Conecte-se conosco

Regional

56 projetos de Poços são contemplados nos editais da Lei Aldir Blanc do Estado

Publicado

em

Companhias de Reis representam o município no Edital de Culturas Populares e Tradicionais

Recursos recebidos somam R$ 1.454.000,00.

A excelência da produção cultural de Poços de Caldas ficou evidente nos editais da Lei Aldir Blanc do Estado de Minas Gerais. No total, 56 projetos do município foram contemplados, em diversas linguagens artísticas, somando R$ 1.454.000,00 injetados na economia local.

Dos 27 editais de emergência cultural lançados pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, 15 contaram com artistas residentes em Poços selecionados, nas seguintes áreas: Credenciamento de Pareceristas; Cultura Alimentar e Gastronomia; Cidadania Audiovisual; Premiação de Filmes de Curta-metragem, Média-metragem e Longa-metragem; Profissionais da Cadeia Produtiva do Audiovisual; Seleção de Bolsistas para as Áreas Artísticas Técnicas e de Produção Cultural; Espaços Culturais de Apresentação Artística; Mostras e Festivais Artísticos e Culturais; Seleção de Propostas para Espaços e Grupos de Circo; Pesquisa e Criação para Espetáculos de Dança; Música para Gravação ou Finalização de Single ou Álbum; Seleção de Bolsistas: Exposições Virtuais Fotográficas e de Arte Urbana; Premiação Pesquisas Artístico-culturais; Seleção de Propostas de Publicações Literárias; e Credenciamento: Culturas Populares e Tradicionais.

“Enquanto agente cultural atuando, desde 2010, diretamente na construção de políticas públicas para a Cultura em nosso município, preciso destacar o quanto a classe artística e cultural local está organizada. A mobilização popular contínua na estruturação da legislação municipal para a Cultura e no âmbito do Conselho Municipal de Política Cultural vem mostrando reflexos extremamente positivos, como é o caso dessa ‘ocupação’ estratégica nos editais da Lei Aldir Blanc Estadual”, avalia o músico, compositor e produtor Pedro Cezar Carvalho de Moraes, que é presidente do Conselho Municipal de Política Cultural desde 2018.

A equipe da Secretaria Municipal de Cultura prestou apoio técnico aos artistas interessados em participar dos editais em âmbito estadual, na articulação junto aos canais da Secretaria de Estado de Cultura e auxiliando na obtenção da documentação necessária.

“Para nós, a seleção de 56 projetos locais nos editais do Estado demonstra a qualidade da nossa produção artística, nas mais variadas linguagens, incluindo o credenciamento no edital de culturas populares e tradicionais. Tanto no Sul de Minas como em todo o Estado, a produção cultural poços-caldense tem grande destaque no cenário mineiro. Neste sentido, é natural a expressiva participação dos agentes culturais locais e seus projetos, tamanha é nossa produção em quantidade e qualidade, o que evidencia essa representatividade”, destaca o secretário municipal de Cultura, Gustavo Dutra.

LAB em Minas
Minas Gerais recebeu um total de R$ 155.030.608,55 da Lei Aldir Blanc, parte usada para pagar os auxílios emergenciais e parte destinada ao pagamento dos 27 editais, contemplando diferentes segmentos, como música, dança, circo, teatro, performance, fotografia, literatura, culturas populares e tradicionais, artes visuais e digitais, pesquisas artístico-culturais, audiovisual, cultura alimentar e gastronomia, produção cultural, mostras e festivais, pontos de cultura, museus, centros de memória e bibliotecas comunitárias, arte urbana, história em quadrinhos, coletivos e espaços culturais, entre outros. O objetivo é abarcar a diversidade da cadeia produtiva cultural mineira e assegurar a efetividade do socorro ao setor.

Confira a íntegra da entrevista com o presidente do Conselho Municipal de Política Cultural (2018-2022), Pedro Cezar Carvalho de Moraes.

