Conecte-se conosco

Notícias

Trabalho remoto: como estão as relações profissionais na pandemia?

Guerohn Camilo Alves Prates, professor da Escola de Negócios da Uninter, fala sobre o trabalho remoto na pandemia

Publicado

em

Curitiba 30/4/2021 – Comunicação eficaz é de grande importância para que se consiga criar e manter laços, encarar novas situações e cultivar a empatia

Guerohn Camilo Alves Prates, professor da Escola de Negócios da Uninter, fala sobre o trabalho remoto na pandemia

O Dia do Trabalho é celebrado em 1° de maio desde o final do século 19, mas atualmente deve ser comemorado de uma maneira diferente, considerando a atual configuração dos setores de trabalho trazida pela pandemia, especialmente no caso do home office. Novos horários, outra organização dos espaços em casa, (re) divisão das tarefas, adaptações. Dentro desta nova concepção, o relacionamento intrapessoal (comunicação interna do indivíduo) e interpessoal (comunicação com o próximo – família, amigos e colegas de trabalho) precisaram passar por ajustes e ser encarados como mais um desafio.

Hoje, mediante a crise trazida pela Covid-19, a principal missão tem sido preservar as fontes de sustento e emprego dos trabalhadores. Porém, mais do que isso, é preciso saber lidar com as novas exigências que diariamente têm afetado as relações humanas, na busca de manter um contato satisfatório, prazeroso e produtivo durante as atividades diárias, principalmente as profissionais.

Como ponto de partida para esta reflexão é preciso ressalvar que, para as comunicações intrapessoais e interpessoais resultarem em relações saudáveis, é necessário reconhecer determinados padrões de pensamentos que são estabelecidos dentro do ambiente de atuação dos profissionais.

Já faz mais de um ano que este novo formato de trabalho remoto prevalece em muitas atividades, e o distanciamento social ainda precisa ser mantido, então dá para questionar a qualidade dos relacionamentos profissionais e pessoais. Neste contexto, a comunicação eficaz é de grande importância para que se consiga criar e manter laços, encarar novas situações e cultivar a empatia.

No âmbito profissional, neste momento, a mudança de maior relevância está fincada na tecnologia, pois o relacionamento interpessoal passou a ter como alicerce o mundo virtual. As muitas reuniões on-line em home office são o principal exemplo de como tem sido essa adaptação, para que os profissionais deem conta de desenvolver e manter as atividades do seu trabalho.

Essa circunstância pode nos levar a pensar que surgiram novas dificuldades, mas a verdade é que certas relações interpessoais já existiam e só foram potencializadas por um convívio intenso no ciberespaço, e por situações de estresse e incertezas oriundas do distanciamento e do trabalho em casa. Nesse cenário, os relacionamentos intrapessoais e interpessoais (assim como todos as demais partes das atividades profissionais) precisam das ferramentas tecnológicas para sua efetivação, adequando-se à necessidade de cada área.

Agora já está mais que provado: o convívio à distância é possível e efetivo. E exige prezar pela boa qualidade, independente do espaço e da distância de sua atuação, considerando a possibilidade de oportunizar a aprendizagem. Pela tecnologia, há novas formas de se reunir, novas adaptações nas trocas e na construção do conhecimento, e esses fatores acrescentam na formação e na relação interpessoal do indivíduo. Ainda que diferentes, as novas relações não podem ser encaradas como algo negativo no desenvolvimento profissional. Elas são mais uma habilidade social para somar.

(*) Guerohn Camilo Alves Prates é graduado em Administração e especialista em Planejamento e Gestão Estratégica, bem como em Formação Docente Para EaD. É professor na Escola Superior de Gestão, Comunicação e Negócios do Centro Universitário Internacional UNINTER

 

Website: http://www.uninter.com

Continuar Lendo
Anúncio
Clieque para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

Governo aprova ações para o estímulo ao plantio de milho

Propostas incluem a oferta de mais crédito e mecanismos de apoio à comercialização para apoiar os agricultores

Publicado

em

por

Mato Grosso 17/5/2021 – O produto é a base para toda uma estrutura, tanto para alimentação dos animais quanto para a humana

Propostas incluem a oferta de mais crédito e mecanismos de apoio à comercialização para apoiar os agricultores

Novas medidas para estimular o plantio de milho da safra 2021/2022 foram aprovadas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). As propostas, que incluem a oferta de mais crédito e mecanismos de apoio à comercialização para apoiar os agricultores no incremento da produção do milho e também do sorgo, foram encaminhadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

 “O produto é a base para toda uma estrutura, tanto para alimentação dos animais quanto para a humana. Isso possibilita mais vantagens para o cultivo do produto”, afirma o CEO do Grupo VMX Agro, Carlos César Floriano.

