Conecte-se conosco

Notícias

O jogo dos sete erros na hora de empreender

Especialista aponta os principais motivos que levam ao fechamento de empresas
e orienta como evitá-los

Publicado

em

Ribeirão Preto, SP 12/1/2021 –

Especialista aponta os principais motivos que levam ao fechamento de empresas
e orienta como evitá-los

Mesmo com a turbulência na economia causada pela pandemia do novo Coronavírus, o saldo de abertura de novas empresas está positivo. O painel Mapa de Empresas, divulgado pelo Ministério da Economia, aponta que, em julho, foram registradas 250.308 aberturas ante 81.816 fechamentos, ou seja, no balanço geral o saldo ficou em 168.492 mil novas empresas abertas no período.

A pesquisa aponta ainda que, no primeiro quadrimestre de 2020, foram abertas mais de 1 milhão de empresas no País, representando um aumento de 1,2% em relação ao último quadrimestre de 2019, sendo que São Paulo é o estado com mais representatividade, totalizando 295 mil novas empresas, seguido por Minas Gerais, com 115 mil, e pelo Rio de Janeiro, com 101 mil.

De todo modo, verifica-se que o índice de fechamento de empresas no mês de julho ante ao de abertura, foi de quase 33% e sabe-se que um dos principais motivos para a manutenção da alta taxa de mortalidade de empreendimentos está a má gestão do negócio. Não ter um plano de negócio, não dimensionar o capital de giro ou não criar indicadores de desempenho estão entre os erros mais comuns de centenas de empresários.

De acordo com a CEO da Wowe, rede especializada na comercialização de serviços financeiros via correspondência bancária 100% digital, Ana Paula Ferreira, é possível listar, pelo menos, sete erros que prejudicam o desempenho de um novo negócio, independentemente do ramo de atuação.

“O erro mais comum que se observa é o empresário se empolgar com novo empreendimento e não preparar um plano de negócio, entabulando os objetivos, metas e estudo de viabilidade comercial e financeiro. Para evitá-lo é necessário fazer duas análises, uma interna e outra externa. A primeira precisa centrar-se numa pesquisa contábil, checando o enquadramento jurídico-tributário mais propício ao negócio, bem como ao montante necessário para subscrever como capital social, além de se averiguar as fontes de recursos para colocar o empreendimento de pé. Já a segunda, tem relação a uma pesquisa minuciosa de mercado para detectar a demanda pelos produtos e/ou serviços ofertados, mapear o perfil dos clientes e identificar bem quais diferenciais serão ofertados em relação à concorrência”, detalha a executiva.

O segundo erro, segundo a especialista está em não dimensionar bem o capital de giro do negócio. “Muitos empreendedores acreditam, erroneamente, que o investimento inicial é o capital de giro, quando na realidade, o capital de giro é o montante necessário para fazer a empresa girar, pagando suas despesas diárias. Se o negócio almejado for uma franquia, é muito difícil esse tipo de confusão ocorrer, pois, em geral, os consultores de expansão da rede franqueadora auxiliam o novo empresário a diferenciar cada um desses aspectos e necessidades do negócio, antes mesmo de assinar o contrato”, alerta a especialista.

Um terceiro e quarto pontos trazidos pela executiva estão atrelados aos indicadores de desempenho, como, por exemplo, aqueles destinados a medir a satisfação dos clientes ou as características e resultados de uma campanha de marketing ou, ainda, os voltados a avaliar os produtos ou serviços ofertados etc. “A não implementação significa gerir um negócio totalmente no escuro e, pior do que isso é ter os indicadores implantados, mas não observá-los, no dia a dia. Sem parâmetros para seus processos internos é impossível medir e corrigir eventuais gaps e, no segundo caso, tendo eles implantados, mas sem extrair os resultados, dificilmente o empresário conseguirá aprimorar os resultados do negócio”, explica Ana.

O quinto erro mais comum de muitos empresários é não se preocupar em elaborar um planejamento estratégico de marketing. “Esse aspecto, hoje em dia, com os inúmeros recursos digitais é inimaginável. Além da  já conhecida análise SWOT (forças, fraquezas, oportunidades e ameaças), o planejamento e a análise constante de marketing permitem a programação de ações de acordo com a jornada do cliente de modo quase que instantâneo, conforme a situação atual do mercado, sendo possível mapear os comportamentos dos consumidores e da concorrência em tempo real, minimizando os riscos e criando oportunidades para caminhos alternativos na tentativa de reverter rapidamente o resultado de uma ação”, explica Ana.

A especialista afirma ainda, que na Wowe, por exemplo, essa análise de marketing é feita antecipadamente e constantemente, uma vez que o negócio é 100% digital. “Realizamos as customizações necessárias para cada franqueado, de modo a gerar leads, com a conquista de potenciais novos clientes na web, parametrizando as etapas de venda e a concluindo sem a necessidade da presença física ou envio de documentos. Esse é um respaldo importante que viabiliza, ainda mais, a concessão de crédito, de abertura de contas correntes digitais, da formalização de seguros ou, ainda, de contratação de consórcios, nessa época de isolamento social, acelerando a conversão e ampliando os resultados de toda a rede”, aponta a executiva.

