Conecte-se conosco

notícias

Seis tendências do mercado de trabalho para 2021

A seguir: quais foram as profissões que ganharam destaque com a pandemia

Publicado

em

Curitiba, PR. 13/1/2021 –

A seguir: quais foram as profissões que ganharam destaque com a pandemia

Em 2018, a chefe da Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal), da Organização das Nações Unidas (ONU), Alicia Bárcena, alertou para as rápidas transformações do mercado de trabalho em todo o mundo. De acordo com a dirigente, 65% das crianças que entram na escola primária hoje terão, no futuro, profissões que ainda não existem.

Ao contrário do que acontecia em um passado não muito distante, quando ser médico ou advogado era o objetivo de quem buscava uma carreira promissora, as possibilidades de sucesso em novas ocupações ligadas à ciência e à tecnologia já são – e serão, cada vez mais – significativas. De acordo com David Forli Inocente, diretor geral de pós-graduação e educação continuada da Universidade Positivo, o que está havendo atualmente é uma digitalização geral das profissões. “Todas serão impactadas por mais tecnologia, desde o advogado até o geneticista”, afirma.

E, com a pandemia do novo coronavírus, não só aceleraram-se os processos de construção de novas profissões e atualização daquelas que já existem, como a importância de algumas ocupações ganhou destaque, aumentando o interesse dos jovens que se preparam para o Ensino Superior. “Carreiras evidenciadas pelos problemas causados pelo isolamento social, propagação de fake news e corrida pela vacina tiveram aumento na procura não apenas em cursos de graduação, mas também em especializações e cursos de curta duração. A educação formal como instrumento para interpretação e transformação da sociedade nunca esteve tão em alta”, afirma Inocente. Ele aponta seis tendências do mercado de trabalho para 2021.

Fact checking

Se, há 20 anos, alguém se apresentasse como especialista em checagem de fatos (ou fact checking, para aqueles mais acostumados ao termo em inglês), provavelmente a curiosidade seria geral. Afinal, com uma internet que ainda engatinhava no início dos anos 2000, pensar em um profissional inteiramente dedicado a essa função era inimaginável. Mas os anos passaram e as fake news se tornaram um terreno fértil e perigoso. Durante a pandemia, elas influenciam inclusive o debate sobre saúde, espalham desinformação e prejudicam os esforços de enfrentamento do problema. Por isso, esse tipo de especialista está se tornando indispensável.

Para ser um profissional dessa área, um bom começo é investir em uma graduação em jornalismo ou cursos que envolvam tecnologia da informação. Depois, organizações como a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) oferecem cursos e oficinas totalmente voltados a essa função.

Saúde mental e bem-estar

Passar a maior parte do tempo em casa, longe de amigos e familiares, com um vírus potencialmente letal circulando entre as pessoas é um enredo próximo aos de filmes pós-apocalípticos. Não à toa, um levantamento realizado pela SEMrush apontou que as buscas por termos como “terapia” e “psicólogo online” dispararam depois da chegada da quarentena. Entre fevereiro e março, o aumento de procuras por esses termos foi de 50% e 83%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2019.

Nesse cenário, profissões voltadas à promoção do bem-estar devem ser cada vez mais necessárias. Para trabalhar nessa área, é necessário cursar uma graduação em Psicologia, por exemplo. Também valem opções que promovem o bem-estar físico, social e mental, como uma pós-graduação em Terapias Integrativas e Complementares, prática reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Para Inocente, esses profissionais precisam ser “alguém que encontra a confluência entre psicologia, saúde mental e nutrição, por exemplo”. Outro aspecto que a pandemia trouxe ao debate, segundo ele, foi a questão da sexualidade. “Os terapeutas perceberam a evolução da demanda em seus consultórios, o que culmina em mais procura por educação continuada nesta área”.

