Conecte-se conosco

Notícias

Cooperativismo e startups de inteligência colaborativa ganham destaque no setor econômico brasileiro

A inteligência colaborativa no setor cooperativismo faz com que lideranças inovadoras desenvolvam um trabalho mais vantajoso, rentável e sustentável

Publicado

em

São Paulo, SP 4/2/2021 – Hoje estamos organizando algumas startups de construção civil que atuam de forma complementar, mas com alguns objetivos em comum

A inteligência colaborativa no setor cooperativismo faz com que lideranças inovadoras desenvolvam um trabalho mais vantajoso, rentável e sustentável

Com a pandemia da Covid-19, vários setores da economia brasileira passaram por muitos desafios, de acordo com o Sistema da Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB, a crise não atingiu o movimento cooperativista que continua crescendo e se destacando como um agente importante na economia nacional, em um setor cada vez mais eficiente e competitivo. O balanço divulgado no Anuário do Cooperativismo Brasileiro 2020 aponta o faturamento de R$ 308,8 bilhões.

A eficiência econômica em destaque nas cooperativas brasileiras se evidencia com a adoção de um sistema de startups de inteligência colaborativa, segundo Yves Rabelo Mourão, engenheiro civil com ênfase em Gestão de Projetos e Produtos digitais. O profissional esclarece que a prática do exercício de se organizar compartilhando ideias semelhantes e otimizando tarefas, que seriam repetitivas caso fossem feitas isoladamente, faz com que as cooperativas adquiram resultados que nunca seriam alcançados se fossem produzidos sozinhos.

Conforme o engenheiro civil, a inteligência colaborativa no setor cooperativismo faz com que lideranças inovadoras e uma gestão profissionalizada troquem o antigo pelo novo, ou seja, desenvolvam um trabalho mais vantajoso, rentável e sustentável. “Esse modelo de cooperativismo podemos ver, incrivelmente, na natureza animal. Como por exemplo, as formigas. Cada uma tem sua função no formigueiro e, além disso, fazem suas atividades de forma sincronizada. Uma formiga ao encontrar um pedaço de doce, chama as outras, que em colaboração e organização estratégica levam o doce ao formigueiro. Supercolaborativas e eficientes!”, explica Yves Mourão, que tem MBA em Gestão Empresarial e Especialização em Construções Sustentáveis.

A inteligência colaborativa, alega o profissional, deixou o setor cooperativista com maior capacidade de unir forças e fazer parcerias para otimizar resultados, facilitando até mesmo nas soluções de problemas. As empresas passaram a construir redes colaborativas, aumentando cada vez mais seus lucros e se tornado cada vez mais poderosa. “E se nós pudéssemos trabalhar igual às formigas? Foi exatamente isso que aconteceu com o advento da internet e a introdução dos smartphones em nossas vidas, os aplicativos direcionados para fins específicos reúnem pessoas de interesses comuns que colaboram entre si para um bem coletivo. Exemplos de lucratividade e poder no ramo digital, temos: Instagram, Wase, Facebook, iFood, Uber, Airbnb, entre outros”, explana Mourão, palestrante nas temáticas relacionadas a sistemas colaborativos de otimização de custos, processos e crescimento comercial, com foco em: compras com demanda agrupada; tecnologia BIM; cooperativas e startups de construção civil.

Atualmente, de acordo com dos dados disponíveis no Anuário do Cooperativismo Brasileiro 2020, desenvolvido pelo Sistema OCB, o cooperativismo brasileiro conta com 5.314 cooperativas e 15,5 milhões de pessoas cooperando para um melhor desenvolvimento sustentável. E no ano passado, registraram um patrimônio líquido de R$ 126,4 bilhões, enquanto que no ativo total o valor registrado foi de R$ 494,3 bilhões.

“Tive a oportunidade de desenvolver o setor comercial da maior cooperativa de construtoras do Brasil, a Coopercon CE, detentora de 42% do marketshare do Brasil, segundo o anuário da Coopercon Brasil de 2019. Passei sete anos desenvolvendo processos e metodologia de trabalho com as construtoras cooperadas, que objetivavam comprar insumos e desenvolver negócios em conjunto. Mas nós éramos as formigas sem a comunicação necessária. Nos dois últimos anos que estive lá, estivemos focados em desenvolver uma plataforma digital onde as empresas poderiam colaborar com as suas demandas, para a compra de produtos específicos e, além disso, compartilharem com as outras construtoras as vantagens de aderirem àquela compra. Os resultados foram tão positivos que outras cooperativas aderiram às compras pelo portal”, relata o engenheiro civil, com cursos de: Formação de Empreendedores; Processo de Aceleração da Startup Antecip; Planejamento para Iniciação Empresarial e The basics of civil construction in USA – International Construction Immersion (ICI).

