Conecte-se conosco

Regional

Empreender requer dedicação e força de vontade

Empreender / Foto: Divulgação - Lisa Fotios no Pexels

Publicado

em

*Leonardo Chucrute é Gestor em Educação e CEO do Zerohum / Foto: Divulgação

Você já deve ter ouvido falar que empreender no Brasil não é fácil. Realmente, não é. Temos que treinar pessoas o tempo todo para que elas possam fazer parte do sucesso da empresa. Por isso, é tão importante o acompanhamento e alinhamento do negócio.

Empreender é uma constante resolução de problemas dos outros. É encontrar a melhor solução para quem não consegue. Lembre-se que empreender é ser um facilitador.

Desde pequeno, empreendia, fosse no negócio da minha família, ou algo que eu mesmo criava. Isso me ajudou a criar a visão de negócio que tenho hoje. Saber persistir fez a total diferença em minha história.

Foi a partir da minha experiência com vendas de quentinha, pipa na praia, fotografia, entre outros, que eu pude adquirir habilidades que, atualmente, são úteis como empreendedor. Portanto, toda experiência é válida. Nada é por acaso. Sempre exerça a sua função com prazer, traçando objetivos e aprendendo com tudo o que for possível.

Para quem está começando a empreender, entenda: dinheiro sempre será, sim, uma questão delicada, mas sempre terá solução. Se você agir com inteligência, conseguirá resolver qualquer problema financeiro. O mercado possui ferramentas que podem te ajudar. Busque ajuda de um profissional da área contábil para te auxiliar.

Já ouviu falar da regra do CHAR? Essa é uma base essencial para quem está começando a empreender. Conhecimento, habilidade, atitude e resultado. São 4 etapas para que você seja bem-sucedido no seu empreendimento. Saia da teoria, aplique o conhecimento e parta para a ação, passando pelas suas habilidades e obtendo resultados.

Entenda também que errar é normal. Errem, mas aprendam com os seus erros. Isso faz parte da aprendizagem, tornando o profissional ainda mais autônomo e sagaz na hora de resolver um problema. No mundo dos negócios não é diferente. Empreender envolve erros e acertos.

No início, eu estimulava os meus colaboradores a errar para ganharem autonomia. Sei que parece estranho, mas funciona. Mas é claro que errar a mesma coisa sempre, não dá. Por isso, incentivo a ser criativo, errar em coisas novas e aprender a lidar com os erros. Além disso, dê autonomia para seus colaboradores e os ajude quando falharem. Assim você vai desenvolver uma mente empreendedora!

Portanto, não fique estagnado! Inove sempre para o seu negócio progredir. Busque um diferencial, corra atrás e acredite que tudo vai dar certo.

 

(*) Leonardo Chucrute é Gestor em Educação, CEO do Zerohum, Professor de matemática, ex-cadete da AFA e autor de livros didáticos.

 

Por | Joyce Nogueira – Drumond Assessoria de Comunicação

Continuar Lendo
Anúncio
Clieque para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Regional

A importância da família no processo de aprendizagem infantil e no desenvolvimento pessoal

A base familiar é o alicerce sobre o qual se erguem os pilares mais importantes da vida de um indivíduo. Especialista em Empreendedorismo Familiar ressalta dicas valiosas para as famílias brasileiras.

Publicado

em

Foto: Divulgação

Brasil, fevereiro de 2024: O papel da família é essencial no processo de aprendizagem infantil, através de laços familiares estreitos que se cultivam a resiliência e a autoconfiança, habilidades fundamentais para enfrentar os desafios da vida.

A Constituição Federal de 1988 afirma em seu artigo 205: “a educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade,  visando  ao  pleno  desenvolvimento  da  pessoa,  seu  preparo  para  o  exercício  da cidadania e sua qualificação para o trabalho”.

A pedagoga, Sueli Tomaz, especialista em metodologia da educação infantil e séries iniciais defende que a escola assegura o direito, destaca a importância e abriga a garantia da aprendizagem. “Somente em casa, no ambiente familiar que ocorrem as primeiras práticas educativas. Sendo necessária uma parceria concreta entre ambas instituições”, e complementa, “Uma boa comunicação entre família-escola viabiliza a flexibilidade, a motivação e gera a continuidade dos estímulos educativos, culturais, metodológicos e sociais dos alunos, principalmente no contexto das séries iniciais”, assegura.

Além do desenvolvimento infantil, o papel da família no desenvolvimento pessoal é um tema intrinsecamente ligado à essência humana, que reflete a influência profunda e multifacetada que os laços familiares exercem sobre cada indivíduo.

