Conecte-se conosco

Regional

As dificuldades na implementação da LGPD

Enquanto que na esfera privada, empresas investem para se adequarem à lei, na pública, mudanças não foram feitas

Publicado

em

Foto: Divulgação / Shutterstock

Francisco Gomes Júnior / Foto: Divulgação

Apresentada como a legislação que colocaria o Brasil na vanguarda mundial sobre a matéria, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) tem papel fundamental para disciplinar o uso de dados pessoais por empresas públicas e privadas.

Adotando o princípio da autodeterminação informativa, a utilização de dados pessoais do usuário depende do consentimento dele. Além dessa hipótese, outras bases legais presentes na LGPD, como o cumprimento de obrigação legal, execução de contrato, proteção da vida e tutela da saúde permitem a extração e utilização de dados pessoais.

Após a edição da Lei, as empresas privadas iniciaram providências para se adequar à LGPD. Contrataram escritórios de advocacia, consultorias em tecnologia e profissionais de Tecnologia da Informação (TI) para implementar cultura de proteção de dados, alterar contratos e documentos, mapear e reduzir riscos em hardwares e softwares, dentre outras medidas. A maioria das empresas privadas concluiu que junto às medidas de adequação, é necessário investir em cibersegurança para impedir invasões aos sistemas e captura de dados pessoais de seus clientes.

O mercado percebeu que ter um diferencial na segurança oferecida ao cliente é uma grande vantagem, sobretudo em ramos com alta competição. Hoje existem escritórios especializados para full service, ou seja, para realizarem a adaptação total da empresa aos termos da LGPD.

Na esfera pública, parece que as coisas não correm muito bem. Noticiou o site Capital Digital que uma auditoria realizada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), através da Secretaria de Fiscalização de TI (Sefti) em relatório final aprovado pelo plenário da Corte e relatado pelo Ministro Augusto Nardes, apresentou dados preocupantes e decepcionantes em relação à adaptação do setor público à LGPD.

São variadas informações, mas em resumo pode-se dizer que 76,7% em um contingente de 382 órgãos federais não adotam a LGPD. Ainda, somente 45% das organizações concluíram a iniciativa de mapeamento e planejamento das medidas necessárias à adequação e apenas 17% das organizações checadas identificaram todos os procedimentos de negócio que realizam tratamento de dados pessoais.

Segundo Francisco Gomes Junior, especialista em direito digital e presidente da Associação de Defesa de Dados Pessoais e Consumidor (ADDP), as informações são muito preocupantes. “Órgãos públicos lidam diariamente com nossos dados e saber que não estão adequados à LGPD traz um sentimento de vulnerabilidade a todos os cidadãos. E se a adaptação legal não foi feita, será que medidas se cibersegurança foram implementadas? Tudo indica que não”.

De fato, em 2021, o Brasil ficou no topo de vazamento de dados. E muitos órgãos públicos foram atacados, como o Ministério da Saúde e o aplicativo SUS (Sistema Único de Saúde) de onde vazaram 200 milhões de dados. Além disso, empresas estatais, Tribunais, vêm reportando com frequência as intrusões que estão sofrendo.

“Até agora a ANPD, encarregada de fiscalizar o cumprimento da LGPD está com uma postura coerente. Estruturou-se inicialmente, foi transformada em autarquia e tem preferido atuar orientando empresas e não sancionando, o que parece ser o mais correto diante do cenário descrito. Obviamente, o caso do Ministério da Saúde, pela repercussão nacional deverá ter seus resultados divulgados para a sociedade, o que ainda não ocorreu”, finaliza Gomes Júnior.

Portanto, sabendo da vulnerabilidade que algumas empresas ainda têm, tome cuidado ao fornecer seus dados e adquira o hábito de acompanhar a utilização deles e seus limites. Todos devemos atuar para proteção adequada.

