Conecte-se conosco

Regional

PUC Minas Poços de Caldas participa de projeto pioneiro em mobilidade elétrica

Publicado

em

Mobilidade elétrica tem início em Poços de Caldas

A iniciativa faz parte de uma seleção de 30 projetos nacionais aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A PUC Minas Poços de Caldas está inserida em um projeto inovador, que vai proporcionar aos habitantes do município mais qualidade de vida e incentivar a sustentabilidade por meio da mobilidade elétrica. O Poços + Inteligente visa trazer para a cidade eletropostos, bicicletários e pesquisas em sistemas de mobilidade menos poluentes, entre outras ações. Além do Campus, o projeto conta com a prefeitura municipal, o Departamento Municipal de Energia (DME) e o Instituto Federal do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS).

O projeto foi idealizado de forma conjunta pela PUC Minas Poços de Caldas e a IFSULDEMINAS, e submetido a um chamamento público da DME por projetos sobre mobilidade elétrica. “Foram 12 propostas recebidas e nós fomos os vencedores. Depois disso, a equipe foi a Brasília apresentar o projeto para uma comissão avaliadora composta por mais de 15 membros de diferentes ministérios e agências reguladoras. O projeto ficou entre os 30 aprovados de todo o Brasil”, explica Fabiano Costa Teixeira, professor do Curso de Ciência da Computação e coordenador de Projeto e Desenvolvimento na iniciativa, representando a PUC Minas.

Mesmo com as adversidades geradas pela pandemia, algumas ações já saíram do papel durante o primeiro ano de desenvolvimento do projeto, como a aquisição de um carro elétrico, três carregadores de veículos elétricos e três eletropostos, que já foram instalados no DME para o andamento das pesquisas. Além dos estudos relacionados ao carro elétrico e aos eletropostos, o projeto Poços + Inteligente também desenvolverá pesquisas envolvendo bicicletas elétricas. Já foram adquiridos três bicicletários eletrônicos, de 20 vagas cada um, e 30 bicicletas elétricas e com rastreadores.

MOBILIDADE ELÉTRICA

Foto/ Divulgação PUC Minas Poços de Caldas

A previsão da equipe é a de que tanto os eletropostos quanto os bicicletários estejam prontos para uso até o final deste primeiro semestre de 2021. A princípio, os eletropostos e bicicletários serão utilizados para as pesquisas do projeto. Mas a ideia é expandir o uso, de forma gratuita, para a população em geral. Por meio de um aplicativo de celular, o público poderá solicitar o empréstimo das bikes. Os habitantes e turistas de Poços de Caldas também poderão recarregar seus carros elétricos de forma gratuita durante a vigência do projeto. O aplicativo para empréstimo das bicicletas está sendo desenvolvido, de forma conjunta, por professores, bolsistas de iniciação científica e uma empresa criada por ex-alunos da Universidade.

Os estudos serão realizados tanto no IFSULDEMINAS quanto na PUC Minas. O projeto terá à disposição, inclusive, um laboratório compartilhado de mobilidade elétrica, localizado na PUC Minas. As pesquisas em mobilidade elétrica terão objetivos diversos, entre eles, o estudo dos impactos na rede da DME; o desenvolvimento e integração do sistema de recarga e compartilhamento de veículo elétrico (VE) e bicicletas; a criação de protótipo de monitoramento de perfil de motorista e autonomia do VE e propostas de alterações regulatórias. Na etapa final do projeto, as instituições de ensino participantes também poderão ofertar cursos de curta duração sobre sistemas de recarga elétrica e sistema regulatório.

Para Fabiano, este é o início de uma grande mudança da mobilidade do país, um processo que está apenas começando. “Temos particularidades que levam a desafios que precisam ser vencidos. A ciência é o caminho para isso e a inovação faz parte do dia a dia da PUC Minas. Ficamos muito felizes com esse momento porque temos certeza que nossa pesquisa contribuirá de forma efetiva para a utilização de carros elétricos no Brasil”, afirma o professor.