Édem Davanzzo, co-fundador do maior movimento de empreendedorismo familiar do Brasil, “O Poder da Família”, destaca a importância dessa construção familiar desde o berço e seus reflexos positivos em toda a trajetória humana. “Desde os primeiros momentos de vida, a família desempenha um papel central, oferecendo um ambiente de segurança emocional e nutrindo os alicerces do crescimento pessoal. É dentro desse contexto íntimo que se forjam as primeiras conexões sociais, onde se aprende a linguagem do afeto e se internalizam valores fundamentais”, afirma o empresário.

Investir na família é a missão central de Davanzzo, que transformou seu anseio em projetos reais e ecoou isso através do Programa Papo em Família, que é transmitido pela Soico TV, em Moçambique. “Carrego o propósito de tratar a família como o ativo mais precioso, propagando a importância de investir no amor, dedicação e parceria dos próprios familiares para gerar como lucro, uma família forte e emocionalmente saudável”, continua.

Édem, em seus anos de experiência, decidiu aplicar técnicas de gestão empresarial dentro do lar para conseguir enfrentar os desafios da vida. A criação dos filhos e a transformação deles em sucessores, e não apenas em herdeiros, assim como, a família em uma espécie de empresa de sucesso. “Investir na família requer comprometimento, dedicação e esforço contínuo, mas os benefícios são imensuráveis. Ao priorizar os relacionamentos familiares e criar um ambiente de amor, respeito e apoio mútuo, você estará construindo a base para uma família feliz e saudável”, ressalta.

Com isso,  Davanzzo destacou pontos importantes para quem deseja investir na família:

Invista em tempo de qualidade: Reserve tempo regulares para passar com sua família. Isso pode incluir atividades comuns, como jantares em família, passeios, jogos ou simplesmente conversas significativas.

Comunicação aberta e honesta: Cultive um ambiente onde todos os membros da família sintam-se à vontade para expressar seus pensamentos, sentimentos e preocupações. Estimule uma comunicação aberta, ouvindo atentamente e demonstrando empatia.

Estabeleça tradições familiares: Crie tradições familiares que promovam união e memórias compartilhadas. Isso pode incluir celebrações de feriados, viagens anuais, noites de cinema em casa ou outras atividades que se tornem especiais para sua família.

Envolver-se na educação e desenvolvimento dos membros: Mostre interesse e apoio nas conquistas acadêmicas, hobbies e interesses dos membros da família. Estimule a aprendizagem contínua e o desenvolvimento pessoal de cada um.

Pratique o respeito e a compreensão: Promova um ambiente de respeito mútuo dentro da família, valorizando as diferenças individuais e resolvendo conflitos de maneira construtiva. Demonstre compreensão e aceitação, mesmo diante de divergências.

Estabeleça metas e objetivos familiares: Encoraje a definição de metas em conjunto como família, como por exemplo, economizar para uma viagem em família, iniciar um projeto voluntário ou alcançar objetivos de saúde e bem-estar.

Priorize o bem-estar físico e emocional: Cuide da saúde física e emocional de todos os membros da família, incentivando hábitos saudáveis, atividade física regular e cuidados com a saúde mental.

Demonstre amor e apoio incondicional: Expresse amor e apoio de maneira constante, seja através de palavras, gestos ou demonstrações de afeto. Mostre que sua família é uma fonte de amor e apoio incondicional, independentemente das circunstâncias.

 

Sobre Édem Davanzzo

É empresário bem sucedido no setor de comunicação, eventos e educação corporativa, fundador da agência Sense_AND e sócio da SME – The New Education.

O Top mind nexialista é perito em solucionar problemas de grandes marcas e empresários, além de ensinar as famílias a usarem técnicas de gestão empresarial no próprio lar para estimular os pais a empreender na família.

Anjo e Astro investidor | Co-fundador do maior movimento de empreendedorismo familiar do Brasil.

 

Por | Caroline Soares – Assessoria de Imprensa – Clacri

Continuar Lendo

Regional

Feira de Empregos traz vagas para PCDs em Pouso Alegre

Evento acontece na Faculdade Una Pouso Alegre, onde candidatos vão contar com apoio para as entrevistas e para fazer currículos

Publicado

em

Foto: Divulgação

A Faculdade Una Pouso Alegre realiza a Feira de Empregos, processo de seleção de vagas exclusivas para Pessoas com Deficiência (PCD). O evento será nesta sexta-feira (16), das 9h às 16h. Serão oferecidas 11 vagas para trabalhar na Cimed. O Grupo Cimed é a quarta maior indústria farmacêutica do Brasil e está localizado em Pouso Alegre. No dia da Feira, os candidatos também vão contar com auxílio dos alunos do curso de Psicologia da Una Pouso Alegre para fazer currículos e se preparar para as entrevistas de emprego.