Vacinas

A falta de tratamentos comprovadamente eficazes para a Covid-19 tornou a busca por uma forma de imunização contra a doença uma urgência. Por isso, laboratórios de todo o mundo começaram uma corrida para desenvolver, testar e produzir uma vacina o mais rápido possível. Especialistas de todo o mundo alertam que pandemias como a do novo coronavírus podem se tornar cada vez mais comuns, o que significa que profissões que lidam com o desenvolvimento de vacinas estarão em alta por um bom tempo. Uma boa opção de curso superior para quem quiser se dedicar a essa tarefa é a Biomedicina – que pesquisa a interação entre microrganismos e o sistema biológico humano.

Meio Ambiente

O crescimento da população global, a urbanização e a industrialização da agricultura provocam uma crescente demanda e exploração de recursos naturais, trazendo consequências como a alteração dos ecossistemas, levando as pessoas a cada vez mais se aproximarem de animais selvagens que podem ser vetores de doenças. O uso excessivo de pesticidas, medicamentos e outros contaminantes que são lançados no ambiente, por exemplo, acarretam em mudanças genéticas em microrganismos e aumentam a probabilidade de doenças zoonóticas, como a própria Covid-19, alcançarem os humanos. “Os motores centrais da destruição e invasão dos ecossistemas são econômicos e sociais e requerem soluções complexas que, por conseguinte, dependem de profissionais com visão interdisciplinar”, afirma o professor do Programa de Pós-Graduação em Gestão Ambiental e da Business School da Universidade Positivo, John James Loomis. Segundo ele, embora profissionais ligados ao meio ambiente não possam evitar a próxima pandemia, eles podem tomar medidas para recuperar e fortalecer os ecossistemas que, em última instância, servem como barreiras para o surgimento de doenças.

Responsabilidade Social

Uma pesquisa realizada pela Central Press com executivos de empresas de diversos tamanhos revelou que, mesmo 49% deles relatando queda de 50% a 100% no faturamento da empresa, 35% das organizações ampliaram as doações e projetos sociais por conta da pandemia. O momento fez as empresas se atentarem à responsabilidade social – e essa atitude veio para ficar.

O relatório especial do Edelman Trust Barometer 2020: Confiança nas Marcas, que ouviu mais de 22 mil pessoas, em 11 países, entre o fim de maio e o início de junho, revelou que, para 69% dos brasileiros, tão importante quanto o produto ou o serviço é a forma.

Website: https://www.up.edu.br/index.html

Continuar Lendo
Anúncio

notícias

Pendências com o Simples atingem quase dois terços das empresas

Publicado

em

Regularização é necessária para permanecer no programa.

Quase dois terços das micro e pequenas empresas precisam regularizar pendências com o Simples Nacional para permanecerem ou aderir ao regime especial. De um total de 178.741 pedidos de opção, 54.789 (34,5%) foram deferidos e 117.088 (65,5%) dependem de o contribuinte quitar os pagamentos em atraso ou cadastrar informações corretas.

O levantamento foi divulgado pela Receita Federal e refere-se até o dia 20. A regularização deve ser feita até sexta-feira (29), para que a micro ou pequena empresa não seja excluída do programa, que tem alíquotas diferenciadas e unifica o pagamento de tributos federais, estaduais e municipais.

Para a regularização de pendências com a Receita Federal ou com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), caso o contribuinte esteja inscrito na dívida ativa, o micro ou pequeno empresário pode gerar as guias de pagamento pela internet. É possível pagar à vista ou parcelar os débitos em até 60 meses (cinco anos), com pagamento de multa e de juros. Em alguns casos, pode ser pedida a compensação, quando o contribuinte abate do débito tributos pagos a mais anteriormente.

As orientações para a regularização em nível federal estão disponíveis na internet. O procedimento pode ser feito inteiramente pela internet, sem a necessidade de deslocamento a alguma unidade de atendimento da Receita Federal.

Cadastro

No caso de pendências cadastrais, a regularização pode ser feita pelo Portal da Redesim. Sistema integrado que permite a abertura, fechamento, alteração e legalização de empresas em todas as Juntas Comerciais do Brasil, o Redesim simplifica procedimentos e reduz a burocracia ao mínimo necessário.