Mourão, que possui experiência em Formação de rede colaborativa de startups para construção civil com serviços complementares, com foco em redução de custos e aumento de produtividade, esclarece que também existem muitas plataformas e aplicativos que permitem uma organização sistemática realizar atividades comuns sem intervenção de intermediários, consequentemente, sem comprometer as margens de ganho das partes.

“É só deixar a imaginação livre para criarmos mais soluções em conjunto e de forma colaborativa. Hoje estamos organizando algumas startups de construção civil que atuam de forma complementar, mas com alguns objetivos em comum, é como se organizássemos vários formigueiros para potencializarem seus resultados juntos. Quem sabe ultrapassamos a tecnologia das formigas”, conclui o engenheiro civil Yves Rabelo Mourão, que tem forte experiência em atuação em desenvolvimento e gestão de novos negócios na área de construção, como solução para redução de custos no setor através de novas tecnologias, tendo a economia coletiva como base e em criação, desenvolvimento e em gestão de startups com foco em: negociações B2B com demanda agrupada.

Website: https://www.linkedin.com/in/yves-mourao/

Continuar Lendo
Anúncio

Notícias

Slovak Telekom escolhe a solução Converged Packet Core da Mavenir em parceria para suprimentos de núcleo

Publicado

em

por

BARCELONA, Espanha 22/2/2024 –

A Mavenir, fornecedora de infraestrutura de rede nativa na nuvem que está construindo o futuro das redes, anunciou hoje que a Slovak Telekom escolheu a solução Converged Packet Core totalmente conteinerizada a ser implementada na sua rede, fazendo agora da Mavenir sua parceira completa de tecnologia de núcleo de rede.

A Mavenir já está fornecendo serviços de voz e mensagens para a operadora eslovaca e agora proverá serviços de dados na área de núcleo de pacote para “todas as Gs”, realizando a implementação na plataforma de contêiner como serviço (CaaS, Container-as-a-Service) privada na nuvem da Slovak Telekom. Com o novo acordo, a Mavenir integrará recursos de próxima geração para 5G autônoma (SA, standalone) nativa na nuvem.

Esse maior fornecimento para a subsidiária da Deutsche Telekom na Eslováquia é uma adiçãoàimplementação da solução Converged Packet Core anunciada anteriormente para subsidiárias na República Tcheca (T-Mobile Czech Republic) e na Hungria (Magyar Telekom). Essa substituição simultânea em vários países das tecnologias existentes dos fornecedores amplia a presença dos fornecedores de tecnologia de ponta a ponta da Mavenir na Europa e fortalece uma parceria bem sucedida de longo prazo com a Deutsche Telekom na Alemanha.

A solução Converged Packet Core da Mavenir acelera a mudança para 5G e a introdução de novas aplicações e serviços empresariais que aproveitam os recursos essenciais da 5G, incluindo baixa latência e fatiamento de rede. A arquitetura nativa na nuvem, na qual aplicações e serviços são construídos com propósito para o modelo na nuvem, oferece fatiamento fácil, desacoplamento de hardware, agilidade, portabilidade e resiliência em nuvens públicas, privadas e híbridas.

Ao comentar sobre a nova implementação, o diretor de inovação tecnológica e CEO interino da Slovak Telekom, Vladan Peković, afirmou: “A Mavenir é parceira tecnológica comprovada e confiável da Slovak Telekom, e sua competência técnica, seus recursos nativos na nuvem e sua abordagem interoperável são a plataforma de lançamento ideal para a nossa jornada de inovação contínua. Estamos entusiasmados em avançar com a solução Converged Packet Core da Mavenir como o pilar do nosso futuro mapa de serviços”.

Ashok Khuntia, presidente de Redes de Núcleo da Mavenir, acrescentou: “Estamos contentes de ampliar nossa cooperação com a Slovak Telekom, em um acordo que é construído com base nos pilares sólidos da nossa parceria de longo prazo. Ao integrar a solução Converged Packet Core da Mavenir em sua rede existente, a Slovak Telekom está criando uma base ágil, escalonável e robusta para o fornecimento de serviços transformadores e diferenciados para seus clientes empresariais”.

