidades americanas -, há muito tempo, a Flórida tem sido um “farol” de oportunidades para brasileiros em busca de novos horizontes.

“Com seu clima agradável, cultura vibrante e economia próspera, não é surpresa que um número crescente de brasileiros esteja escolhendo fazer do ‘Estado do Sol’ sua casa”, diz Crisanto, que é mestre em direito internacional com ênfase em Direito da Internet (LLM).

Além disso, a empresária é mestre em Ciências de Gestão com ênfase em marketing digital e advogada licenciada pela OAB/SP (Ordem dos Advogados do Brasil – São Paulo), com mais de vinte anos de experiência, especialista em International Higher Education, Educação internacional, Imigração para a US-based Immigration e certificação como Tradutora Juramentada do governo australiano – país onde também adquiriu residência permanente.

“Nos últimos anos, uma tendência notável entre os brasileiros que se mudam para a Flórida é a busca por educação superior”, afirma Crisanto. “Muitas pessoas optam por aproveitar a oportunidade de fazer um mestrado na Flórida, que não só oferece programas acadêmicos de alta qualidade, mas também proporciona a flexibilidade para os estudantes adquirirem experiência de trabalho enquanto estudam”, complementa.

A advogada também destaca que a Flórida possui uma série de universidades que atendem a uma variedade de interesses acadêmicos. “Essas instituições, incluindo universidades em Orlando, Tampa e Miami, oferecem diversas oportunidades de bolsas de estudo para estudantes internacionais, tornando o ensino superior na Flórida mais acessível e viável”, explica.

Estudar na Flórida é opção para brasileiros

Na visão de Crisanto, uma dos principais atrativos de fazer um mestrado na Flórida é a oportunidade que a formação oferece aos estudantes para imergir no dinâmico ambiente empresarial do estado”: “Com suas indústrias em expansão em tecnologia, saúde, turismo e muito mais, a Flórida oferece uma infinidade de oportunidades de estágio e emprego para profissionais aspirantes”.

Para a empreendedora brasileira, ao combinar estudos acadêmicos com experiência prática de trabalho, os estudantes podem desenvolver as habilidades e conhecimentos necessários para se destacarem em suas áreas de atuação.

“Além disso, a atmosfera acolhedora e a população diversificada da Flórida a tornam um destino ideal para estudantes internacionais”, considera. “De festivais culturais vibrantes a centros urbanos movimentados e praias intocadas, a Flórida oferece uma rica tapeçaria de experiências para os estudantes explorarem e desfrutarem durante o tempo em que estiverem no estado”, afirma.

Para Crisanto, a Flórida possui uma economia em crescimento, universidades de destaque mundial e qualidade de vida, razão pela qual o estado continua a atrair um número crescente de residentes de todo o mundo. “Para os brasileiros que desejam embarcar em um novo capítulo de suas vidas, fazer um mestrado na Flórida apresenta uma oportunidade única de combinar excelência acadêmica com crescimento profissional em um dos estados mais dinâmicos e emocionantes dos Estados Unidos”, articula.

Para mais informações, basta acessar: https://alecrisanto.com.br/ ou https://www.instagram.com/alessandra.crisanto/

Continuar Lendo

Notícias

Estudo aponta países líderes no envio de turistas ao Brasil

Pesquisa realizada por site de viagens faz levantamento dos países que prometem enviar mais turistas ao Brasil em 2024. O estudo também aponta Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo como destinos mais buscados pelos visitantes estrangeiros

Publicado

em

por

17/4/2024 –

Pesquisa realizada por site de viagens faz levantamento dos países que prometem enviar mais turistas ao Brasil em 2024. O estudo também aponta Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo como destinos mais buscados pelos visitantes estrangeiros

O site de viagens Kayak divulgou uma pesquisa que mostra quais países prometem enviar mais turistas ao Brasil em 2024. Estados Unidos, Portugal e França aparecem na liderança dos países de origem entre os viajantes que buscaram passagens aéreas para o território brasileiro entre janeiro e novembro de 2023, para viagens a serem realizadas neste ano, de acordo com o levantamento da plataforma.

O estudo apontou também quais são os destinos mais buscados pelos turistas estrangeiros no Brasil em 2024. A cidade do Rio de Janeiro aparece em primeiro lugar na eleição feita pela ferramenta “Explore Kayak” com 22% da intenção de viagem entre os turistas de fora do país, seguida por Salvador, com 15%, e São Paulo, com 5% de preferência entre os estrangeiros.