Francisco Gomes Júnior – Sócio da OGF Advogados. Presidente da Associação de Defesa de Dados Pessoais e do Consumidor (ADDP). Autor do livro Justiça Sem Limites. Instagram: https://www.instagram.com/franciscogomesadv/

 

Por | Tauana Marin – Máxima Assessoria de Imprensa

Continuar Lendo
Anúncio
Clieque para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Regional

E-book gratuito ajuda quem deseja mudar de carreira

Publicado

em

Margarete Chinaglia / Foto: Divulgação

TRANSIÇÃO DE CARREIRA / Foto: Divulgação

“Transição de carreira: O que tem mais a minha cara?”, esse é o novo e-book da escritora, consultora e coach de carreira Margarete Chinaglia. A proposta do livro é ajudar quem está desanimado com o trabalho e não sabe o que fazer na vida. O material pode ser obtido gratuitamente pelo site www.margaretechinaglia.wordpress.com.

Segundo Chinaglia, todas as pessoas partem de um sonho. Porém, com o tempo surgem perguntas sobre qual profissão combina mais ou o que se alinha ao perfil. Para dificultar, há os desafios do mercado, o limitado número de oportunidades em determinadas áreas, além de outros fatores. “Em alguns casos, a pessoa é ‘obrigada’ a aceitar o quem vem. É a lei da sobrevivência! Mas nem sempre isso é algo que traz a felicidade”.

Margarete lembra que há muitas pessoas que enfrentam a síndrome do domingo à noite. É um sentimento de angústia, misturado com desânimo ou de pânico por saber que a segunda-feira está próxima e, em poucas horas, vai estar no trabalho novamente. “É uma sensação ruim, com vontade zero para encarar o chefe”.

– Porém, chega um momento da vida que temos um ‘estalo’ e vemos a necessidade de mudar a direção na vida. A pandemia provocou muita reflexão sobre isso. No entanto, ficam as dúvidas, os medos de trocar o certo pelo duvidoso. Transição de carreira é coisa séria, pois pode mudar totalmente a vida! Esta decisão é difícil e demanda confiança e certeza – ressalta.

Para Chinaglia, a pessoa precisa identificar um propósito ou objetivo no trabalho para que seja mais feliz com o que faz. Ela diz que é fundamental começar com pequenos passos, com pequenos planejamentos. “Não é preciso sair do que faz de maneira abrupta, ou afobada, e ficar sem uma renda. Porém, quando se elabora com cuidado cada passo que irá executar para chegar aonde quer, é natural se sentir mais seguro para voar alto”.

– A proposta do livro é mostrar que é possível buscar o protagonismo na própria vida, mas de forma estratégica. É aconselhável também que se busque ajuda de um profissional para auxiliar no direcionamento, até que a pessoa possa visualizar e vislumbrar o sentido do propósito chegando à realização – comenta.

Sobre a autora

Margarete Chinaglia é profissional com mais de 30 anos no mercado de trabalho. Com atuação forte, consistente e consolidada, passou por vários modelos, experiências e oportunidades. Atuou como atendente, analista, coordenadora, gestora, empresária, consultora e coach.

Ficha Técnica do e-book

Título: Transição de carreira: O que tem mais a minha cara?”,

Gratuito

Gênero: Carreira

Autora: Margarete Chinaglia

Revisão e Diagramação: Tiberius Drumond/Agência Drumond

Páginas: 30

Preencha o formulário no link do site e receba o e-book por e-mail.

Site: www.margaretechinaglia.wordpress.com

 

Por | Joyce Nogueira – Drumond Assessoria de Comunicação

Continuar Lendo

Regional

Higienização dos itens de decoração: de cortinas à almofadas, saiba de quanto em quanto tempo a lavagem deve ser feita

Publicado

em

Foto: Divulgação / Freepik

É indispensável para o bem-estar de qualquer lar, a limpeza e organização dos ambientes, incluindo as peças decorativas. Se é comum a lavagem de roupas, toalhas e lençóis, os itens que compõem a decoração também merecem a mesma atenção especial. O CEO da Lavô, maior rede de lavanderias self-service do país, Angelo Donaton, listou alguns cuidados para essa etapa  e como a prática traz benefícios tanto para o ambiente quanto para a saúde.

Cortinas-  A maioria pode ser lavada de duas a três vezes por ano, dependendo do tecido e da necessidade. Em locais de muita exposição à poeira, a lavagem deve ocorrer a cada três meses, pois o acúmulo de pó pode trazer riscos à saúde. “Para lavagem em máquinas, é importante atentar-se ao material em questão. O ciclo delicado é o mais recomendado e o uso de sabão neutro também. Além disso, vale conferir a temperatura no uso de secadoras”, explica Angelo.