Participação da PUC Minas

Além do professor Fabiano, mais oito professores, seis alunos bolsistas de iniciação científica – dos cursos de Administração, Arquitetura e Urbanismo, Ciência da Computação, Direito, Engenharia Elétrica e Publicidade e Propaganda –  e funcionários de diversos setores do Campus participam da iniciativa, formando uma equipe multidisciplinar que desenvolve diversas atividades. São elas:

  • Criação do dispositivo eletrônico que realiza a leitura de dados do veículo elétrico e envia para a Nuvem; 
  • Criação de modelo de aprendizado de máquina para prever a autonomia do veículo elétrico em função de dados de contexto como: relevo do trajeto, pressão dos pneus, ar condicionado, abertura de vidros e velocidade;
  • Desenvolvimento do aplicativo de gerenciamento de serviços de compartilhamento de bicicletas elétricas;
  • Desenvolvimento do sistema de rastreamento de bicicletas e carros elétricos;
  • Desenvolvimento do aplicativo de recarga do veículo elétrico;
  • Desenvolvimento de sistema que permite o pagamento pelo uso dos serviços de mobilidade por meio de créditos de geração de energia fotovoltaica;
  • Desenvolvimento de aplicativo para compartilhamento de veículos elétricos;
  • Criação e desenvolvimento de modelo de precificação para serviços de mobilidade elétrica;
  • Criação da identidade visual do projeto, bem como seus respectivos serviços e produtos;
  • Criação de campanhas publicitárias sobre o projeto e produtos;
  • Criação de propostas de alterações regulatórias;
  • Criação de projetos arquitetônicos, considerando o respeito e a valorização do patrimônio histórico da cidade. 

Por | Assessoria de Imprensa – PUC Minas

Regional

Estratégias para vencer as incertezas

Publicado

em

Incerteza / Imagem: Freepik/Creativearta

Empresária, CEO e cofundadora da Indie Hero e da GJ+ – Juliana Brit0 / Foto: Divulgação

De Juliana Brito*, empresária, CEO e cofundadora da Indie Hero e da GJ+

Outro dia, tive uma conversa com uma amiga que estava embarcando em um novo relacionamento. Ela estava super ansiosa e querendo estar certa de que essa era a pessoa com quem ia se casar. No entanto, percebi que essa busca constante por certezas estava prejudicando sua capacidade de se entregar completamente ao momento, já que a atenção estava mais na necessidade de garantias do que no próprio relacionamento.

O ser humano é assim. Temos a necessidade de ter certeza na vida e de ter o controle de tudo. No entanto, vivemos em um mundo de probabilidades. Como disse certa vez o sociólogo Zygmut Bauman: “A única coisa que podemos ter certeza é a incerteza”.

Confiamos demais em nossos sentimentos. Muitas vezes, podemos nos sentir péssimos quando estamos incomodados, achamos que tem algo errado. É sempre desconfortável fazer algo em que não temos experiência.

Então, como trabalhar num ambiente incerto? O escritor Nassim Taleb disse certa vez: “Probabilidade… é aceitar a falta de certeza no nosso conhecimento e desenvolver métodos para lidar com a nossa ignorância.”

A “Teoria da Janela Quebrada” sugere que, onde há uma janela quebrada, a probabilidade de mais janelas quebradas aumenta (princípio da entropia). Portanto, o primeiro passo é manter nossas “janelinhas” intactas, como nossa saúde física e mental.

Incerteza / Imagem: PxHere/Formulário

Precisamos entender que estamos sempre jogando um jogo infinito. Se desistirmos amanhã, falhamos para sempre. No entanto, quando persistimos por muito tempo, isso aumenta significativamente as chances de sucesso. No final das contas, é um jogo de sorte. Sorte aqui definimos o momento em que a oportunidade encontra a preparação.

É muito importante estar sempre se atualizando. Por exemplo, 85% das profissões que vão existir em 2030, ainda não foram criadas. Então, estude e aprenda as novas tendências.

Tenha quantos planos forem necessários e avalie todos os riscos possíveis. Normalmente, o pior cenário não é tão ruim quanto imaginamos. Quando trabalhamos com essa perspectiva, fica mais fácil driblar os riscos e lidar com os problemas.

Manter uma reserva de emergência na conta bancária é outro método valioso para lidar com as incertezas nos negócios. Ninguém previu a pandemia. Os negócios que não tinham caixa de reserva faliram ou entraram em dívidas exorbitantes.

Por fim, diversifique! Diversifique nos seus investimentos, diversifique nas suas fontes de receita pessoal. Não confie em um único empregador que vai garantir seu salário para todo o sempre. Dessa forma, você diminui a probabilidade de ficar à deriva.

(*) Juliana Brito é empresária, CEO e cofundadora da Indie hero e da GJ+, empresas focadas no desenvolvimento do ecossistema de jogos no brasil com ativações em eventos como Rock in Rio, rio Innovation week, Innova Summit, Casa Brasil Israel e Rio2c. fellow YLAI. Além disso, é mentora de pitch, negócios e games em eventos como innovativa Brasil, NASA talks, DNA empreendedor, startup weekend etc.

