Conecte-se conosco

Notícias

Reestruturação do sistema educacional garante aprendizagem dos alunos com as escolas fechadas

D2L reúne dicas de implementação do modelo híbrido nas escolas a fim de garantir o aprendizado tanto online como pessoalmente

Publicado

em

São Paulo 3/11/2020 –

D2L reúne dicas de implementação do modelo híbrido nas escolas a fim de garantir o aprendizado tanto online como pessoalmente

Enfrentar os desafios de ensino e acesso à aprendizagem devido à pandemia do novo Coronavírus exigiu que os professores e as autoridades escolares reformulassem seus sistemas educacionais. Segundo monitoramento da UNESCO, 188 países implementaram fechamento das escolas, impactando cerca de 99,4% da população estudantil do mundo.

De acordo com Marcia Conrado, Diretora de Negócios e Relacionamento da D2L, as escolas devem ser capazes de educar os alunos tanto pessoalmente quanto por meio do ensino online não somente este ano. “As escolas devem ser capazes de ensinar os alunos pessoalmente um dia e on-line no outro, de forma consistente e sem interromper o processo educacional”, explica.

A sugestão da D2L, líder mundial em tecnologia de ensino, é que as instituições de ensino implementem um modelo de ensino híbrido, no qual as escolas contemplem um percentual maior de aulas virtuais e o ensino presencial complemente e solucione eventuais lacunas nas atividades digitais. Uma solução abrangente de aprendizagem é o uso de uma plataforma completa, a partir da qual os professores ensinam, propõem atividades de trabalho, estimulam o engajamento, a comunicação e aproveitam as melhores práticas pedagógicas para o ambiente online.

“No curto prazo, o sucesso do modelo de aprendizagem híbrida dependerá da ajuda que as instituições ofereçam aos professores, para que possam traduzir sua experiência de ensino em sala de aula em um modelo diferente, recebendo a formação e as ferramentas de que precisam e o investimento necessário para ajudá-los a acompanhar seus alunos”, detalha Marcia. Pensando nisso, a D2L reuniu dicas sobre a implementação do modelo híbrido.

Menos videoaulas, mais aprendizado
Realizar encontros ocasionais oferece a oportunidade de estimular o engajamento, responder a perguntas e promover a interação social, além de permitir aos alunos flexibilidade para trabalhar e aprender mais em seus próprios horários.

Feedbacks frequentes
Os professores devem fornecer feedback individual e em grupo com base nas tarefas e nas necessidades da classe e de cada aluno: isso mantém os alunos conectados, envolvidos e informados.

Diferentes rotas de aprendizagem
Os professores devem atribuir conteúdos, atividades e avaliações de forma personalizada, de acordo com as necessidades de cada aluno. Os alunos progridem e atendem às expectativas de aprendizagem propostas em seu próprio ritmo, com orientação, assistência e, se necessário, o incentivo adequado do professor para mantê-los no caminho certo. Os dias de aula presencial oferecem mais oportunidades de intervenção na aprendizagem dos alunos e de ensino em pequenos grupos.

Acompanhamento do envolvimento, com medição dos resultados de aprendizagem
Sob o modelo híbrido, os professores aproveitam os métodos de ensino e aprendizagem baseados no domínio para medir o conhecimento e o progresso dos alunos. Saber se os alunos estão se aprimorando ou atendendo aos parâmetros de cada nível educacional permite ao professor realizar intervenções personalizadas e adaptar o percurso de aprendizagem de um aluno que precisa.

“Um dos maiores benefícios da aprendizagem híbrida, além do progresso, é a padronização que ela oferece da aprendizagem e da rotina para professores, alunos e pais. Os professores terão um caminho definido para desenvolver suas aulas e estratégias de ensino. Os alunos terão um conjunto claro de expectativas de aprendizagem. Os pais serão capazes de entender as estratégias e ter a certeza de que seus filhos continuarão a aprender, mesmo que as escolas não pareçam mais como eram na era pré-COVID-19”, afirma Marcia. “A educação não pode parar. O ensino se dá pela prática e pelas metodologias compatíveis a mídia de comunicação”, conclui.