Capas de almofada- Peças chave na decoração, as almofadas também são grandes acumuladoras de poeira. “No caso do uso de capas, recomendamos a lavagem a cada três meses. Isso vai depender, é claro, da exposição que esse material sofre. Em casas com crianças e animais, por exemplo, essa higienização pode ser feita mensalmente. Outra dica bacana é não desperdiçar a oportunidade de deixar as janelas e portas abertas. Quanto mais arejado o ambiente, melhor”, completa.

Travesseiros- A higienização dos travesseiros exige pouca manutenção durante o ano, já que a atenção é maior com as fronhas. “A lavagem dos travesseiros deve ser feita a cada seis meses, dessa forma evita-se o acúmulo de poeira e aparição de mofo. Deixar as peças no sol sempre que possível também auxilia nesse processo de higienização. Já as fronhas devem ser trocadas semanalmente, pois são elas que entram em contato com o rosto e resquícios de células mortas, um processo natural do corpo, o que leva ao acúmulo de  mais sujeiras”, aponta Angelo. Outra dica do CEO nesse caso é o uso de sabão líquido para a lavagem, já que é fácil remoção.

Sobre a Lavô

A Lavô é a maior franquia de lavanderias self-service do Brasil. Inaugurada em 2018, entrou para o franchising em 2020 e já conta com mais de 520 unidades pelo Brasil. Com a missão de democratizar e simplificar o serviço, a franquia dispensa funcionários e pode ser gerenciada à distância, através do sistema online. Em 2021, a rede faturou R$ 8 milhões de reais e para 2022 a expectativa é alcançar R$ 10 milhões e 750 lojas.

 

Por | Jullia Nascimento – Markable Comunicação

Continuar Lendo

Regional

Como turbinar as vendas da sua loja virtual no Dia dos Pais?

Éder Medeiros, fundador e CEO do Melhor Envio, explica as principais tendências do mercado e dá dicas de como os lojistas podem se preparar para a data

Publicado

em

Éder Medeiros é CEO e fundador do Melhor Envio / Foto: Divulgação

São Paulo, agosto de 2022 – O comércio eletrônico cresce cada vez mais no Brasil e datas comemorativas, como o Dia dos Pais, movimentam ainda mais o setor. De acordo com a Neotrust, em 2021, o volume de vendas das empresas virtuais aumentou 4,2% no período. Já o faturamento chegou a R$ 6,2 bilhões, um crescimento de 15,9% em relação a 2020. Esses dados mostram uma mudança significativa no comportamento dos consumidores nos últimos anos, revelando o potencial que essa data sazonal tem para impulsionar o varejo online. A expectativa é que os números aumentem ainda mais em 2022.

Éder Medeiros, fundador e CEO do Melhor Envio – plataforma de intermediação de frete entre vendedores virtuais e transportadoras – separou algumas dicas de como os empresários podem impulsionar as vendas das lojas virtuais. Confira:

 

  1. Cuide da parte técnica do seu site. 

Verifique se o seu e-commerce está preparado para aguentar o aumento repentino de acessos. Se não estiver, providencie um serviço de hospedagem capaz de atender a demanda.

 

  1. Coloque as categorias mais procuradas em destaque

É muito importante estar atento aos produtos que mais atraem os consumidores. Segundo o relatório da All in, as categorias mais procuradas pelos consumidores durante o Dia dos Pais em 2021 foram: Moda e acessórios (30,2%); Beleza (16%); Farmácia e Saúde (13,8%); Alimentos e Supermercado (10,1%) e Outros (12,4%).

A tendência é que estes segmentos continuem em alta em 2022. Logo, se a sua loja virtual é focada em produtos dessas categorias, é hora de destacá-los dentro do site e, assim, estimular o aumento dos acessos.