Por | Joyce Nogueira – Drumond Assessoria de Comunicação

Continuar Lendo

Regional

Volume de carteiras assinadas dispara no mês de fevereiro em Minas Gerais

Com a criação de 36 mil novos postos de trabalho, Minas Gerais registra o melhor resultado dos últimos meses

Publicado

em

CAGED - Jovens no mercado de trabalho / Foto: Divulgação

O mercado de trabalho formal no estado de Minas Gerais encerrou o mês de fevereiro com a criação de 35.980 postos de trabalho, resultado de 247.414 admissões e 211.434 desligamentos, este foi o maior saldo de empregos dos últimos meses, conforme a Fecomércio MG.

Na análise realizada pelo Núcleo de Estudos Econômicos da Fecomércio MG, observa-se que os meses de janeiro e fevereiro começaram aquecidos, injetando quase 48 mil profissionais no mercado de trabalho formal, volume bem superior ao início do ano de 2023, que contou com a adição de quase 27 mil profissionais.

Com o retorno das aulas em fevereiro, observa-se entre as atividades com maior saldo de empregos do setor terciários, atividades relacionadas à educação. As atividades com maior geração de empregos líquidos no mês de fevereiro foram:

  • Educação infantil – creche (2.447)
  • Ensino fundamental (2.310)
  • Administração pública em geral (1.766)
  • Serviços combinados de escritório e apoio administrativo (1.367)
  • Educação infantil – pré-escola (1.340)

Com a criação dessas posições, o número de profissionais alocados no mercado de trabalho formal volta a ficar próximo ao seu melhor patamar, atingindo o volume de 4.818.453 profissionais com carteira assinada, estoque 124 profissionais inferior à outubro de 2023, quando Minas Gerais registrou maior número de profissionais trabalhando com carteira assinada no estado. Ao olhar para os setores, o terciário possui a maior proporção de profissionais, enquanto a indústria tem o menor estoque de profissionais desempenhando atividades com carteiras assinadas. A atual ordem de setores por número de profissionais é:

  • Serviço (2.128.632)
  • Comércio (1.053.315)
  • Indústria (993.314)
  • Construção (341.367)
  • Agropecuária (301.825)

Para Gilson Machado, economista da Fecomércio MG, o bom resultado do mercado de trabalho formal é reflexo da demanda de profissionais para atender às necessidades do mercado. Somado à melhora do ambiente econômico, o mês de fevereiro conta com o retorno às aulas, motivo que corroborou para inserção de mais profissionais no mercado de trabalho formal.

CAGED – Jovens no mercado de trabalho / Foto: Divulgação

No mês de fevereiro, o salário fixo médio de admissão em Minas Gerais foi de R$ 1.941,18, permanecendo estável em relação ao mês imediatamente anterior. O salário de admissão para o mês foi inferior ao observado no contexto nacional para o período, em 6,8%, ficando em R$ 2.082,79. Entre os setores, continuamos observamos certa heterogeneidade entre os salários fixos de contratação. O setor com o maior salário foi o da construção (R$ 2.177,45), seguido pela indústria (R$ 2.043,59), serviços (R$ 1.996,16), agropecuária (R$ 1.932,14) e comércio (R$ 1.633,39). Embora o setor do comércio registre o menor salário fixo de admissão, ele tende a compor o salário com uma parte variável, tornando-o, na maioria das vezes, mais interessante do que o observado nos demais setores.

Em relação ao perfil de profissionais que conquistaram espaço no mercado de trabalho em fevereiro, os mais jovens seguem conquistando espaço no mercado de trabalho formal, enquanto os profissionais mais seniores e com maior experiência têm perdido espaço no mercado de trabalho formal. Apenas no mês de fevereiro, houve a baixa de 737 carteiras de trabalho entre profissionais com idade igual ou superior aos 60 anos.

Os profissionais que conquistaram espaço no mercado de trabalho formal em fevereiro possuem escolaridades a partir do ensino fundamental incompleto, enquanto os profissionais sem qualquer grau de instrução perderam espaço no mercado de trabalho, com a extinção de 227 postos de trabalho formais. A maior proporção de profissionais que conquistaram uma posição foi de profissionais com ensino médio completo, totalizando 20.248 profissionais, seguido pelos profissionais com o ensino superior, que registraram a adição de 6.776 profissionais.