[AICS] Como presidente do Conselho, que avaliação você faz da participação dos fazedores de cultura locais nos editais LAB da Secretaria de Estado de Cultura?

Pedro Cezar: Enquanto agente cultural atuando, desde 2010, diretamente na construção de políticas públicas para a Cultura em nosso município, preciso destacar o quanto a classe artística e cultural local está organizada. A mobilização popular contínua na estruturação da legislação municipal para a Cultura e no âmbito do Conselho Municipal de Política Cultural vem mostrando reflexos extremamente positivos, como é o caso dessa ‘ocupação’ estratégica nos editais da Lei Aldir Blanc Estadual.

Essa ocupação é um exemplo claro de como a produção poços-caldense é volumosa e qualificada, e já se compara à de grandes centros urbanos. Para além do que é produzido, a maneira de planejar e fazer a gestão dos projetos e produtos culturais também evoluiu muito, e posso dizer que somos referência no estado. Nesse aspecto, a avaliação é totalmente positiva.

Ao mesmo tempo, enquanto classe, sabemos que o Governo Federal e o Estado de Minas Gerais precisam criar programas de investimento permanente na Cultura dos municípios para além do período impactado pela pandemia.

Em resumo, a classe cultural de Poços de Caldas sabe acessar com excelência esse tipo de mecanismo, o que falta é recurso suficiente para garantir e potencializar a produção local e a democratização dos bens culturais.

[AICS] Como artista, qual a relevância do acesso a esses recursos?

Pedro Cezar: Fui aprovado no edital ‘Seleção de Bolsistas para as Áreas Artísticas, Técnicas e de Produção Cultural – Criação em Música’. Isso vai possibilitar que eu me aprofunde na minha obra autoral, a partir do repertório de canções compostas ao longo da minha carreira de compositor. Estou preparando um mini documentário registrando a pesquisa e a catalogação de minhas músicas e também uma apresentação ao vivo do repertório selecionado. Sem dúvida é uma ótima oportunidade.

Os recursos provenientes do Fundo Nacional de Cultura, disponibilizados por meio da Lei Aldir Blanc, são imprescindíveis para o artista, sobretudo diante da impossibilidade de atuar, e sobreviver, com os meios tradicionais de produção em tempos de distanciamento social. Além de um suporte para os artistas, os recursos se revertem em benefícios para a população, uma vez que todo material gerado chega aos mais diversificados públicos, e é consumido tanto enquanto lazer como enquanto formação.

No entanto, cabe uma reflexão sobre o formato dos editais. Naturalmente, é exigido contrapartida por parte dos artistas. Porém, o peso da contrapartida acaba por fazer com que um recurso que deveria ter caráter emergencial, visando a sobrevivência desses profissionais e de suas famílias, fique atrelado principalmente aos gastos para a produção do conteúdo. Em linhas gerais, a contrapartida exigida dos agentes culturais em meio à pandemia do COVID-19 é desproporcional em relação à responsabilidade dos governos.

Eu acredito também que é obrigação do Estado (em todas as instâncias) garantir o bem estar da nossa sociedade, inclusive dos profissionais do setor cultural, historicamente marginalizados, e afetados por relações trabalhistas muito vulneráveis. Ou seja, nossa classe trabalha muito sem nenhuma garantia. Assim, os recursos da Lei Aldir Blanc trazem um alívio apenas momentâneo a esses profissionais uma vez que a maioria de nós está sem fontes de renda desde março de 2020.

[AICS] De forma geral, como você analisa a aplicação da Lei Aldir Blanc, do ponto de vista cultural (produção) e econômico?

Pedro Cezar: Os artistas e produtores poços-caldenses contemplados pela Lei Aldir Blanc Estadual trarão para o município aproximadamente R$1.450.000,00; mérito da nossa classe que está organizada. Sendo bem direto: todo dinheiro investido em Cultura é imediatamente injetado na economia local, seja no pagamento de impostos, aluguéis, mensalidades, compras de itens essenciais e de produtos especializados e aquisição de todo tipo de serviços, impactando positivamente toda a comunidade.