Em uma abordagem única, a tecnologia da Mavenir une o núcleo macro com o núcleo empresarial, abrangendo cenários que vão desde implementação central com localizações remotas adicionais até soluções de núcleo 5G implementadas no local. Ao integrar tecnologia de rede empresarial que pode receber upgrade em campo nas instalações empresariais com distribuição de dados locais, a UPF (função do plano do usuário) remota da Mavenir acelera o tempo até o início das operações para soluções em campus, sendo que os dados do usuário são transmitidos diretamenteàUPF e disponibilizados aos servidores de aplicativos para latência reduzida e maior segurança dos dados sigilosos.

Notas aos editores:

Sobre a Mavenir

A Mavenir está moldando hoje o futuro das redes com soluções nativas da nuvem e habilitadas para IA que são ecológicas por design, capacitando as operadoras a aproveitar os benefícios do 5G e obter redes inteligentes, automatizadas e programáveis. Como pioneira em Open RAN e comprovadamente disruptiva no setor, as soluções premiadas da Mavenir fornecem automação e monetização em redes móveis a nível global, acelerando a transformação de redes de software para mais de 300 provedores de serviços de comunicação em mais de 120 países, que atendem mais de 50% dos assinantes do mundo. Para mais informações, acesse www.mavenir.com

Visite a Mavenir no Mobile World Congress 2024 (Barcelona, 26 a 29 de fevereiro de 2024)

Para explorar nossas mais recentes inovações, conferir os anúncios do MWC e saber mais sobre como a Mavenir está moldando o futuro das redes, visite nosso estande 2H60 no Hall 2.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contato:

Contato de RP da Mavenir:

Emmanuela Spiteri

pr@mavenir.com

Fonte: BUSINESS WIRE

Continuar Lendo

Notícias

Startup Tuvis foi selecionada para participar do Scale-Up

Líderes de grandes empresas mundiais registram o maior crescimento em todo o mundo através do Scale-Up Endeavor

Publicado

em

por

Campinas, SP 21/2/2024 – Líderes de grandes empresas mundiais registram o maior crescimento em todo o mundo através do Scale-Up Endeavor.

Líderes de grandes empresas mundiais registram o maior crescimento em todo o mundo através do Scale-Up Endeavor

 

A Tuvis, startup israelense e brasileira especializada em permitir que grandes empresas utilizem o WhatsApp de forma segura e em compliance através da integração do seu software com grandes plataformas do mercado, foi escolhida entre as  3 mil  empresas avaliadas para participar do Scale-Up Endeavor 2024. 

Desde o ano 2000, a Endeavor, uma rede global composta por empreendedores líderes de empresas de rápido crescimento em todo o mundo, tem desempenhado um papel ativo no cenário empreendedor brasileiro. Concentrando-se na aceleração de scale-ups, ou seja, empresas com grande potencial de crescimento, a organização impulsiona transformações significativas no ecossistema empreendedor e inovador do país. Ao longo de mais de duas décadas de atuação, a Endeavor contribuiu para o desenvolvimento de 12 empresas que alcançaram avaliações superiores a US$ 1 bilhão, incluindo nomes como MadeiraMadeira, Méliuz, Unico e VTEX.

Em 2021, o programa Scale-Up Endeavor passou por mudanças significativas, consolidando o processo de seleção que anteriormente ocorria de forma regional. Essa reestruturação promove a troca de experiências entre empreendedores de diversas partes do país que compartilham o mesmo setor ou modelo de negócios. Este novo formato também proporciona às empresas acesso a toda a rede de colaboradores, não se limitando apenas aos patrocinadores de eventos regionais. “Acelerar as empresas significa acelerar o país: são elas que geram oportunidades, inserem o Brasil no mapa global de inovação e tecnologia, mostram novos caminhos para lidar com problemas cada vez mais complexos, sistêmicos e globais e criam um ambiente mais diverso e inclusivo”, afirma Camilla Junqueira, Diretora Geral da Endeavor. 

O crescimento das scale-ups é impulsionado pela troca de experiências e conexões com a rede global da Endeavor, proporcionando acesso a mercados, capital e talento. O impacto se amplia à medida que os empreendedores geram empregos, promovem a inovação, mentoram, inspiram e investem na próxima geração de scale-ups.