O CMN decidiu aumentar o limite de financiamento de custeio, a partir de 1º de julho deste ano, de R$ 3 milhões para R$ 4 milhões por produtor, para a produção de milho e de sorgo. Também a partir de 1º de julho, os médios produtores rurais poderão ter acesso ao custeio para plantio dos dois cereais, no limite de R$ 1,75 milhão. Antes o teto era de R$ 1,5 milhão.

Outra medida permite, excepcionalmente, no âmbito da fonte de recursos obrigatórios, o financiamento de Financiamento para Garantia de Preços ao Produtor (FGPP) para a aquisição de milho e de sorgo, limitado a R$ 65 milhões por beneficiário, admitindo o preço de mercado como referência ao invés do preço mínimo. A instituição financeira é obrigada a direcionar recursos de 27,5% da sua movimentação para aplicar em operações de crédito rural.

Carlos César Floriano destaca oportunidade

A Conab estima que a produção total de milho do Brasil na atual temporada deve ficar em torno de 109 milhões de toneladas e a de sorgo em 2,6 milhões de toneladas. “O produtor rural precisa estar atento aos direcionamentos e oportunidades que o país busca no momento. Essa medida tende a ajudar no desenvolvimento do setor”, conclui Carlos César Floriano.

O CMN também aprovou a distribuição dos recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) para safra 2021/2022, no valor de R$ 5,9 bilhões.

No direcionamento dos valores apreciados pelo Conselho, foi estabelecido o aumento de 21,86% para a linha de Financiamento para Aquisição de Café (FAC), passando de R$ 1,1 bilhão para R$ 1,354 bilhão. Foram mantidos os valores do ano anterior para as demais linhas de crédito, ou seja, R$ 1,6 bilhão para operações de Custeio; R$ 2,2 bilhões para Comercialização, R$ 630,5 milhões para Capital de Giro e R$ 160 milhões para recuperação de cafezais danificados.

A isonomia das taxas de juros para as finalidades de crédito com recursos do fundo deverá ser tratada na próxima reunião do CMN.

Website: http://vmxagro.com.br/

Continuar Lendo

Notícias

Tatuagens funcionais: uma arte que ajuda a salvar vidas

Elas têm o propósito de ser uma ferramenta de prevenção, avisar sobre uma doença preexistente, alergia ou identificar o tipo sanguíneo

Publicado

em

por

São Paulo – SP 17/5/2021 – Esta modalidade de arte é um forte combatente ao preconceito no mundo da tatuagem, pois mostra que a arte também pode ser útil em momentos de mal súbito

Elas têm o propósito de ser uma ferramenta de prevenção, avisar sobre uma doença preexistente, alergia ou identificar o tipo sanguíneo

Se alguém pensa que um estúdio de tatuagem é um local onde as pessoas vão apenas para fazer desenhos bonitos e que estejam na moda para parecerem mais “cool”, se enganou. Uma modalidade de tattoo tem ganhado adeptos nos últimos anos: as chamadas tatuagens funcionais.

Este tipo de tatuagem trabalha mais com a comunicação do que com a estética. Elas têm o propósito de ser uma ferramenta de prevenção, avisar sobre uma doença preexistente, alergia ou identificar o tipo sanguíneo.

Vários estúdios já fazem tatuagens funcionais, um deles é o ItattooClub, localizado no Sumaré, em São Paulo. “Acredito que esta modalidade da arte é um forte combatente ao preconceito no mundo da tatuagem, pois mostra que a arte também pode ser útil em momentos de mal súbito, por exemplo”, afirma Daniel Couto, proprietário do estúdio rotativo.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), pessoas com hipoglicemia podem ter perda de consciência a qualquer momento do dia. Uma tatuagem indicando a possível causa do desmaio pode orientar as pessoas que estão próximas, ou até mesmo, a equipe médica que atendendo a ocorrência. E segundo um artigo da Dra. Bibiana Prada de Camargo Colenci, publicado no site da SBD, se o paciente estiver com o diabetes bem controlado e os níveis de açúcar no organismo estiverem baixos, o paciente pode sim fazer uma tatuagem, evitando risco de infecção no processo de cicatrização.

No caso da tipagem sanguínea, em uma necessidade de transfusão, por exemplo, o tipo sanguíneo tatuado no punho pode facilitar e agilizar o processo de atendimento ao paciente.

