Conecte-se conosco

Regional

Em Poços: Aulas da Rede Municipal de Ensino têm início em 8 de fevereiro, de forma remota

Publicado

em

As aulas na Rede Municipal de Ensino de Poços de Caldas terão início no dia 8 de fevereiro, ainda de forma remota, por conta da pandemia do novo coronavírus. Neste momento, os indicadores da Covid-19 no município e em toda a região não permitem o retorno das aulas presenciais ou o estabelecimento de um sistema híbrido de ensino.

Nos dias 03, 04 e 05 de fevereiro, os gestores escolares já coordenarão os trabalhos com as equipes, também de forma online. Cada unidade manterá o formato desenvolvido durante o ano de 2020, com os recursos mais adequados a partir das necessidades da comunidade escolar.

As aulas presenciais estão suspensas desde o dia 18 de março de 2020. O Regime Especial de Atividades Não Presenciais na Rede Municipal de Ensino de Poços de Caldas teve início em 11 de maio do ano passado. O sistema de ensino remoto nas unidades de Ensino Fundamental e Médio foi regulamentado por meio da Portaria no 006/2020, que dispõe sobre a reorganização do calendário escolar 2020, em razão da suspensão das aulas presenciais em decorrência das ações de enfretamento ao novo coronavírus (COVID-19).

“Diante das necessidades que se apresentam, a Secretaria Municipal de Educação manterá o sistema remoto de ensino com nossos alunos, a partir de 8 de fevereiro, de acordo com as recomendações do Comitê Municipal Extraordinário Covid-19. Aproveito para agradecer e parabenizar as equipes, que se desdobraram para oferecer alternativas de ensino adequadas para nossos estudantes durante todo o ano de 2020”, destaca a secretária municipal de Educação, Maria Helena Braga.

Desde o ano passado, estão sendo utilizados diferentes recursos oferecidos pelas Tecnologias de Informação e Comunicação em plataformas digitais próprias ou gratuitas, acrescidas de atividades elaboradas, monitoradas e registradas pelo professor, de modo a atender a todos os alunos da Rede Municipal, nas 25 escolas. Para alunos cujos pais/responsáveis declararam não possuir condições de acessar as atividades não presenciais pelas plataformas digitais é disponibilizado material impresso.

 

Por | Secretaria Municipal de Comunicação Social – Prefeitura de Poços de Caldas/MG

Regional

Doações no Brasil já ultrapassaram mais de 500 milhões de reais em 2022

Petrobras foi a empresa que mais realizou doações, com R$ 280 milhões, e Lia Maria Aguiar a maior doadora individual

Publicado

em

Foto: Divulgação / Pixabay

Mais de 500 milhões de reais já foram doados por empresas e pessoas físicas para projetos de desenvolvimento e não emergenciais, é o que aponta o Monitor das Doações, uma iniciativa da Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR), com o apoio do GIFE. A plataforma contabiliza diariamente doações com valor igual e/ou superior a R$ 3 mil e que são divulgadas publicamente, e já registrou, até o mês de julho, 124 doadores, sendo a Petrobras a empresa que mais contribuiu, informando que doará R$ 280 milhões até o final do ano.

Outras empresas também fizeram doações expressivas, como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com R$ 66 milhões, Cacau Show, com R$ 20 milhões, e Grupo Heineken, com R$ 15 milhões. Em relação às doações de pessoas físicas, Lia Maria Aguiar foi a que registrou a maior doação, com R$ 40 milhões. Um dado importante registrado no Monitor é que 80% do total de doações computadas têm origem nas empresas, 14% em pessoas físicas e 6% em fundações e associações privadas

“As empresas estão cada vez mais preocupadas em dar transparência às doações realizadas, tornando-as públicas. O mesmo ainda não acontece com os doadores individuais, e por isso eles representam apenas 15% do que o Monitor somou até agora. Nós esperamos que cada vez mais as pessoas e famílias que realizam grandes doações falem sobre elas e inspirem ainda mais pessoas a doar”, comenta João Paulo Vergueiro, diretor executivo da ABCR.