Por isso, é necessário que a população de Poços de Caldas, bem como os representantes do Executivo e Legislativo municipais, e os empresários e as lideranças da Iniciativa Privada, entendam a relevância do setor cultural no desenvolvimento real de nossa cidade. A Cultura está – ou deve estar – conectada a todas as outras áreas como a Educação, o Esporte, a Promoção Social, o Turismo, a Segurança, etc. Mas ela ainda carece de investimentos, não só do Poder Público mas também do setor empresarial por meio de parcerias junto a essa cadeia produtiva que, além de criativa, não polui, gera emprego, gera renda e gera cidadania. A Cultura é um dos pilares para pensarmos um futuro sustentável para Poços, para nós que aqui vivemos e para as próximas gerações.

 

Por | Secretaria Municipal de Comunicação Social – Prefeitura de Poços de Caldas/MG

Regional

A importância da família no processo de aprendizagem infantil e no desenvolvimento pessoal

A base familiar é o alicerce sobre o qual se erguem os pilares mais importantes da vida de um indivíduo. Especialista em Empreendedorismo Familiar ressalta dicas valiosas para as famílias brasileiras.

Publicado

em

Foto: Divulgação

Brasil, fevereiro de 2024: O papel da família é essencial no processo de aprendizagem infantil, através de laços familiares estreitos que se cultivam a resiliência e a autoconfiança, habilidades fundamentais para enfrentar os desafios da vida.

A Constituição Federal de 1988 afirma em seu artigo 205: “a educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade,  visando  ao  pleno  desenvolvimento  da  pessoa,  seu  preparo  para  o  exercício  da cidadania e sua qualificação para o trabalho”.

A pedagoga, Sueli Tomaz, especialista em metodologia da educação infantil e séries iniciais defende que a escola assegura o direito, destaca a importância e abriga a garantia da aprendizagem. “Somente em casa, no ambiente familiar que ocorrem as primeiras práticas educativas. Sendo necessária uma parceria concreta entre ambas instituições”, e complementa, “Uma boa comunicação entre família-escola viabiliza a flexibilidade, a motivação e gera a continuidade dos estímulos educativos, culturais, metodológicos e sociais dos alunos, principalmente no contexto das séries iniciais”, assegura.

Além do desenvolvimento infantil, o papel da família no desenvolvimento pessoal é um tema intrinsecamente ligado à essência humana, que reflete a influência profunda e multifacetada que os laços familiares exercem sobre cada indivíduo.

Édem Davanzzo, co-fundador do maior movimento de empreendedorismo familiar do Brasil, “O Poder da Família”, destaca a importância dessa construção familiar desde o berço e seus reflexos positivos em toda a trajetória humana. “Desde os primeiros momentos de vida, a família desempenha um papel central, oferecendo um ambiente de segurança emocional e nutrindo os alicerces do crescimento pessoal. É dentro desse contexto íntimo que se forjam as primeiras conexões sociais, onde se aprende a linguagem do afeto e se internalizam valores fundamentais”, afirma o empresário.

Investir na família é a missão central de Davanzzo, que transformou seu anseio em projetos reais e ecoou isso através do Programa Papo em Família, que é transmitido pela Soico TV, em Moçambique. “Carrego o propósito de tratar a família como o ativo mais precioso, propagando a importância de investir no amor, dedicação e parceria dos próprios familiares para gerar como lucro, uma família forte e emocionalmente saudável”, continua.

