Conecte-se conosco

Regional

Como lidar com a transformação de sentimentos da adolescência

Como lidar com a transformação de sentimentos da adolescência / Imagem: Freepik

Publicado

em

Livia Marques, psicóloga -/ Foto: Afroafeto Fotografia

*Psicóloga Livia Marques

Com o surgimento da puberdade e o início da adolescência, tudo fica diferente nos filhos. Isso vai muito além da fisionomia, altura e a voz. Até a maneira de pensar e agir mudam completamente. Como os pais podem entender essas transformações de humor e sentimentos?

Por exemplo, o filme Divertida Mente 2, produzido pela Pixar, apresenta de maneira lúdica essas alterações na vida dos jovens. A continuidade do desenho mostra a personagem Riley, agora adolescente, vivenciando diferentes sentimentos. Por exemplo, a famosa “sala de controle” também conta com diferentes emoções com uma valência que anteriormente não eram tão percebidas pela personagem.

A ansiedade, a inveja, o tédio e a vergonha se juntam aos companheiros alegria, tristeza, raiva e nojo. Aumentando o repertório emocional da adolescente.

O filme pode ajudar os pais a entenderem a importância de compreender as mudanças nos jovens. Isso também faz refletir sobre os adultos que precisam entrar em contato com suas emoções, além de entender que todas elas fazem parte da vida de cada um de nós.

Por exemplo, a adolescência é marcada por muitas cobranças e julgamentos. Geralmente, nessa fase da vida ouve-se muito: “você já tem tantos anos, se comporte como uma pessoa de sua idade” ou “Pare de agir como adulto [ou criança]”. São as frases clássicas ditas por mais e outros adultos presentes na vida dos adolescentes.

Vale lembrar que os adolescentes estão em uma fase em que as pessoas acreditam que apenas seja a problemática. Na verdade, estão descobrindo e fortalecendo seus valores, além de estarem cheios de criatividade.

Transformação de sentimentos da adolescência / Imagem: Freepik

A orientação sempre virá dos adultos. Porém, para além disso, eles continuarão desenvolvendo o seu treino de habilidades socioemocionais diante de muitos desafios. Em contrapartida, muitas serão as novidades e as novas preocupações.

A vinda dos novos personagens/emoções, que chegam para compor o longa-metragem, nos mostra que sentir emoção não é ruim. A grande questão que se deve levar em conta é sobre como a valência de cada uma delas impacta nossas vidas. E ainda, como lidamos quando uma determinada emoção está numa valência alta ou muito baixa?

Outro ponto a se pensar é sobre o fator inibição emocional. É um comportamento onde a pessoa não demonstra o que se sente e muito menos se permite sentir. Muitas pessoas acreditam ser um grande erro demonstrar sentimento e entrar em contato com o que se sente. É o resultado de acreditar, por quase uma vida inteira, que sentir emoção é ruim. Quem nunca passou por isso?

A emoção é algo que todos nós podemos sentir e acolher. Também devemos pensar em como serão nossas ações e estratégias para lidar com cada uma delas. Isso é uma forma de aprender a lidar com nosso lado mais vulnerável e com nossos lados mais felizes e mais sérios (ou adulto).

Portanto, que possamos lidar de forma mais saudável com o nosso sentir e viver uma vida que tenha regulação emocional e humanização das nossas vulnerabilidades. Junto disso, refletir que podemos, de forma coletiva e individual, buscar um caminho que não seja de julgamentos e culpas.

(*) Psicóloga Clínica, Especialista em Terapia Cognitiva Comportamental, Formação em Terapia do Esquema, Estudiosa em relações raciais e saúde mental negra, Palestrante, MBA em Gestão de Pessoas, Coordenadora editorial e autora, além de apaixonada pelo filme Divertida Mente.

 

Por | Joyce Nogueira – Drumond Assessoria de Comunicação

Continuar Lendo
Anúncio
Clieque para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Regional

Olimpíada de Administração premia estudantes e profissionais

Com 30 mil inscritos, iniciativa ensina sobre o mercado de crédito de carbono por meio de game.

Publicado

em

Resultado liberado OBAdm / Imagem: Divulgação

A primeira edição da Olimpíada Brasileira de Administração contou com 30 mil inscritos em todo o país, entre estudantes dos ensinos médio e superior, além de profissionais. Ao todo, foram distribuídas 170 medalhas de ouro; 162 de prata, 250 de bronze, 1106 menções honrosas, além de 170 medalhas aos professores que tiveram mais alunos medalhistas. Com o tema “A gestão dos ODS nas organizações”, a OBAdm teve como objetivo destacar a sustentabilidade e a importância de formar profissionais mais conscientes. Os resultados podem ser consultados pelo site https://www.obadm.org.br/ .