Felipe Oliveira Pedreira, proprietário da Bahia Terra Turismo e Eventos, considera que este tipo de pesquisa é importante para que o mercado do turismo possa se programar e se preparar para receber a demanda turística internacional. “É essencial que as cidades aproveitem essa oportunidade e se programem melhor para receber os turistas estrangeiros, capacitando a mão de obra local, tanto pública como privada, além de estruturar portos e aeroportos do país”.

Presença de turistas estrangeiros cresce na Bahia

A Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur-BA) divulgou que a chegada de turistas estrangeiros no estado cresceu 40% em janeiro deste ano, em comparação ao mesmo mês do ano passado, com cerca de 16,4 mil viajantes do exterior chegando aos aeroportos baianos. O crescimento do turismo estrangeiro no estado contrasta com os resultados obtidos a nível nacional, que teve queda de 1,5% na média dos desembarques internacionais no país. 

Pedreira ressalta que a Bahia tem um papel importante no cenário nacional do turismo por possuir trunfos como mais de 900 km de litoral com águas mornas e claras. “Possuímos destinos como Salvador, com sua mistura de culturas e religiões; Morro de São Paulo, por ser um destino muito procurado por sua badalação; a Ilha de Boipeba, considerada uma pérola do nosso litoral; a Praia do Forte, com sua estrutura e organização; e a Chapada Diamantina, que concentra as melhores trilhas do país”, afirma o empresário.

De acordo com estimativa da Setur-BA, a alta temporada 2023/2024 deve ter contabilizado 6,5 milhões de turistas e gerado quase R$ 10 bilhões gerados em receita de atividades turísticas no estado.

Para saber mais, basta acessar: www.bahiaterra.com

Continuar Lendo

Notícias

Práticas ESG podem fortalecer cadeia de fornecedores

Boas práticas ambientais, sociais e de governança são resumidas pela sigla ESG e têm se tornado realidade na maioria das empresas brasileiras. Especialista explica que a implementação dessas ações na rotina do negócio podem trazer inovação, competitividade, crescimento sustentável, reconhecimento e valorização da marca

Publicado

em

por

17/4/2024 –

Boas práticas ambientais, sociais e de governança são resumidas pela sigla ESG e têm se tornado realidade na maioria das empresas brasileiras. Especialista explica que a implementação dessas ações na rotina do negócio podem trazer inovação, competitividade, crescimento sustentável, reconhecimento e valorização da marca

A consultoria Korn Ferry divulgou o resultado de um estudo feito em 2023 que constatou que 67% das empresas no Brasil adotam práticas de ESG como um pilar estratégico. Além disso, 75% das organizações disseram ter planos de implementar ações nesse sentido nos próximos 12 a 18 meses.

São exemplos de ESG: utilizar fontes de energia limpas e renováveis no processo de produção, adotar critérios de inclusão e diversidade na contratação de profissionais, criar ou apoiar projetos sociais que beneficiem a comunidade, entre outras ações.

As práticas ambientais, sociais e de governança podem ser aplicadas também em toda a cadeia de fornecedores com os quais uma determinada companhia está ligada. Essa é a visão de Edson Silva, presidente do Grupo Nexxees, que investe em diferentes empresas e, desde 2011, publica relatórios de ESG. 

“O ESG pode desempenhar um papel crucial no fortalecimento dos fornecedores. Ao avaliar e selecionar empresas com base em critérios ESG, um negócio consegue mitigar riscos associados a questões ambientais, sociais e de governança em sua cadeia de suprimentos. Isso ajuda a garantir a continuidade das operações e protege a sua reputação”, avalia Silva.

ESG tem “importância multifacetada”

Outros benefícios da implantação do ESG incluem inovação, competitividade, crescimento sustentável, reconhecimento e valorização da marca, afirma Silva. “A importância do ESG é multifacetada. Primeiramente, ele se alinha com as expectativas crescentes dos consumidores, investidores e reguladores em relação à responsabilidade corporativa”, acrescenta.

Na opinião do executivo, cabe às empresas entenderem que pautas como sustentabilidade e responsabilidade social não devem ser trabalhadas de maneira isolada, mas coletivamente, garantindo que todos os elos da cadeia produtiva estejam alinhados com as práticas ESG e assim se desenvolvam e cresçam juntos.

“Quando adotam medidas para garantir que seus fornecedores compartilhem valores similares de sustentabilidade e responsabilidade, as empresas não apenas fortalecem suas próprias operações, mas também contribuem para o desenvolvimento sustentável do país como um todo”, finaliza o especialista.

Para saber mais, basta acessar: https://www.gruponexxees.com/

Continuar Lendo

Em Alta

...