A vagas são as seguintes: operador de produção (6), auxiliar de limpeza (2), auxiliar administrativo (1), analista de controle de qualidade Jr. (1) e assistente de controle de qualidade (1). As entrevistas serão feitas no dia. Os candidatos devem trazer os documentos pessoais e o laudo médico de PCD. Os interessados presentes na Feira também vão participar do sorteio de brindes. Lembrando que o prédio da Una possui acessibilidade em todos os andares e está pronto para receber os candidatos.

Feira de Empregos para PCDs

Data: 16/02, das 9h às 16h.

Local: Una Pouso Alegre (Rua João Basílio, 420 – Centro).

 

Por | Elemara Duarte – Analista de RI – Rede Comunicação

Continuar Lendo

Regional

Sinais de alerta com a saúde mental das crianças

Publicado

em

Sinais de alerta com a saúde mental das crianças / Foto: Pixabay

* Psicopedagoga Luciana Brites, CEO do Instituto Neurosaber

Cada ser humano é diferente do outro e a forma como lidam com questões emocionais e de saúde mental também. Muito se fala sobre saúde mental, mas estamos prestando atenção ao comportamento das crianças? É muito importante que todos, que convivam e estejam ao redor do pequeno, estejam atentos às mudanças de humor e comportamento.

Quando falamos de saúde mental nos referimos a como nossa mente e coração se sentem e funcionam. Relaciona-se a como nos sentimos por dentro e como lidamos com nossos pensamentos e emoções. Estar atento à saúde mental infantil se faz necessário porque ela desempenha um papel fundamental em seu desenvolvimento e bem-estar.

Além disso, afeta como elas aprendem, se relacionam com os outros e enfrentam os desafios da vida. Quando as crianças estão emocionalmente saudáveis, têm mais chances de serem bem-sucedidas em todas as áreas e aspectos de suas vidas.

Os principais fatores de risco ligados à saúde mental infantil estão relacionados à violência, social e familiar; bullying; violência sexual; e problemas socioeconômicos.

Alguns sinais de alerta que as crianças demonstram são mudanças drásticas de comportamento, problemas de sono, expressão de emoções, declínio no desenvolvimento escolar e comentários que podem ser vistos como preocupantes. Na mudança de comportamento, passam a se isolar, evitam contato social e expressam tristeza de maneira contínua.

Os problemas de sono têm reações como constantes dores de cabeça, estômago ou recusa em ir à escola. Na expressão de emoções, a criança pode começar a ter, por exemplo, medo de tudo. A expressão de emoções incomuns ou extremas pode ser um indicativo de que algo está perturbando a criança.

Já o declínio no desempenho escolar também pode ser sinal de dificuldades emocionais. Nos comentários preocupantes fazem afirmações como que desejam desaparecer, se machucam ou machucam os outros. Esses comportamentos devem ser levados a sério.

Sinais de alerta com a saúde mental das crianças / Foto: Freepik

Muitos pais se perguntam o que fazer diante dessas circunstâncias. O mais indicado é conversar com a criança e abrir um espaço seguro para que elas possam falar dos seus sentimentos. É necessária uma escuta empática e sem julgamentos.

Também é importante um apoio profissional para que essa criança seja amparada e que suas necessidades sejam compreendidas. Procure reduzir o estresse criando um ambiente familiar calmo e de apoio. Identifique os sinais de alerta e procure ajuda. Lembre-se, buscar ajuda não é sinal de fraqueza, mas, sim, de amor e cuidado.

(*) Luciana Brites é CEO do Instituto NeuroSaber (https://institutoneurosaber.com.br ), autora de livros sobre educação e transtornos de aprendizagem, pedagoga, palestrante, especialista em Educação Especial na área de Deficiência Mental e Psicopedagogia Clínica e Institucional pela UniFil Londrina e em Psicomotricidade pelo Instituto Superior de Educação ISPE-GAE São Paulo, além de ser Mestra e Doutoranda em Distúrbios do Desenvolvimento pelo Mackenzie.

 

Por | Joyce Nogueira – Drumond Assessoria de Comunicação

Continuar Lendo

Em Alta

...