Para regularizar as pendências com os estados, o Distrito Federal e os municípios, o contribuinte deve procurar os sites dos órgãos locais. As empresas de comércio pagam o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) aos estados. Os prestadores de serviço pagam o Imposto sobre Serviços (ISS), dos municípios. O Simples Nacional unifica o recolhimento em uma única guia.

Pandemia

Por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19), o governo federal tomou algumas medidas no ano passado para ajudar as micro e pequenas empresas. A primeira foi a suspensão do recolhimento das parcelas de março, abril e maio do ano passado. O vencimento foi transferido para outubro, novembro e dezembro, no caso dos tributos federais, e para julho, agosto e setembro para os impostos locais.

A Receita Federal também autorizou que as micro e pequenas empresas pedissem o parcelamento das dívidas com o Simples mais de uma vez ao longo de 2020. Pela legislação, os contribuintes inscritos no Simples podem requerer apenas um parcelamento por ano.

A PGFN abriu um programa de renegociação de débitos de difícil recuperação, com descontos especiais nas multas e nos juros. No caso do Simples Nacional, o prazo de adesão começou em agosto e acabou em 29 de dezembro.

O micro e pequeno empresário que atrasou algum parcelamento especial ou não pagou as parcelas suspensas de março a maio de 2020 foi incluído na lista de contribuintes com pendências e precisará regularizar a situação para permanecer no Simples.

 

Por | Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Continuar Lendo

notícias

Eventos online e gratuitos de museus celebram aniversário de São Paulo

Publicado

em

Capital completa 467 anos na segunda-feira.

Para celebrar os 467 anos da cidade de São Paulo, comemorado na próxima segunda-feira (25), diversos museus e espaços culturais paulistanos vão fazer uma homenagem especial à cidade, com atividades musicais, teatrais e literárias, promovendo uma programação online e gratuita.

Na Casa Guilherme de Almeida será exibido hoje (23) o documentário Afro-Sampas, seguido por debate com os realizadores. A exibição do filme e o debate serão realizados pela plataforma Zoom e as inscrições devem ser feitas no site.

Na Casa Mário de Andrade, uma aula-show com enfoque no meio ambiente também está marcada para a tarde de hoje, das 16h30 às 18h30. A atividade Água do meu Tietê, Onde me Queres Levar? vai apresentar ao público composições de Victor Kinjo, baseadas no mesmo rio que inspirou Mário de Andrade a escrever seu último poema, A Meditação sobre o Tietê. Inscrições podem ser feitas pelo site.

Na Casa das Rosas, trechos de entrevistas e poesias do escritor paulistano Haroldo de Campos serão comentadas por Júlio Mendonça, coordenador do Centro de Referência Haroldo de Campos da Casa das Rosas. O evento acontece no dia do aniversário da cidade, na segunda-feira, das 19h às 21h. Os interessados devem se inscrever no site.

Artes visuais, gastronomia, literatura, música, grafite e teatro são as atrações da Oficina Cultural Maestro Juan Serrano, que vai realizar todas essas atividades com transmissão ao vivo pelo Facebook das Oficinas Culturais no dia 25 de janeiro, a partir das 10h30. Entre a programação, destaque para uma releitura do espetáculo teatral O Gato de Botas, com transmissão a partir das 11h. Haverá também atividades que ensinam a fazer dobraduras de animais, confeccionar colares vivos e contação de histórias. Haverá também uma apresentação de músicas da Jovem Guarda, que será transmitida pelo Facebook das Oficinas Culturais a partir das 15h.

Já a Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha promoverá apresentações de músicas e poesias de amor à cidade. O encontro online acontecerá no domingo, dia 24 de janeiro, das 19h às 20h pelo Youtube das Fábricas de Cultura.