Continuar Lendo
Anúncio
Clieque para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

IA ajuda lojistas a lucrar no e-commerce

Em meio à crise no varejo, empresa no setor de artigos esportivos tem um ROI de 257 vezes com utilização de ferramenta de avaliação

Publicado

em

por

São Paulo 21/2/2024 – A capacidade de se destacar em momentos desafiadores é uma condição indispensável, sobretudo no competitivo mercado online

Em meio à crise no varejo, empresa no setor de artigos esportivos tem um ROI de 257 vezes com utilização de ferramenta de avaliação

Por meio da solução que visa integrar elementos sociais nas plataformas de comércio online para aprimorar o engajamento do cliente e otimizar a experiência de compra, no ano de 2023 a IA da empresa Vurdere coletou mais de 50.000 mensagens, no ano, e foi responsável pelo aumento de mais de R$175 milhões de faturamento incremental para seus clientes, varejistas online.

Com a aplicação da solução por meio da IA, os 28 clientes que já utilizam a solução, tais como Centauro, Evino, Drogasil, Arezzo, Suvinil, Midea, Embelleze, Puket, Arezzo, Imaginarium, tiveram um incremento médio de 9% no faturamento. Segundo os sócios, o valor acima é referente às vendas que passaram pela ferramenta e o resultado já é visto logo no primeiro mês de contrato. 

Segundo  Daniel Pisano, co-fundador da Vurdere, o ano de 2023 foi muito difícil para o varejo e nessas horas de maior adversidade é importante enxergar as oportunidades que vêm com ela. “A capacidade de se destacar em momentos desafiadores é uma condição indispensável, sobretudo no competitivo mercado online”, explica. No contexto da Centauro, que utilizou a solução de IA, por exemplo,  observa-se o aumento significativo de quase 7% nas vendas, que resultou no Retorno Sobre o Investimento (ROI) de 257 vezes para a empresa esportiva.

As soluções da Vurdere conduzem as interações para o contexto social, estimulando os clientes a compartilharem mais sobre suas preferências, personalizando o conteúdo, assim como ocorre nas mídias sociais. E com o uso da gamificação e ferramentas de inteligência artificial, essa interação se torna orgânica. Na prática, a tecnologia desenvolvida pela startup digitaliza o boca-a-boca”, explica Pisano. Segundo ele, investir na “social proof” (prova social) é a forma mais eficaz e econômica de gerar impacto.

Em alta no marketing digital, a prova social está baseada em opiniões reais sobre consumo. Com isso, as empresas podem não apenas otimizar seus resultados e aumentar o tempo que os clientes passam explorando a loja, mas também fortalecer o vínculo emocional com a marca. E com a utilização da inteligência artificial em soluções criativas, é possível fornecer recomendações autênticas e contextualizadas sobre os produtos, tornando a experiência de compra altamente personalizada e relevante.

A fusão entre o comércio eletrônico e as plataformas de mídia social permite que os consumidores interajam uns com os outros, compartilhem opiniões e recebam feedback em tempo real. As lojas online criam uma sensação de comunidade em torno de seus produtos, tornando o e-commerce mais atrativo e confiável para novos consumidores, o que consequentemente acaba gerando uma proposta de valor para a empresa no mercado e fomentando uma experiência de compra mais social, interativa e colaborativa. Dessa forma, o uso de perfis sociais verificados não somente fortalece a conexão entre os consumidores e as marcas, criando o “match perfeito”, mas também estabelece uma atmosfera de transparência e autenticidade, algo essencial em um mercado tão competitivo como o e-commerce global, onde o cross-border (quando envolve o transporte de um produto de um país para o outro, ultrapassando fronteiras)ainda é um desafio para muitas lojas online.