Édem, em seus anos de experiência, decidiu aplicar técnicas de gestão empresarial dentro do lar para conseguir enfrentar os desafios da vida. A criação dos filhos e a transformação deles em sucessores, e não apenas em herdeiros, assim como, a família em uma espécie de empresa de sucesso. “Investir na família requer comprometimento, dedicação e esforço contínuo, mas os benefícios são imensuráveis. Ao priorizar os relacionamentos familiares e criar um ambiente de amor, respeito e apoio mútuo, você estará construindo a base para uma família feliz e saudável”, ressalta.

Com isso,  Davanzzo destacou pontos importantes para quem deseja investir na família:

Invista em tempo de qualidade: Reserve tempo regulares para passar com sua família. Isso pode incluir atividades comuns, como jantares em família, passeios, jogos ou simplesmente conversas significativas.

Comunicação aberta e honesta: Cultive um ambiente onde todos os membros da família sintam-se à vontade para expressar seus pensamentos, sentimentos e preocupações. Estimule uma comunicação aberta, ouvindo atentamente e demonstrando empatia.

Estabeleça tradições familiares: Crie tradições familiares que promovam união e memórias compartilhadas. Isso pode incluir celebrações de feriados, viagens anuais, noites de cinema em casa ou outras atividades que se tornem especiais para sua família.

Envolver-se na educação e desenvolvimento dos membros: Mostre interesse e apoio nas conquistas acadêmicas, hobbies e interesses dos membros da família. Estimule a aprendizagem contínua e o desenvolvimento pessoal de cada um.

Pratique o respeito e a compreensão: Promova um ambiente de respeito mútuo dentro da família, valorizando as diferenças individuais e resolvendo conflitos de maneira construtiva. Demonstre compreensão e aceitação, mesmo diante de divergências.

Estabeleça metas e objetivos familiares: Encoraje a definição de metas em conjunto como família, como por exemplo, economizar para uma viagem em família, iniciar um projeto voluntário ou alcançar objetivos de saúde e bem-estar.

Priorize o bem-estar físico e emocional: Cuide da saúde física e emocional de todos os membros da família, incentivando hábitos saudáveis, atividade física regular e cuidados com a saúde mental.

Demonstre amor e apoio incondicional: Expresse amor e apoio de maneira constante, seja através de palavras, gestos ou demonstrações de afeto. Mostre que sua família é uma fonte de amor e apoio incondicional, independentemente das circunstâncias.

 

Sobre Édem Davanzzo

É empresário bem sucedido no setor de comunicação, eventos e educação corporativa, fundador da agência Sense_AND e sócio da SME – The New Education.

O Top mind nexialista é perito em solucionar problemas de grandes marcas e empresários, além de ensinar as famílias a usarem técnicas de gestão empresarial no próprio lar para estimular os pais a empreender na família.

Anjo e Astro investidor | Co-fundador do maior movimento de empreendedorismo familiar do Brasil.

 

Por | Caroline Soares – Assessoria de Imprensa – Clacri

Continuar Lendo

Regional

Feira de Empregos traz vagas para PCDs em Pouso Alegre

Evento acontece na Faculdade Una Pouso Alegre, onde candidatos vão contar com apoio para as entrevistas e para fazer currículos

Publicado

em

Foto: Divulgação

A Faculdade Una Pouso Alegre realiza a Feira de Empregos, processo de seleção de vagas exclusivas para Pessoas com Deficiência (PCD). O evento será nesta sexta-feira (16), das 9h às 16h. Serão oferecidas 11 vagas para trabalhar na Cimed. O Grupo Cimed é a quarta maior indústria farmacêutica do Brasil e está localizado em Pouso Alegre. No dia da Feira, os candidatos também vão contar com auxílio dos alunos do curso de Psicologia da Una Pouso Alegre para fazer currículos e se preparar para as entrevistas de emprego.

A vagas são as seguintes: operador de produção (6), auxiliar de limpeza (2), auxiliar administrativo (1), analista de controle de qualidade Jr. (1) e assistente de controle de qualidade (1). As entrevistas serão feitas no dia. Os candidatos devem trazer os documentos pessoais e o laudo médico de PCD. Os interessados presentes na Feira também vão participar do sorteio de brindes. Lembrando que o prédio da Una possui acessibilidade em todos os andares e está pronto para receber os candidatos.