Realizada pelo Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro (CRA-RJ), a olimpíada tem como objetivo promover o ensino de qualidade da Ciência da Administração de modo empolgante, utilizando mecanismos de gamificação para impulsionar novos processos de aprendizagens.

A primeira edição abordou quatro dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU): ODS 8 (trabalho decente e crescimento econômico); ODS 9 (fomento da inovação, infraestrutura resiliente e a industrialização inclusiva e sustentável); ODS 11 (cidades e comunidades sustentáveis); e ODS 12, (consumo e produção responsáveis).

As avaliações foram aplicadas em duas fases. A primeira envolveu uma prova com questões de múltipla escolha. E a segunda, foi totalmente gameficada. O desafio principal usou como inspiração o mercado de crédito de carbono. A proposta era fazer com que os participantes pudessem entender melhor a relação delicada entre as necessidades sociais, questões ambientais e geração de riquezas e empregos para uma cidade fictícia.

Desenvolvimento sustentável

Para o coordenador da OBAdm e presidente do CRA-RJ, Wagner Siqueira, a OBAdm, além de promover o conhecimento, teve como intuito promover a conscientização de estudantes e profissionais de administração e áreas correlatas sobre a importância dos Direitos Humanos, do Trabalho, Meio Ambiente e a fomentação de mecanismos Anticorrupção.

Estudantes fazendo a prova da OBAdm 2- Fonte OBAdm e CRA-RJ / Foto: Divulgação

O ensino da Administração no país

Wagner Siqueira lembra que, no ensino superior, o curso de Administração é um dos mais procurados do país, segundo dados do cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação Superior (e-MEC). Em relação aos cursos presenciais, é o quinto maior com quase 250 mil estudantes. Já no EAD, ocupa o segundo lugar, com 393 mil. Além disso, grande parte está na rede pública de ensino (74,7%).

Para Wagner, o grande número de alunos que ingressam na faculdade de administração traz uma séria reflexão. “Para termos organizações mais transparentes e éticas, é preciso, hoje, conscientizar os jovens, pois eles serão os próximos gestores e líderes”.

 

OBAdm – Gestão dos ODS nas organizações

Site: https://www.obadm.org.br/

Contato para tirar dúvidas: 0800 606 9130

 

FONTE: Ascom OBADm/CRA-RJ

 

Por | Joyce Nogueira – Drumond Assessoria de Comunicação

Continuar Lendo

Regional

Governo de Minas amplia número de tomografias computadorizadas realizadas no estado

Com investimento de R$ 160 milhões para a compra de tomógrafos, expectativa é de redução do tempo de espera para a realização do exame pelo SUS.

Publicado

em

Foto: Dirceu Aurélio / Imprensa MG

O Governo de Minas está trabalhando para ampliar e fortalecer as ações assistenciais de saúde no estado. Por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) foram investidos cerca de R$ 160 milhões para adquirir 104 tomógrafos para instituições e unidades de saúde mineiras. Até o momento, 84 instituições adquiriram o equipamento e 59 destes já estão em funcionamento.

Nesta quinta-feira (11/7), o vice-governador de Minas Gerais, Professor Mateus, participou de ação na Santa Casa BH que celebra a realização de 3 mil exames de tomografia computadorizada no equipamento adquirido em março de 2024, com recurso repassado pela SES-MG, no valor de R$ 1,5 milhão.

De acordo com o vice-governador, o investimento em tecnologia na saúde feito em Minas, como é o caso da aquisição de equipamentos de tomografia computadorizada, colabora para o aumento da velocidade no diagnóstico, agilidade e qualidade do atendimento médico para a população.

Foto: Dirceu Aurélio / Imprensa MG

“Tomógrafos como este da Santa Casa de Belo Horizonte mudam a nossa condição de assistência, seja em hospitais que já têm o serviço de tomografia e que ganham velocidade e qualidade na realização dos exames, ampliando a sua capacidade de atendimento, seja na cobertura de vazios assistenciais”, explicou Professor Mateus.

Aumento nos exames

A Santa Casa de Belo Horizonte foi uma das instituições contempladas por meio da Resolução SES/MG nº 7.874, de 22/11/2021, que dispõe sobre o repasse de recursos destinados à aquisição de equipamentos para exames de tomografia computadorizada no âmbito da Política de Atenção Hospitalar de Minas Gerais, o Valora Minas.

Houve aumento expressivo no número de exames realizados desde março e a instituição espera que cerca de 1,3 mil tomografias sejam feitas, mensalmente, com o novo equipamento, o que vai reduzir o tempo de espera e permitir um diagnóstico mais rápido.

Para o provedor da Santa Casa de Belo Horizonte, Roberto Otto Augusto de Lima, o novo equipamento quase que dobrou a velocidade de realização de exames de imagens do hospital melhorando assim o diagnóstico e diminuindo o tempo de internação dos pacientes.