Neste contexto, a mera tradução de uma plataforma para diferentes idiomas é insuficiente para atender às expectativas e desejos dos consumidores locais. É uma questão que vai além da língua: é sobre criar uma conexão real com o consumidor moderno, que busca experiências autênticas. Por exemplo, quando um shopper (comprador) brasileiro navega em uma marca francesa, ele espera ver não apenas a tradução precisa, mas também conteúdo e experiências compartilhadas por pessoas de sua própria nacionalidade, localidade ou perfil social. Isto já é possível graças à tecnologia da geolocalização de pessoas, que cria uma espécie de rede social integrada à loja e aumenta o efeito de coletivo. A possibilidade de filtrar avaliações de acordo com características culturais entre países impede, por exemplo, que consumidores europeus recebam avaliações sobre um mesmo produto de clientes asiáticos, africanos ou brasileiros, que possuem hábitos e estilos de vidas bem diferentes.

Assim, ao navegar em uma loja virtual, os consumidores veem prioritariamente pessoas com perfil social semelhante e, mais importante, da mesma região geográfica, motivando ainda mais o consumo em um mercado onde a confiança é vital, e a personalização é o segredo para o sucesso. “A chave está em criar um sentido de pertencimento, uma experiência genuína e um contexto que ressoe com os compradores locais”, explica Jaime de Toledo, cofundador e CEO da startup.

Outro diferencial da tecnologia de “social proof” é a compatibilidade com as soluções de e-commerce em qualquer plataforma, podendo ser instalada em menos de duas horas. Este é o tempo suficiente para adaptar o template, criar um manual de instalação e adicionar os códigos no front-end do cliente. “Nossas métricas de monetização mostram que, a partir da adoção da nossa plataforma, é possível verificar um incremento de 15% no faturamento do e-commerce, aumento de 20% no tráfego orgânico no website e crescimento de 10% nas coletas de avaliações”, finaliza Pisano.

Website: http://www.vurdere.com

Continuar Lendo

Notícias

Opera encerra um ano de crescimento exponencial no Brasil

Com aumento de 280% nos usuários ativos no Android, a empresa busca a consolidação entre os navegadores mais populares do país.

Publicado

em

por

São Paulo, Brasil 21/2/2024 –

Com aumento de 280% nos usuários ativos no Android, a empresa busca a consolidação entre os navegadores mais populares do país.

O Brasil é um dos maiores mercados de smartphones do mundo, com cerca de 249 milhões de aparelhos inteligentes no país, de acordo com estudo da FGV em 2023. Dessa forma, as empresas de tecnologia batalham pela preferência do consumidor no uso do dia a dia. 

E a Opera, empresa global focada em tecnologia web, buscou uma vantagem inicial na preferência dos brasileiros. Ao longo de 2023, a empresa norueguesa de software testemunhou um crescimento em seu número de usuários ativos mensais, impulsionado por seu produto para Android, que registrou um aumento de mais de 280%, de acordo com dados coletados pela data.ai, comparando o número de usuários ativos mensais de smartphones do navegador Opera no Brasil entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2023.

Além disso, o reconhecimento da marca dobrou no país, com três quartos dos brasileiros afirmando estar familiarizados com seus produtos. A pesquisa foi realizada pela empresa entre 28 de novembro e 4 de dezembro de 2023 via Pollfish. O número total de entrevistados foi de 1.092 pessoas  entre 16 a 64 anos, de todos os gêneros, localizadas no Brasil.

Crescimento impulsionado pelo lançamento de funcionalidades

“Com as necessidades de uso dos smartphones sendo particulares de cada pessoa, as empresas de tecnologia que buscam se destacar precisam oferecer ferramentas que facilitem os usos diários”, explica Juliana Psaros, Diretora de Marketing Regional de LATAM na Opera. 