Para finalizar, Ana informa que há outros dois erros de gestão que podem prejudicar o empresário: a falta de organização interna em relação aos cargos de cada colaborador e não acompanhar o desempenho dos mesmos.  “Em geral, o empresário se preocupa com o treinamento e formação profissional do funcionário, mas se esquece de explicar detalhadamente quais são as atividades e metas, criando ações de valorização, de monitoramento da produtividade, bem como as avaliações de desempenho. A consequência disso é ter uma alta rotatividade, despendendo um alto investimento de tempo e de recurso financeiro em novos processos de seleção”, finaliza a especialista.

A Wowe – Crédito em Acreditar

Após 15 anos gerenciando call center na área de telecomunicação, Ana Paula Ferreira decidiu ingressar, em 2017, no mercado de correspondência bancária. Em três anos, implementou sua expertise adquirida no call center neste segmento, inovando o modus operandi dos correspondentes bancários no País, passando a ofertar esse atendimento de maneira 100% digital e exclusivamente remoto.  Atualmente a empresa comercializa cerca de R$ 70 milhões de crédito ao ano e, em 2020, iniciou a formatação do negócio para o sistema de franchising, lançado, agora, oficialmente ao mercado.

Website: https://wowe.online/SEJAUMFRANQUEADO/

Continuar Lendo
Anúncio
1 Comentário

1 Comentário

  1. willow

    17 de maio de 2021 @ 14:11

    multi ferramentas de marketing digital
    trabalhe com pcg classificados gratis ,email
    marketing,sms,facebook marketing ,zap marketing
    ,sistemas visitas para seu site, promover sites
    marketing,Linkedin Marketing,Instagram Marketing
    publicidades sem barreiras marketing digital aqui acesse!!
    otima oportunidade de negócios não percam !!
    Site : https://bit.ly/3kymIxR
    Contato Receber Material
    Telegram: Mktmidia
    Skype: MktMidia
    alcance seu publico negocios marketing de sucesso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

Debate aborda formas de combater o trabalho escravo

O encontro é iniciativa do Grupo de Trabalho (GT) do Coexistir, que reúne mais de 100 participantes de 40 empresas de vários segmentos, além do varejo de alimentos, e faz parte do Acordo de Cooperação Técnica com a Superintendência Regional do Trabalho.

Publicado

em

por

Sao Paulo, SP 12/4/2024 –

O encontro é iniciativa do Grupo de Trabalho (GT) do Coexistir, que reúne mais de 100 participantes de 40 empresas de vários segmentos, além do varejo de alimentos, e faz parte do Acordo de Cooperação Técnica com a Superintendência Regional do Trabalho.

O Sincovaga-SP (Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios do Estado de São Paulo), que representa mais de 35 mil empresas do segmento, realizará no dia 17/04, quarta-feira, das 9h às 11h30, um encontro para debater o tema “Não ao trabalho escravo – Construindo pontes para o trabalho digno”, no auditório da sede da entidade (R. 24 de Maio, nº 35, 16º andar, Centro, São Paulo/SP.).

O encontro é iniciativa do Grupo de Trabalho (GT) do Coexistir, que reúne mais de 100 participantes de 40 empresas de vários segmentos, além do varejo de alimentos, e faz parte do Acordo de Cooperação Técnica com a Superintendência Regional do Trabalho de São Paulo.

Os especialistas convidados são

– Evandro Afonso de Mesquita – Auditor Fiscal do Trabalho;

– Paulo Roberto Warlet da Silva – Auditor Fiscal do Trabalho;

– Luís Gustavo Ponciano Pereira – Chefe da Seção de Operações na Superintendência Regional da Polícia Rodoviária Federal em São Paulo.

Serviço

Debate: “Não ao trabalho escravo – Construindo pontes para o trabalho digno”

Data: 17/04, quarta-feira, das 9h às 11h30

Local: Sincovaga-SP (Rua 24 de Maio, nº 35, Sala 1.616, República, São Paulo/SP.)

Inscrições gratuitas: Até o dia 15/04, clicando aqui.

_______________________________________________________________

Website: https://www.sincovaga.com.br

Continuar Lendo

Notícias

Brasileiro mira no mercado de cibersegurança nos EUA

A empresa Barroso Security Dynamics será conduzida pelo especialista Fábio Costa Barroso e se concentrará em fornecer soluções avançadas para proteger empresas, indivíduos e entidades governamentais

Publicado

em

por

Vespasiano, MG 12/4/2024 – Na era digital, proteger informações sensíveis é primordial para preservar a integridade de espaços privados e comerciais

A empresa Barroso Security Dynamics será conduzida pelo especialista Fábio Costa Barroso e se concentrará em fornecer soluções avançadas para proteger empresas, indivíduos e entidades governamentais

A segurança cibernética é um assunto que vem sendo tema de discussões em nível mundial. Conforme dados de um relatório da Trend Micro, empresa de segurança de dados, os Estados Unidos foram o país que mais sofreram com ataques cibernéticos em 2023. Para se ter uma ideia, o tipo mais comum de crime cibernético relatado ao Centro de Reclamações de Crimes na Internet do país foi o phishing e spoofing, afetando aproximadamente 298 mil pessoas. Além disso, mais de 55 mil casos de violações de dados pessoais foram relatados ao IC3 durante o ano passado.