 

Por | Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil – São Paulo

Continuar Lendo

notícias

Aprender inglês depois de adulto: uma meta possível de alcançar

Equipe do curso online Hyper English destaca algumas dicas que podem ajudar no desenvolvimento do idioma

Publicado

em

Rio de Janeiro, RJ 22/1/2021 – Aprender inglês está em segundo lugar na lista dos principais objetivos dos brasileiros para 2021

Equipe do curso online Hyper English destaca algumas dicas que podem ajudar no desenvolvimento do idioma

Ano novo, metas novas. Ou metas antigas que não conseguiram ser cumpridas. Aprender inglês está em segundo lugar na lista dos principais objetivos dos brasileiros para 2021, de acordo com o aplicativo 7waves, plataforma onde é possível cadastrar, organizar e planejar as metas do novo ano.

Apesar de alguns adultos se sentirem inseguros e desestimulados a começar um curso de idiomas, é possível aprender a falar inglês com qualquer idade. Crianças pequenas aprendem línguas adicionais com maior facilidade porque seus cérebros estão “programados” para adquirir e desenvolver a linguagem nos primeiros anos de vida, mas isso não significa que adolescentes e adultos não possam aprender também.

O propagandista médico Anderson Oliveira resolveu fazer uma nova tentativa de aprender inglês em 2020, aos 49 anos, depois de quase 20 anos mudando de um curso pro outro e sem notar muitos progressos no idioma. “Os motivos que sempre me levaram a desistir foram o progresso lento, a forma burocrática de ensino (com foco somente em gramática) e poucas horas de aula durante a semana”. Por questões profissionais, Anderson resolveu insistir. “Resolvi retomar os estudos nesse momento pois o mercado de trabalho, independentemente do segmento em que se atue, pede como requisito básico o idioma inglês, assim como cursos de especialização como pós graduação e MBA. Apesar de ser uma pessoa madura, creio que tenho capacidade de aprender o idioma desde que estude por um método realmente efetivo.” – esclarece.

Nesta nova tentativa, Anderson optou por um curso de inglês online, o Hyper English, já que esse formato dava a ele maior flexibilidade de horários de acordo com a sua rotina e está animado com os avanços obtidos em apenas três meses de aulas. “Após muita pesquisa, fiz essa escolha por acreditar que o modelo da plataforma oferece tudo o que eu procurava: muitas aulas de conversação, gramática de forma clara e objetiva, leitura de acordo com o meu nível e, principalmente, um suporte rápido através do chat ou por e-mail.”

Para quem traçou essa meta para 2021, Cíntia Nogueira, da equipe acadêmica do Hyper English, destaca três pontos principais que podem ajudar no desenvolvimento do idioma:

1) Enquanto as crianças menores aprendem uma língua adicional de forma mais natural, os adultos precisam de um esforço consciente para aprender. Por isso, é importante que o adulto desenvolva uma rotina de estudos organizada e crie o hábito de estudar diferentes aspectos da língua. Assim, irá aprender e se desenvolver mais rapidamente.

2) Os adultos também costumam ter mais dificuldades com a pronúncia dos sons da língua adicional, já que o aparelho fonador, responsável pela nossa comunicação oral, perde parte de sua flexibilidade e capacidade com o passar dos anos, tornando mais difícil a pronúncia de certos. Contudo, a preocupação em “zerar” o sotaque da língua materna e ter uma pronúncia perfeita não se justifica: o mais importante é conseguir ser compreendido, não trocar sons que alterem o sentido de uma palavra e conseguir expressar suas intenções através da entonação adequada.

3) Por fim, as crianças têm maior facilidade em aprender justamente porque não se censuram durante o aprendizado – elas têm menos medo de errar. Os adultos, pelo contrário, costumam se sentir constrangidos ao cometer erros na frente dos colegas e dos professores. Cometer erros é um processo natural e de extrema importância para o aprendizado. Por isso, é essencial que o adulto tente ser participativo em suas aulas, fale e escreva o máximo possível na língua adicional. A partir dos seus erros, o cérebro irá aprender a focar naquilo que é preciso estudar e continuar aperfeiçoando. Com dedicação, foco e participação, um adulto pode chegar ao nível intermediário em menos de 2 anos.

Website: https://www.hyperenglish.com.br/

Continuar Lendo

Em Alta