Sobre o Monitor das Doações

Com o objetivo de entender como se expressa em números a generosidade no Brasil, e promover ainda mais solidariedade por meio de doações, a ABCR, com apoio do GIFE, em parceria com o Movimento por uma Cultura de Doação, Instituto Mol, Movimento Bem Maior, Morro do Conselho e Fundação José Luiz Egydio Setúbal, lançou no início de 2022 uma nova e permanente versão do Monitor das Doações, em continuidade à versão anterior mantida durante o momento mais grave da Covid-19. A plataforma reúne dados que poderão ser utilizados para pesquisa e estudos sobre doações no país, proporcionando uma oportunidade a filantropos, pesquisadores e profissionais do terceiro setor acompanharem os números em tempo real.

Além de acompanhar as notícias públicas sobre doações, em jornais, revistas, etc., o Monitor também oferece a possibilidade de os doadores informarem diretamente as contribuições filantrópicas que elas sejam inseridas. Para tornar pública a doação e o nome de quem doa é necessário enviar um e-mail para contato@diadedoar.org.br com informações sobre a doação (ou doações) e o valor. Para consultar o Monitor das Doações, acesse www.monitordasdoacoes.org.br.

Mais de R$ 7 bi foram arrecadados na pandemia 

Os dados do último Monitor das Doações Covid-19, outro projeto criado pela ABCR para acompanhar o movimento de solidariedade que surgiu com a pandemia do novo Coronavírus em 2020, alcançou no início do segundo semestre de 2021 R$ 7 bilhões em doações, um recorde absoluto na história recente de doações para emergências no país.

Sobre a ABCR

A ABCR (Associação Brasileira de Captadores de Recursos) (https://captadores.org.br) reúne e representa os profissionais de captação, mobilização de recursos e desenvolvimento institucional, que atuam para as organizações da sociedade civil no Brasil. Lidera campanhas, eventos e uma série de outras iniciativas de fortalecimento do setor e de apoio a quem atua por uma sociedade mais justa e democrática.

Sobre o GIFE

O GIFE – Grupo de Institutos, Fundações e Empresas – é uma plataforma de fortalecimento da filantropia e do investimento social privado no Brasil. Promove espaços de diálogo e colaboração entre as organizações, produz e compartilha conhecimento a partir de pesquisas, análises e debates, buscando referências inovadoras para o constante aprimoramento da atuação dos associados e para o fortalecimento do setor.

 

Por | Jéssica Amaral – DePropósito Comunicação de Causas

Continuar Lendo

Regional

Musculação: qual a idade certa para começar

A prática dessa modalidade deve ser realizada sempre com a supervisão de profissionais, respeitando as orientações para cada idade

Publicado

em

Foto: Divulgação / Freepik

Todos sabemos que atividade física praticada regularmente é uma ótima aliada para a saúde. Hoje diversas academias oferecem uma gama de modalidades àqueles que procuram ter uma melhor qualidade de vida, mas, ainda assim, a musculação é o exercício mais procurado. Sempre com o acompanhamento de profissionais, a prática pode ser realizada por gestantes, idosos e adultos, desde que sejam respeitadas as limitações e condicionamento do indivíduo. Mas, qual a idade certa para se começar a fazer musculação?

Segundo orientações recentes da Academia Americana de Pediatria, a realização de treinamentos de força e resistência para crianças e adolescentes pode ser considerada desde que haja adequação na frequência, tipo, intensidade e duração.

“Durante a infância e adolescência os exercícios de musculação dirigidos, com cargas adequadas e intensidade controlada podem ser praticados. Outra forma de se ganhar tônus muscular é com exercícios funcionais que utilizam o peso do próprio corpo e são ótimos para manter crianças e adolescentes ativos, evitando o sedentarismo logo cedo. Independente da modalidade de preferência, quanto mais cedo iniciar a prática de exercícios, mais aumentarão as chances da criança tornar-se um adulto ativo, evitando o aparecimento de doenças crônicas precoces”, explica Marcelo Franco, professor da rede C4 Gym.