 

  1. Crie listas de presentes para o Dia dos Pais. 

De um lado, temos os lojistas querendo descobrir o que mais vende no Dia dos Pais para destacar na loja virtual. Do outro, consumidores que ainda não decidiram o que vão comprar. Por isso, faça uma lista com ideias de presentes para seus clientes. Montar combos ou “kit Dia dos Pais” é uma excelente estratégia para movimentar seu estoque. Você pode incluir produtos menos procurados com outros queridinhos do público, e assim “desencalhar” os itens que estão parados.

 

  1. Acerte na divulgação: não cometa o erro de cair em estereótipos

Quer fazer diferente neste Dia dos Pais? Então, comece quebrando os estereótipos que cercam a imagem paterna. Por diversas vezes, os pais são representados nas publicidades de maneira estereotipada como super heróis ou perfeitos. Mas sabemos que na realidade não é bem assim, né? Por isso, fuja desse tipo de representação na hora de divulgar suas campanhas de Dia dos Pais. Pelo contrário, aproveite a data para inovar a publicidade do seu e-commerce e desconstruir esses padrões. Você pode ainda explorar temas como: paternidade solo, trans, homoafetiva e socioafetiva.

 

  1. Fique de olho na entrega

Ações promocionais já não são mais suficientes para estimular o consumidor a comprar pela internet. A pesquisa da All in revelou que 45% dos entrevistados desistiriam de uma compra por causa do preço do frete, enquanto 38% responderam que um prazo de entrega ruim é um fator decisivo para a desistência.

Nesse sentido, avalie a possibilidade de oferecer frete grátis durante o Dia dos Pais de 2022. Como é praticamente inviável manter a entrega gratuita para todo o seu estoque, a dica é disponibilizar o frete grátis apenas em itens selecionados. Isso acaba prevenindo situações como frete mais caro que o produto.

Outra solução é estipular um valor mínimo de compras. Por exemplo: “Dia dos Pais com frete grátis nas compras acima de R$ 200”. Essa prática é muito útil para aumentar o ticket médio do seu e-commerce, pois incentiva o consumidor a gastar um pouco mais para receber a isenção do envio.

Não consegue arcar com os custos do frete grátis? Uma alternativa é adotar o frete fixo. Para não comprometer o lucro, escolha regiões onde o envio é mais barato e estabeleça um valor que seja vantajoso para você e seu cliente.

 

  1. Remarketing: traga de volta clientes que já compraram na sua loja virtual

Se você acha que está muito tarde para tentar atrair novos leads, que tal tentar trazer de volta consumidores que já compraram no seu e-commerce em outras ocasiões? Ou que já demonstraram interesse em finalizar uma compra?

Para atrair novamente esse público, aposte no remarketing, uma estratégia de Marketing Digital que serve justamente para impactar consumidores que já tiveram uma experiência de compra ou passaram pela sua loja, mas acabaram abandonando o carrinho.

Você pode criar anúncios destacando produtos que essas pessoas pesquisaram dentro do seu site ou enviar promoções e descontos via e-mail marketing.

 

  1. Garanta a satisfação do cliente no pós-venda

Um tópico que alguns lojistas não dão a devida atenção é o pós-venda. Portanto, se sua intenção é fidelizar os clientes, sugerimos a criação de um canal de atendimento ou autoatendimento para melhorar a experiência do consumidor após a compra.

Certifique-se de ficar à disposição ou possuir uma equipe treinada para solucionar eventuais problemas. O ideal é diversificar ao máximo o atendimento, seja via e-mail, chat, telefone, WhatsApp ou redes sociais.

 

Sobre a empresa

O Melhor Envio é uma plataforma de intermediação de fretes para quem vende online, onde é possível cotar, gerar etiquetas de frete e realizar o rastreamento de pedidos. Atualmente, a empresa conta com 6 transportadoras integradas, que são: Correios, Jadlog, Latam Cargo, Azul Cargo Express, Via Brasil e Buslog. O Melhor Envio foi fundado em 2015, por Éder Medeiros, quando o empresário, que vendia seus produtos em e-commerce, sentiu na pele a dificuldade que um lojista enfrenta ao tentar encontrar um valor acessível de frete, além dos complexos de gestão de logística. Por conta disso, o fundador e atual CEO da companhia decidiu criar a empresa para oferecer fretes competitivos para lojistas de todo o Brasil.

 

Por | Giulia Martins – NR7

Continuar Lendo

Em Alta

...