Em 2023, a companhia lançou o navegador Opera One, integrando sua nova ferramenta de inteligência artificial (IA), a Aria. Desenvolvida com base na infraestrutura “Composer” da Opera e alimentada pela tecnologia GPT da OpenAI, a Aria oferece aos usuários acesso gratuito a serviços de IA generativa, habilitando a busca de informações na web, a geração de texto ou código e a obtenção de respostas personalizadas. Assim, segundo Juliana Psaros, a empresa se posicionou em um mercado que está em ascensão, com a inteligência artificial, brigando pela fatia de mercado almejada por outras empresas de tecnologia, como Google, Microsoft e Meta. 

“A Opera tem usuários em todo o mundo, mas é aqui no Brasil que eles estão aproveitando ao máximo essa ferramenta de IA. Isso sinaliza uma crescente demanda por soluções orientadas por IA, pelas quais a Opera tem concentrado esforços”, adiciona Psaros.

A inteligência artificial, no entanto, não ficou restrita aos usuários desktop, mas foi central nos dispositivos móveis, já que o ChatGPT virou referência para quem busca utilizar IA – de acordo com uma pesquisa baseada em relatórios de tráfego da SEMRush, o ChatGPT conta com uma participação de mercado de 60%. Além do navegador Opera One, a empresa lançou versões móveis focadas em Android e iOS, ambas com novos recursos de segurança, como VPN e bloqueadores de anúncios.

Juliana Psaros reforça que para 2024, as empresas continuarão investindo em ferramentas. “Um dos objetivos é que o mercado continue a oferecer soluções para desafios do dia a dia dos usuários, buscando capitalizar em torno de tendências e popularizando funcionalidades, especialmente a inteligência artificial”, conclui.

Para mais informações, basta acessar: www.opera.com

Website: http://opera.com

Continuar Lendo

Notícias

Trabalhar em pé traz benefícios para a saúde

Segundo estudos científicos, ficar muito tempo sentado pode aumentar o risco de obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e câncer, além de causar dores nas costas, na coluna e nos ombros.

Publicado

em

por

Florianópolis, SC 21/2/2024 –

Segundo estudos científicos, ficar muito tempo sentado pode aumentar o risco de obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e câncer, além de causar dores nas costas, na coluna e nos ombros.

Segundo especialistas, o habito de trabalhar em pé, que vem ganhando cada vez mais adeptos no Brasil e no mundo, pode trazer diversos benefícios para a saúde e a produtividade dos profissionais que passam muitas horas sentados em frente ao computador. 

De acordo com estudos científicos, ficar muito tempo sentado pode aumentar o risco de obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e câncer, além de causar dores nas costas, na coluna e nos ombros. Por outro lado, trabalhar em pé pode ajudar a reduzir os níveis de açúcar no sangue, queimar mais calorias, melhorar a postura, a circulação e a respiração, e até mesmo prolongar a expectativa de vida.

Mas como fazer essa mudança de hábito sem prejudicar o conforto e a ergonomia no ambiente de trabalho? 

Para Valeria Brand, especialista em P&D da empresa Elements, especializada na venda e produção de móveis ergonômicos, a resposta para essa pergunta está nas mesas com regulagem de altura, que permitem alternar entre as posições sentada e em pé com o toque de um botão. “Essas mesas, também chamadas de standing desks, são ajustáveis de acordo com a altura e a preferência de cada usuário, e podem se adaptar a qualquer espaço e estilo”, explica Valeria. 

As mesas com regulagem de altura elétrica são uma opção moderna, minimalista e tecnológica. “Algumas opções já possuem motorização dupla, memória para quatro posições, e ainda permitem personalizar o tampo com cores e tamanhos variados”, destaca a especialista da Elements.  

Trabalhar em pé é uma mudança de hábitos no espaço de trabalho que pode trazer melhorias no foco, na energia, na criatividade e na disposição para o trabalho, além de redução nas dores no corpo e no estresse. 

 

 

 

 

Website: https://elements.com.br/collections/ajuste-de-altura

Continuar Lendo

Em Alta

...