Outro caso de tatuagem funcional é o “ponto e vírgula”, um movimento a favor da vida e da prevenção mental. Neste tipo, também chamado de “Semicolon Tattoo Project”, os tatuados mostram que poderiam ter escolhido parar (ponto), mas preferiram seguir (vírgula). Uma diferente utilização para este estilo é a indicação de deficiências. No caso de surdez, é possível indicá-la com um alto falante e um “x”.

O mais interessante disso tudo é que o cliente não precisa simplesmente escrever que tem alergia a algum medicamento em sua pele. É possível discutir e criar sua tattoo junto ao artista que vai desenhá-la. “É uma maneira de deixar a tatuagem mais original e de um jeito que o tatuado irá gostar”, conclui Daniel.

Serviço
iTattooClub
Rua Fortaleza, 246, Bela Vista, São Paulo
Estúdio rotativo de tatuagem
Atendimento com horário agendado
Contato: (11) 98623-2991
www.itattooclub.com

Website: https://itattooclub.com/

Continuar Lendo

Notícias

Busca por clínicas veterinárias mais que dobra nos últimos anos

Aumento dos cuidados com cachorros, gatos e pets, cria demanda por mercado especializado de clínicas veterinárias.

Publicado

em

por

São Paulo, SP 17/5/2021 – Volume de pesquisa dos termos “clínica veterinária”, mais que dobrou nos últimos anos

Aumento dos cuidados com cachorros, gatos e pets, cria demanda por mercado especializado de clínicas veterinárias.

No passado, quando um cachorro, gato ou outro pet ficava doente, precisava de uma vacina ou de um tratamento específico, o comportamento mais comum seria o dono levar seu animal de estimação ao médico veterinário mais próximo de sua residência. Em caso de não conhecer algum veterinário pediria indicação para algum familiar ou conhecido.

Porém, com o avanço da medicina veterinária e o estreitamento da relação entre animais e seus donos, esse comportamento mudou, fazendo com que houvesse um crescimento da procura por clínicas especializadas, que contam com veterinários com o mais alto nível de qualificação.

Essa tendência é confirmada através de dados disponíveis, como, por exemplo, a ferramenta do Google, Trends, que mostra a evolução do interesse ao longo do tempo para as pesquisas dos termos “clínica veterinária”, mais que dobrou nos últimos anos. O Brasil é o país com o maior número de veterinários ativos no mundo, com mais de 80 mil profissionais, segundo dados do Conselho Federal de Medicina Veterinária de 2018.

Rosangela de Oliveira é um exemplo desse novo comportamento: ela possui 2 gatos e quando percebe qualquer alteração na rotina e saúde de seus animais, como coriza, os leva ao veterinário. “Cuido deles como filhos. Se vejo que estão gripados, ao invés de deixá-los sofrerem por semanas, prefiro levar ao veterinário, iniciar a medicação e garantir que em alguns dias já estarão ativos e saudáveis novamente”.

Maria Luiza possui atualmente dois cachorros, e há alguns anos perdeu um da raça poodle, saudável e com apenas 7 anos, devido à falta de qualificação e experiência do veterinário, que para fazer uma limpeza de tártaro, aplicou uma anestesia que acabou levando a uma parada cardíaca. “Fiquei arrasada, quis processar a clínica e o veterinário. A dor de perder a minha cachorrinha nunca vai ser cicatrizada”.
                 
Devido a esse crescimento na demanda por clínicas veterinárias especializadas, algumas empresas surgiram, oferecendo tratamento diferenciado e altamente qualificado aos pets. Este é o caso da Strix Clínica Veterinária Especializada, localizada em São Paulo, que desenvolveu um centro de excelência com profissionais de ponta do mercado, especializados, a sócia-diretora Simone Ferraz comenta: “Hoje temos clientes que vêm de fora de São Paulo por causa do alto nível de atendimento diferenciado e real preocupação com a saúde de seu pet. Eles entendem que um profissional qualificado pode fazer toda a diferença no tratamento, inclusive com uma abordagem preventiva, muito mais saudável e confortável para o pet”. Além de atenderem os pets mais tradicionais, como cães, gatos e aves, lá eles também são especialistas em animais silvestres dos mais diferentes: “Já operamos até um leão, além de termos especialistas para tratamentos únicos, e para animais silvestres”, diz Simone, orgulhosa.

Website: https://clinicastrix.com.br/

Continuar Lendo

Em Alta

...