“Nós estamos conseguindo fazer 85% dos exames de tomografia em menos de 24 horas do pedido. Isso significa maior acesso à população, aos leitos da Santa Casa, porque a gente consegue girar os leitos de forma mais rápida” contou.

O secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, reconheceu o papel da Santa Casa na saúde de Minas Gerais e destacou a importância do tomógrafo para tratamentos em que o hospital é referência.

“Um tomógrafo para a Santa Casa vale muito. É aqui que se faz a maior parte dos transplantes do estado, é aqui que se faz o maior número de cirurgias e neurocirurgias, e é aqui que se faz as maiores cirurgias cardíacas do estado. Este hospital é muito nobre, por isso o nosso papel como gestores é que o nosso recurso chegue onde, de fato, vai fazer a diferença” disse.

Foto: Dirceu Aurélio / Imprensa MG

Investimentos na Santa Casa de BH

Além de atender pacientes de Belo Horizonte e região, o hospital recebe transferências de todo o estado. Para fortalecer sua atuação, o Governo de Minas repassou para a instituição, desde novembro de 2021, mais de R$ 127,9 milhões referentes ao módulo Valor em Saúde, da Política Valora Minas.

Durante a pandemia de covid-19, também foram doados ao hospital cerca de R$ 4 milhões em equipamentos.

Além disso, o Governo de Minas repassou ao município de Belo Horizonte um total de R$ 4,8 milhões desde outubro de 2023, para quitação da dívida do Pro-Hosp (extinto programa de fortalecimento de hospitais prestadores de serviços ao SUS em Minas Gerais) com a Santa Casa BH.

 

Por | Agência Minas

Continuar Lendo

Regional

A importância da audição para o desenvolvimento infantil

Publicado

em

A importância da audição para o desenvolvimento infantil / Imagem de Freepik

* Psicopedagoga Luciana Brites, CEO do Instituto Neurosaber

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 5% da população brasileira sofre com algum tipo de deficiência auditiva. A audição é um dos sentidos mais importantes para o desenvolvimento e aprendizado das crianças, pois ela desempenha um papel crucial na forma como elas percebem o mundo ao seu redor e evoluem.

A audição é um dos principais canais de aprendizado e comunicação para as crianças desde o nascimento, pois elas começam a reconhecer sons, palavras e padrões de fala, o que é crucial para o desenvolvimento da linguagem, alfabetização, habilidades sociais e cognitivas.

Além disso, ela também é um dos principais meios pelos quais as crianças desenvolvem habilidades sociais, como a capacidade de compreender as emoções e intenções nas vozes das pessoas ao seu redor. Portanto, o processamento auditivo está intimamente ligado ao desenvolvimento de habilidades cognitivas, como a memória e a atenção.

Alguns riscos podem prejudicar a audição e, como resultado, afetar o desenvolvimento dos pequenos. Por exemplo, a exposição aos ruídos altos. Ambientes barulhentos, festas e brinquedos de volume elevado podem expor a criança aos níveis prejudiciais de ruído, podendo resultar em danos auditivos.

Infecções de ouvido também podem ser prejudiciais. Infecções frequentes podem afetar a audição e o desenvolvimento da fala. O uso inadequado de fones de ouvido também pode ser prejudicial. Utilizar dispositivos com fones de ouvido com volume excessivo pode causar perda auditiva ao longo do tempo.

A importância da audição para o desenvolvimento infantil / Imagem de vwalakte no Freepik

Fatores genéticos e dificuldades congênitas também podem influenciar. Algumas condições de saúde têm uma base genética, sendo essencial identificá-las precocemente para intervenções apropriadas.

A audição é uma excelente ferramenta que ajuda a aprender, a falar, a entender emoções e a se divertir. Logo, devemos evitar barulhos muito altos, manter os ouvidos limpos e usar fones de ouvido com cuidado, além de monitorar seu desenvolvimento. Portanto, cuidar da audição é um jeito de garantir que as crianças cresçam felizes e saudáveis.

(*) Luciana Brites é CEO do Instituto NeuroSaber, autora de livros sobre educação e transtornos de aprendizagem, pedagoga, palestrante, especialista em Educação Especial na área de Deficiência Mental e Psicopedagogia Clínica e Institucional pela UniFil Londrina e em Psicomotricidade pelo Instituto Superior de Educação ISPE-GAE São Paulo, além de ser Mestra e Doutoranda em Distúrbios do Desenvolvimento pelo Mackenzie. Instituto NeuroSaber https://institutoneurosaber.com.br

 

Por | Joyce Nogueira – Drumond Assessoria de Comunicação

Continuar Lendo

Em Alta

...