É necessário ter em mente também que o acompanhamento de profissionais e as avaliações físicas devem ocorrer sempre para se conquistar um bom resultado. “É muito importante para o seu desenvolvimento que a realização desses exercícios seja feita em um ambiente adequado e com supervisão de profissionais da área”, conclui Marcelo.

Sobre a C4 Gym

Administrada por gestores com mais de dez anos no mercado fitness, a C4 Gym é uma marca que tem como proposta manter a essência de academia de bairro, mas com estrutura de grandes redes. Com quatro sócios, a rede, que conta com duas lojas e acaba de inaugurar sua primeira loja conceito, fechou 2021 com faturamento de R$3,1 milhões tem como meta para 2022 expandir as barreiras da Zona Leste da capital paulista e conquistar o Brasil por meio do franchising, dobrar o número de unidades e alcançar um faturamento de R$ 8 milhões.

 

Por | Stefanie Crivelari – Markable Comunicação

Continuar Lendo

Regional

E-book gratuito ajuda quem deseja mudar de carreira

Publicado

em

Margarete Chinaglia / Foto: Divulgação

TRANSIÇÃO DE CARREIRA / Foto: Divulgação

“Transição de carreira: O que tem mais a minha cara?”, esse é o novo e-book da escritora, consultora e coach de carreira Margarete Chinaglia. A proposta do livro é ajudar quem está desanimado com o trabalho e não sabe o que fazer na vida. O material pode ser obtido gratuitamente pelo site www.margaretechinaglia.wordpress.com.

Segundo Chinaglia, todas as pessoas partem de um sonho. Porém, com o tempo surgem perguntas sobre qual profissão combina mais ou o que se alinha ao perfil. Para dificultar, há os desafios do mercado, o limitado número de oportunidades em determinadas áreas, além de outros fatores. “Em alguns casos, a pessoa é ‘obrigada’ a aceitar o quem vem. É a lei da sobrevivência! Mas nem sempre isso é algo que traz a felicidade”.

Margarete lembra que há muitas pessoas que enfrentam a síndrome do domingo à noite. É um sentimento de angústia, misturado com desânimo ou de pânico por saber que a segunda-feira está próxima e, em poucas horas, vai estar no trabalho novamente. “É uma sensação ruim, com vontade zero para encarar o chefe”.

– Porém, chega um momento da vida que temos um ‘estalo’ e vemos a necessidade de mudar a direção na vida. A pandemia provocou muita reflexão sobre isso. No entanto, ficam as dúvidas, os medos de trocar o certo pelo duvidoso. Transição de carreira é coisa séria, pois pode mudar totalmente a vida! Esta decisão é difícil e demanda confiança e certeza – ressalta.

Para Chinaglia, a pessoa precisa identificar um propósito ou objetivo no trabalho para que seja mais feliz com o que faz. Ela diz que é fundamental começar com pequenos passos, com pequenos planejamentos. “Não é preciso sair do que faz de maneira abrupta, ou afobada, e ficar sem uma renda. Porém, quando se elabora com cuidado cada passo que irá executar para chegar aonde quer, é natural se sentir mais seguro para voar alto”.

– A proposta do livro é mostrar que é possível buscar o protagonismo na própria vida, mas de forma estratégica. É aconselhável também que se busque ajuda de um profissional para auxiliar no direcionamento, até que a pessoa possa visualizar e vislumbrar o sentido do propósito chegando à realização – comenta.

Sobre a autora

Margarete Chinaglia é profissional com mais de 30 anos no mercado de trabalho. Com atuação forte, consistente e consolidada, passou por vários modelos, experiências e oportunidades. Atuou como atendente, analista, coordenadora, gestora, empresária, consultora e coach.

Ficha Técnica do e-book

Título: Transição de carreira: O que tem mais a minha cara?”,

Gratuito

Gênero: Carreira

Autora: Margarete Chinaglia

Revisão e Diagramação: Tiberius Drumond/Agência Drumond

Páginas: 30

Preencha o formulário no link do site e receba o e-book por e-mail.

Site: www.margaretechinaglia.wordpress.com

 

Por | Joyce Nogueira – Drumond Assessoria de Comunicação

Continuar Lendo

Em Alta

...