Em fevereiro, os micro e pequenos negócios foram responsáveis pela absorção de 21.638 profissionais no mercado de trabalho formal, com mais de 60% de representatividade. Apenas os micro negócios empregaram quase a metade de todos os profissionais absorvidos no mercado de trabalho no mês de fevereiro do ano corrente.

As demissões a pedido por parte dos profissionais vêm aumentando com o passar dos meses, revelando que o desemprego natural está em alta. Os últimos dados mostram que 34,4% dos motivos de demissões devem-se ao fato do trabalhador requerer o pedido de baixa em carteira. Outros motivos presentes para o período são o término de contrato de trabalho com prazo determinado, com 12,9% dos motivos, e os desligamentos por justa causa com 1,7%.

Com o mercado de trabalho mais aquecido, há reflexo no desemprego friccional (ou desemprego natural), onde o trabalhador faz transição entre as empresas. Geralmente ocorre por ofertas de posições mais atrativas, uma transição de carreira ou encontra posições mais alinhadas com o seu objetivo profissional, destaca Gilson Machado

 

Sobre a Fecomércio MG

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Minas Gerais integra o Sistema Fecomércio MG, Sesc e Senac em Minas e Sindicatos Empresariais que tem como presidente o empresário Nadim Donato. A Fecomércio MG é a maior representante do setor terciário no estado, atuando em prol de mais de 740 mil empresas mineiras. Em conjunto com a Confederação Nacional do Comércio (CNC), presidida por José Roberto Tadros, a Fecomércio MG atua junto às esferas pública e privada para defender os interesses do setor de Bens, Serviços e Turismo a fim de requisitar melhores condições tributárias, celebrar convenções coletivas de trabalho, disponibilizar benefícios visando o desenvolvimento do comércio no estado e muito mais.

Há 85 anos fortalecendo e defendendo o setor, beneficiando e transformando a vida dos cidadãos.

 

Por | Wagner Fernando Liberato – Fecomércio MG

Continuar Lendo

Regional

Empreendedorismo com propósito

Publicado

em

Empreendedorismo com propósito / Imagem: Freepik / aleksandarlittlewolfa

*Leonardo Chucrute é Gestor em Educação e CEO do Zerohum / Foto: Tiberius Drumond

Nasci em Nova Iguaçu, cidade do estado do Rio de Janeiro, e comecei a empreender desde muito cedo. Nos meus primeiros passos no empreendedorismo vendi pipa. Já adulto, fui professor voluntário de curso preparatório para alunos que não podiam pagar pelo estudo. Depois virei monitor, coordenador, dono de curso preparatório e, hoje, tenho uma rede de ensino.

Acredito que a chave do sucesso está na sabedoria, em aprender com os acertos e erros dos outros. Empreender é mais do que buscar resultados financeiros, é uma jornada de desenvolvimento pessoal.

O começo é sempre desafiador, mas à medida que avançamos, embora não se torne mais fácil, as coisas começam a fluir. O essencial é dar o primeiro passo, despertar para o seu propósito, investir suas energias no seu sonho e fazer acontecer.

Já enfrentei situações em minha vida em que pensei que seria o fim da minha jornada como empreendedor. Porém, essas fases me tornaram mais fortes e contribuíram para meu crescimento.

Empreendedorismo com propósito / Imagem: Pexels / Foto de RDNE Stock project

O que não te contaram sobre empreendedorismo, eu te conto: a inspiração é o primeiro passo para ter sucesso no seu negócio. Quando abrimos os nossos olhos para exemplos que nos inspiram, enxergamos um mundo de possibilidades que talvez a gente nem sabia que existia. Eu sou fã do apresentador Silvio Santos, por exemplo.

Acho incrível como a história de vida dele é inspiradora. Começando como engraxate aos 13 anos e depois se tornando um visionário e inovador nos negócios. Ele realmente fez uma jornada notável. Sua capacidade de transformar sua própria vida e a vida das pessoas ao seu redor é admirável. Com certeza, ele é um exemplo de empreendedorismo e determinação. É maravilhoso ver como histórias como a dele podem inspirar tantas pessoas.
Enxergo o empreendedorismo como um propósito! É importante estar preparado para enfrentar os desafios que surgem ao longo do caminho. Não vou te iludir e falar que será fácil, mas a mentalidade certa pode fazer a diferença na jornada empreendedora.

(*) Leonardo Chucrute é CEO do Zerohum, mentor de empresários, palestrante e autor de livros didáticos.

 

Por | Joyce Nogueira – Drumond Assessoria de Comunicação

Continuar Lendo

Em Alta

...