Para a Tuvis, essa é uma conquista e um passo enorme para a empresa israelense. “Esse novo passo nos leva a fortalecer nosso compromisso de crescer e levar com a gente todo o Brasil! Estou muito feliz com essa conquista e agradeço em nome da Tuvis pela oportunidade Endeavor Brasil!”, finaliza a presidente e cofundadora da Tuvis, Deborah Palacios Wanzo.

 

Website: https://tuvis.com/pt-br/

Continuar Lendo

Notícias

Receita líquida do setor de máquinas e equipamentos diminuiu

Dados apontam que a receita líquida de vendas do setor de máquinas e equipamentos diminuiu. O valor foi 13,2% menor que o mês anterior e 22,4% menor que o mesmo mês do ano de 2022

Publicado

em

por

Brasil 21/2/2024 – As empresas podem aproveitar as informações fornecidas para identificar áreas de melhoria

Dados apontam que a receita líquida de vendas do setor de máquinas e equipamentos diminuiu. O valor foi 13,2% menor que o mês anterior e 22,4% menor que o mesmo mês do ano de 2022

Dados sobre o mês de dezembro de 2023, apontam que a receita líquida de vendas do setor de máquinas e equipamentos diminuiu. O valor foi 13,2% menor que o mês anterior e 22,4% menor que o mesmo mês do ano de 2022. O estudo divulgado pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), apontou também dados sobre o mercado interno, que encolheu 25,3%, e também sobre as exportações, que registraram uma queda de 5%. O relatório mostra que entre os segmentos do mercado, apenas o setor fabricante de máquinas e equipamentos para a produção de bens de consumo não duráveis apresentou crescimento na receita total, com uma expansão de 15,2% em relação ao mesmo período de 2022, juntamente com o setor fabricante de componentes para bens de capital, que registrou um aumento de 1,4%. Todos os outros setores enfrentaram redução nas receitas.

O relatório divulgado pela Abimaq aponta dados sobre as exportações, que, segundo o documento, apresentou um desempenho positivo, crescendo 14,6% em dólares ou 5,8% em reais, representando agora 24,7% da receita total do setor. O relatório afirma que apesar desse crescimento nas exportações, a receita total de máquinas e equipamentos, considerando mercado doméstico e exportação, registrou uma queda de 11% em 2023.

Ainda sobre os números apresentados no estudo, é possível observar que após uma queda de 31% em novembro de 2023, houve um crescimento de 14,5% nas exportações em dezembro, totalizando US$ 1,12 bilhão no mês. No entanto, em comparação com dezembro de 2022, as exportações ainda ficaram 5% abaixo. No acumulado do ano (jan/dez), as exportações atingiram a marca de US$ 14 bilhões, um resultado 14,6% superior ao observado em 2022. Sobre dados de importação, nota-se que os números apresentaram uma nova queda em dezembro de 2023, contribuindo para uma desaceleração no crescimento acumulado do ano, que passou de 8% em novembro para 7,2%. As importações totalizaram US$ 2,194 bilhões em dezembro, contra US$ 2,22 bilhões em dezembro de 2022. No ano (jan/dez), as importações superaram em 7,2% o resultado de 2022, atingindo US$ 26,77 bilhões, refletindo a desaceleração do mercado doméstico, segundo apontado pela publicação.

José Antônio Valente, diretor da empresa de franquia Trans Obra, comentou sobre o relatório afirmando que nas exportações, apesar das dificuldades enfrentadas no mercado doméstico, vê a importância da visão global para a indústria. José Antônio continuou dizendo que compreender como o setor se posiciona internacionalmente não apenas diversifica as fontes de receita, mas também permite que as empresas se adaptem a condições econômicas variáveis em diferentes regiões. “As empresas podem aproveitar as informações fornecidas para identificar áreas de melhoria, explorar novos mercados e ajustar suas estratégias de produção”.

O relatório, que pode ser lido na íntegra através do link informado no início da matéria, aponta dados sobre o consumo aparente nacional de máquinas e equipamentos, que também sofreu uma queda em dezembro, agravando o desempenho acumulado em 2023. Com um consumo de R$ 24,5 bilhões, o menor do ano, houve uma redução de 13,1% em relação a novembro de 2023 e de 20,4% em comparação com dezembro de 2022. No acumulado do ano, o consumo nacional alcançou R$ 356,92 bilhões, ante R$ 403,42 bilhões do ano anterior.

Website: https://franquiatransobra.com.br/

Continuar Lendo

Em Alta

...