Feira de Empregos para PCDs

Data: 16/02, das 9h às 16h.

Local: Una Pouso Alegre (Rua João Basílio, 420 – Centro).

 

Por | Elemara Duarte – Analista de RI – Rede Comunicação

Continuar Lendo

Regional

Sinais de alerta com a saúde mental das crianças

Publicado

em

Sinais de alerta com a saúde mental das crianças / Foto: Pixabay

* Psicopedagoga Luciana Brites, CEO do Instituto Neurosaber

Cada ser humano é diferente do outro e a forma como lidam com questões emocionais e de saúde mental também. Muito se fala sobre saúde mental, mas estamos prestando atenção ao comportamento das crianças? É muito importante que todos, que convivam e estejam ao redor do pequeno, estejam atentos às mudanças de humor e comportamento.

Quando falamos de saúde mental nos referimos a como nossa mente e coração se sentem e funcionam. Relaciona-se a como nos sentimos por dentro e como lidamos com nossos pensamentos e emoções. Estar atento à saúde mental infantil se faz necessário porque ela desempenha um papel fundamental em seu desenvolvimento e bem-estar.

Além disso, afeta como elas aprendem, se relacionam com os outros e enfrentam os desafios da vida. Quando as crianças estão emocionalmente saudáveis, têm mais chances de serem bem-sucedidas em todas as áreas e aspectos de suas vidas.

Os principais fatores de risco ligados à saúde mental infantil estão relacionados à violência, social e familiar; bullying; violência sexual; e problemas socioeconômicos.

Alguns sinais de alerta que as crianças demonstram são mudanças drásticas de comportamento, problemas de sono, expressão de emoções, declínio no desenvolvimento escolar e comentários que podem ser vistos como preocupantes. Na mudança de comportamento, passam a se isolar, evitam contato social e expressam tristeza de maneira contínua.

Os problemas de sono têm reações como constantes dores de cabeça, estômago ou recusa em ir à escola. Na expressão de emoções, a criança pode começar a ter, por exemplo, medo de tudo. A expressão de emoções incomuns ou extremas pode ser um indicativo de que algo está perturbando a criança.

Já o declínio no desempenho escolar também pode ser sinal de dificuldades emocionais. Nos comentários preocupantes fazem afirmações como que desejam desaparecer, se machucam ou machucam os outros. Esses comportamentos devem ser levados a sério.

Sinais de alerta com a saúde mental das crianças / Foto: Freepik

Muitos pais se perguntam o que fazer diante dessas circunstâncias. O mais indicado é conversar com a criança e abrir um espaço seguro para que elas possam falar dos seus sentimentos. É necessária uma escuta empática e sem julgamentos.

Também é importante um apoio profissional para que essa criança seja amparada e que suas necessidades sejam compreendidas. Procure reduzir o estresse criando um ambiente familiar calmo e de apoio. Identifique os sinais de alerta e procure ajuda. Lembre-se, buscar ajuda não é sinal de fraqueza, mas, sim, de amor e cuidado.

(*) Luciana Brites é CEO do Instituto NeuroSaber (https://institutoneurosaber.com.br ), autora de livros sobre educação e transtornos de aprendizagem, pedagoga, palestrante, especialista em Educação Especial na área de Deficiência Mental e Psicopedagogia Clínica e Institucional pela UniFil Londrina e em Psicomotricidade pelo Instituto Superior de Educação ISPE-GAE São Paulo, além de ser Mestra e Doutoranda em Distúrbios do Desenvolvimento pelo Mackenzie.

 

Por | Joyce Nogueira – Drumond Assessoria de Comunicação

Continuar Lendo

Em Alta

...