Com o advento da internet, pessoas físicas, empresas e sistemas governamentais estão sujeitos a esse tipo de crime. Dentre as complicações que um ataque cibernético pode causar estão comprometer a privacidade de dados e documentos, deixar sistemas fora do ar e restringir controle de dispositivos, como câmeras de segurança de residências, por exemplo.

Para o advogado e policial militar Fábio Costa Barroso, a digitalização é uma das grandes responsáveis pelo aumento de ameaças digitais e a prevalência de roubos, tanto físicos quanto cibernéticos, exige atenção imediata. “Na era digital, proteger informações sensíveis é primordial para preservar a integridade de espaços privados e comerciais”, explica ele, que atua na área há mais de 15 anos.

Pensando nisso, Barroso decidiu investir no mercado norte-americano de cibersegurança e comandará a Barroso Security Dynamics. A empresa, que ficará localizada em Orlando, na Flórida, se concentrará em fornecer soluções tanto para segurança cibernética quanto física para empresas, indivíduos e entidades governamentais. “Reconheço a necessidade crítica de medidas de segurança avançadas, por isso trabalharei com uma abordagem integrada para antecipar futuras necessidades de segurança, estabelecendo assim um novo padrão em serviços de segurança privada”, determina o profissional.

De acordo com Barroso, as operações de segurança da organização estão alinhadas com iniciativas nacionais de cibersegurança, como a Ordem Executiva 14028, que se concentra na redução do crime e na prosperidade econômica dos Estados Unidos, visando áreas carentes do país. “Por meio dessas iniciativas, pretendo atender às demandas de segurança atuais e me posicionar como um jogador-chave na formação de uma sociedade mais segura nos Estados Unidos”, finaliza.

Sobre o profissional:

Fábio Costa Barroso é bacharel em Direito pela Universidade Novos Horizontes, em Minas Gerais, e possui pós-graduação em Direito aplicado à Segurança Pública. Ao longo de sua carreira, dedicou mais de 15 anos à Polícia Militar de Minas Gerais. 

Website: https://premiumgmp.com/

Continuar Lendo

Notícias

Busca pela aparência movimenta mercado da estética

Uma pesquisa da ISAPS apontou que procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos tiveram aumento de 19,3%

Publicado

em

por

Belo Horizonte 12/4/2024 – a busca por tratamentos modernos e não-evasivos reflete a mudança de paradigma por resultados estéticos e métodos minimamente invasivos

Uma pesquisa da ISAPS apontou que procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos tiveram aumento de 19,3%

Uma pesquisa feita pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética – International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), divulgou resultados sobre procedimentos estéticos/cosméticos, apontando um aumento geral de 19,3 % nos procedimentos feitos por cirurgiões plásticos em 2021, com mais de 12,8 milhões de métodos cirúrgicos e 17,5 milhões não cirúrgicos realizados no planeta. Ainda de acordo com a pesquisa, os cinco procedimentos mais comuns no mundo continuam sendo a lipoaspiração, o aumento dos seios, a cirurgia de pálpebras, a rinoplastia e a abdominoplastia. Já os não cirúrgicos são a toxina botulínica, o ácido hialurônico, a depilação, o lifting facial e a redução de gordura.

No Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), só em 2023 mais de 2 milhões de procedimentos foram realizados pela população brasileira, sendo que a lipoaspiração seguida das próteses mamárias foram os procedimentos mais procurados pelos pacientes.

No panorama da estética, de acordo com Simone Barros, fisioterapeuta dermatofuncional, fundadora da Clínica Simone Barros, em Belo Horizonte, “a busca por tratamentos modernos e não-evasivos reflete a mudança de paradigma por resultados estéticos e métodos minimamente invasivos”. E complementa dizendo que “essa direção reflete não apenas uma mudança nas expectativas do paciente, mas também uma valorização da individualidade”. 

Simone diz que, “na Clínica Simone Barros, nos últimos dois anos, os procedimentos mais procurados pelos pacientes incluem criolipólise, endolaser, ultraformer, radiofrequência, lavien, morpheus, depilação e laser”.

Clínica Simone Barros

Fundada em Belo Horizonte (MG), a Clínica Simone Barros presta serviços de estética e tem parcerias com médicos dermatologistas e nutricionistas. A clínica valoriza a saúde e o relacionamento com o paciente, além da estética. Cada caso é avaliado e tratado individualmente e o objetivo é superar as expectativas dos clientes.

Continuar Lendo

Em Alta

...